Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

MOR

Membros Plenos
  • Total de itens

    1.614
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

1.105

4 Seguidores

Sobre MOR

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Mangaratiba, RJ
  • Sexo
    Masculino
  1. Espero que lhe seja útil. MOR_AL
  2. @guilherme appel Veja meu tutorial em anexo. Lá tem a resposta à sua pergunta e alguma coisa mais. Bons estudos. MOR_AL Conceitos Preliminares.pdf
  3. Grato, Paulo. Muita informação de uma vez só costuma criar um efeito inverso. O aluno ou espectador começa a não acompanhar e acaba desistindo de assistir, ou pior ainda. Cria resistência ao assunto. MOR_AL
  4. Parabéns @Bommu Perneta . Vejo que você assistiu o vídeo até o fim. Realmente achei que se incluísse mais detalhes, o tutorial ficaria muito extenso e dificultaria o acompanhamento de quem ainda está iniciando neste assunto. Ele foi direcionado mais para quem ainda está começando. Para alguém como você, percebi que não acrescenta mais conhecimento. Mas vamos comentar suas críticas que considero válidas e construtivas. MOR_AL
  5. Pessoal. Observei que esse tema é importante para a eletrônica e notei que o pessoal teve certa dificuldade, quando mostrei as imagens para o cálculo de dissipadores. Por esse motivo eu fiz um tutorial no YouTube composto por dois vídeos, mostrando o cálculo timtim por timtim. Procurem assistir estes tutoriais até o fim, que vocês acabarão sabendo calcular dissipadores para componentes que esquentam. Seguem os dois tutoriais: Dissipadores 1 de 2. https://youtu.be/AOLpDlgPg_Y Dissipadores 2 de 2. MOR_AL
  6. Cara Isadora. Colega em alguns fóruns e detentor(a) do maior número de NicNames, que eu já tive a oportunidade de observar. (Estou parecendo até o saudoso personagem da "Escolinha do Professor Raimundo", o Rolando Lero). A tabela em questão foi produzida baseada nos tutoriais que já apresentei, em diversos tópicos deste prestigiado fórum. A última publicação, sobre o assunto neste fórum, ocorreu há poucos dias. Eles podem ser visualizados na postagem #9 do tópico abaixo. É pena que dúvidas recorrentes estejam sempre aparecendo. Na medida que o tempo passa nossos arquivos se avolumam e ficam cada vez mais difícil de serem encontrados. Há algum tempo alguns tutoriais que produzi apareciam no campo "Tópicos em Destaque", mas infelizmente eles não constam mais lá. MOR_AL
  7. Fiz uns cálculos sobre a capacidade de consumo de corrente no LM7805, invólucro TO220, em função da temperatura ambiente. Isso sem dissipador, mas com montagem vertical. Considere o caso normal, em que o LM7805 fique dentro da caixa do circuito. Neste caso a temperatura ambiente será a de DENTRO da caixa. MOR_AL
  8. Se você REALMENTE quer saber, então aqui vai algo para estudar. Uma vez calculado o valor da resistência térmica do dissipador, recorre-se aos fabricantes do dissipador. Em seus datasheets tem o valor da resistência térmica dos dissipadores fabricados por eles. Se você concluir que ou nenhum dissipador atende aos seus desejos, ou se ficariam grandes demais, então recorre-se à ventoinha soprando sobre o dissipador. Neste caso, fica quase impossível prever se a ventoinha solucionará seu problema. Um último recurso inclua um chip LM35 no case do gerador de calor, com um comparador com histerese, que ao atingir determinada temperatura, o circuito desarma a potência. Vide: Cálculo de comparadores com histerese. https://www.youtube.com/playlist?list=PLKbXQpiLi1hVh9ea_3BUNOpXqrm_9xXFR O comparador com histerese, juntamente com um LM35 na carcaça do mosfet, monitora a temperatura da junção. https://www.youtube.com/watch?v=55J-R60qh9I&t=13s Este vídeo é de uma carga eletrônica que eu projetei. Nele aparece o efeito do limitador de temperatura. É o terceiro vídeo da carga eletrônica. Caso você se interesse, assista os outros três. Vale a pena, apesar da incapacidade do operador em manter um bom vídeo em foco. Hehehe! MOR_AL
  9. Eu faria o seguinte: 1 - MEDIRIA o valor da maior corrente de consumo na linha de 5V EM CAMPO. Chamaria de I5máx. Eu procuraria fazer esta medição no equipamento que está dando o problema. É quase certo que o problema não esteja no conversor, DESDE QUE a corrente I5máx seja menor que a especificada pelo conversor. Se possível eu mediria até essa corrente com um osciloscópio, para ver se ela possui picos proibitivos de corrente. Mas. Este CI do seu conversor é o 33063 e ele possui proteção de sobrecorrente. 2 - Eu verificaria se a linha de 12V está ruidosa, principalmente se os 12V são provenientes da carga de uma bateria instalada em veículo com motor a explosão. Neste caso, no momento de ligar o motor há muito ruído na linha de 12V. TALVEZ seja interessante incluir um diodo em série entre a linha de 12V e o conversor. Ou seja necessário colocar um filtro nesse ponto. Tudo dependerá da monitoração da linha de 12V com um osciloscópio. 3 - Eu procuraria saber qual componente está queimando no conversor. É uma boa informação para descobrir a causa do problema. Parece ser óbvio que sua verificação do conversor em laboratório não mostre os problemas reais. TEM que medir em campo. MOR_AL adicionado 3 minutos depois Forneça o valor da corrente na linha de 5V. O tal I5máx. A dimensão desta medida é em amperes e não mAh.
  10. Hummm! Já possuo fonte melhor e depois desses comentários, quando tiver tempo, vou atualizar uma fonte antiga que montei com 732 e 2N3055. Comprei no Ebay aqueles medidores de tensão com leds de 7 segmentos. Pretendo usá-lo para medir e exteriorizar o valor da tensão da fonte. A montagem está precisando de uma melhoria. Sei lá. Mais um trabalho. MOR_AL
  11. Acho que o problema PODE estar na geração do pulso de disparo do SCR, ou a falta ocasional dele. Com o dobro de tensão no capacitor (800Vcc) a energia acumulada nele quadruplica e com 1000V, a energia fica 6,25 vezes acima do normal. Isso é mais que suficiente para gerar faísca na vela. 1 - Não acredito que um capacitor especificado para 400V aguente 800V ou mesmo 1000V sem furar o dielétrico. Tem algo errado. Você está medindo a tensão sobre o capacitor e apenas em seus terminais? Para medir uma tensão mais alta, que o osciloscópio ou a ponteira dele aguenta, ou use uma ponteira de alta tensão, ou use um divisor resistivo. Lembrando que um divisor resistivo deve possuir um capacitor variável (trimmer) para corrigir a forma de onda observada. Pesquise no Google ponteira de alta tensão. http://blog.novaeletronica.com.br/ponta-medicao-alta-tensão/ Esse mostra uma figura http://www.ti.com/lit/an/slyt627/slyt627.pdf 2 - Se puder medir o pulso de gate do scr quando não ocorrer a faísca na vela, poderia eliminar esta hipótese de falta de pulso suficiente para disparar o scr. Observe o platinado, ou o que usam hoje em dia para gerar o pulso de disparo do scr. 3 - Você ainda não postou nenhuma imagem de suas medidas. Tire uma foto da tela do osciloscópio e da ponteira dele no circuito, identificando os pontos de medição. Somente no papo vai ficando difícil ter mais idéias. 4 - Não sei se colocando um varistor vai resolver. Fica atacando a consequência e não a causa do problema. MOR_AL
  12. Manda sim. Está tão barato, que se for comprar os componentes separados, fica mais caro e se for montar não fica tão bem feito. Além do que, não é difícil consertar ou mesmo colocar um dissipador como no vídeo. Eu só teria colocado o dissipador externo à carcaça e talvez um ventilador. MOR_AL
  13. Deve ser mesmo. Em algum momento do vídeo, o autor informou que o CI era o 723. Já fiz fonte com ele e também usando o transistor 2N3055 com a mesma embalagem TO3. O CI é ótimo. Único detalhe é precisar de mais alguns componentes. MOR_AL
  14. Não entendi!!!!! No Ebay, onde o fabricante vende direto para o comprador e tem os melhores preços, essa fonte está mais cara que no Mercadolivre (ML)!!!! SE eu precisasse de uma fonte compraria no ML. Deve ter alguma coisa que não está clara nisso tudo. MOR_AL
  15. MOR

    Transmissor de am

    Circuito interessante. O primeiro estágio com o cristal e o TIP31 é um amplificador, que oscila via realimentação da capacitância entre base e coletor. O efeito Miller aumenta essa capacitância. O coletor possui apenas um indutor. Não é um circuito sintonizado na frequência do cristal, ou múltiplo inteiro dessa frequência. O resistor de 22 ohms, 1W no emissor tem a finalidade de limitar a corrente do TIP31. O capacitor de 100pF em paralelo não é usado para aumentar o ganho do estágio, já que a frequência de corte dele com o resistor está em 72MHz. Esta frequência está muito acima das frequências do circuito. Se considerarmos que a impedância existente no emissor também é baixa, esta frequência ainda é maior. Realmente não sei a finalidade dele. Talvez o projetista testou o circuito e concluiu que, com este valor de capacitor, o circuito ficasse mais estável. O estágio do mosfet é um amplificador sintonizado na frequência do cristal ou múltiplo inteiro dela. Mas tem um detalhe. O trimpot de 100k deve ser usado para ajustar uma determinada corrente quiescente de dreno. Observado o detalhe escrito para a fonte 12V (3A), ela deve ser direcionada quase toda para o mosfet. No source, novamente tem um capacitor de 100pF. Ele deveria ser um caminho da frequência portadora de AM para o terra, aumentando o ganho do estágio. Mas este valor está muito baixo para a frequência do cristal (1M8Hz). Não sei o que ele está fazendo aí. O trafo introduz o sinal modulante (áudio) via source. Ele deve estar explorando a característica intrínseca dos fets, que possuem resistência variável entre o source e o dreno. TALVEZ a capacitância existente entre os enrolamentos do trafo estejam fazendo o papel de aterrar apenas o sinal da portadora AM, aumentando o ganho do estágio. Essa característica do mosfet permite alterar o ganho do mesmo. Sendo assim, o sinal da portadora de AM fica modulado em amplitude (AM) pelo sinal de áudio (modulante). O detalhe é que esta característica do fet é quase linear para pequena região de Vgs (entre o gate e o source). O sinal modulante deve possuir uma faixa de tensão bem definida para não começar a distorcer. A ligação do trafo serve também para apresentar uma carga para o TDA quatro vezes maior, caso ele não existisse, o que alivia a capacidade de corrente do TDA. Normalmente se usa um oscilador sintonizado de potência, alimentado por uma fonte com a tensão modulada pelo sinal de áudio. Como o oscilador sintonizado só produz senóide, Consegue-se modular esta amplitude da senóide com a amplitude do áudio. Finalmente. Lembro que essa potência irradiada sem autorização é ilegal. MOR_AL

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×