Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Intrudera6

Membros Plenos
  • Total de itens

    390
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

290

Sobre Intrudera6

  • Data de Nascimento 29-06-1964 (54 anos)

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Salvador, BA
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Ocupação
    Eng. Mecânico e de Petróleo
  1. Verdade, se aprende muito de eletrônica digital utilizando portas lógicas e flip-flops, um aprendizado que sempre será útil! Mas uma vez você fazendo um que funcione (e se cansando disso) você vai querer partir para usar microcontrolador (na minha época de estudante eles não eram acessíveis, infelizmente), em que se consegue fazer muito mais por muito menos custo e tempo!
  2. Acho que você quer fazer um relógio da maneira mais difícil, que é com portas lógicas e flip-flops, o que é muito educativo mas pouco prático e mais caro. Mas mesmo assim você pode usar um cristal com compensação de temperatura, hoje eles são bastante baratos (e extremamente precisos). No meu caso eu partiria logo para um DS3231 (ele é um TCXO - "temperature compensated crystal oscillator" com erro máximo de 2 ppm) e utilizaria um ESP8266 ou um ESP32 com um LCD 16x2, mas acho que tiraria toda a graça e ficaria fácil demais para você. Eu tenho vários DS3231 que comprei mais barato que 1 dólar (este aqui está por 1,25USD => https://www.ebay.com/itm/RTC-3-3V-5V-RTC-I2C-DS3231-RX8025T-Real-Time-Clock-Module-Arduino/253224875533?var=552336410259&_trkparms=aid%3D222007%26algo%3DSIM.MBE%26ao%3D2%26asc%3D52885%26meid%3D3c9a2d31396c47609b63b2cd4c6bf210%26pid%3D100005%26rk%3D1%26rkt%3D2%26sd%3D263885789607%26itm%3D552336410259&_trksid=p2047675.c100005.m1851 ), uma pechincha para algo tão preciso (que eu fiz ficar ainda mais preciso calibrando).
  3. A minha formação não é eletrônica, eu meio que entrei de gaiato na automação e programação (mas eu gosto da mecânica e eletrônica, quase igualmente). Acho que a formação técnica (escola técnica) serve como uma sólida base para a formação de engenharia. Era bastante perceptível a diferença entre eu que estava fazendo apenas universidade para colegas que passaram por escola técnica, a bagagem técnica deles destoava muito e me fazia sentir um ignorante ao lado deles. Hoje eu considero bastante importante para um engenheiro (de qualquer área) ter um curso técnico (mesmo sem ter experiência técnica) antes de enveredar pela engenharia, enriquece e solidifica muito o conhecimento teórico que a universidade fornece, tendo isso se é um engenheiro muito melhor!
  4. Muito obrigado! Mais tarde eu acabei descobrindo como fazer (mas esqueci de postar isso). Este é o problema quando se fica muito tempo sem utilizar uma ferramenta, eu acabei desaprendendo muita coisa, inclusive como era tão fácil de atualizar!
  5. Paulo, Eu comprei o Bascon-AVR há uns anos, mas não estou vendo opção de baixar sem ter que pagar mais 89 euros. Vou ter que pagar mais 89 euros para atualizar da versão 2.0.7.8 para a versão 2.0.8.1 ?
  6. @faller É... a vontade que dá é pegar um destes interativos e travar para que os relés não chaveiem os traps do transformador. Eu até tive vontade de fazer isto no meu antigo SMS Senoidal, mas me falta conhecimento para isso! Um dia eu ainda arranjo coragem e compro um online, mas eles são caros e bem ruidosos (talvez existam modelos silenciosos). Estabilizador é uma praga que deveria ser banida da face da terra!
  7. Eu gostaria de uma explicação de porque se coloca um estabilizador no nobreak? Pois ele é mais pesado, tem uma eletrônica associada ao controle dele, e deve custar mais caro. Mas ao invés disso não se faz um nobreak interativo sem este maldito estabilizador? Provavelmente ele custaria mais barato para produzir (eu acho)! Se fabrica nobreak interativo em algum lugar do mundo sem o estabilizador ou esta praga é mundial?
  8. Neste seu artigo o tempo é de 1500 microssegundos e não 1500 nanossegundos!
  9. Não para esta aplicação, que é considerada crítica (aplicação médica e equipamento de alto custo) e exige um nobreak online, que isola totalmente a rede elétrica externa do equipamento alimentado, os nobreak online não tem tempo de chaveamento e também não tem estabilizador que só dá problema.Os line-interativos nem são considerados nobreaks verdadeiros, e não são recomendados para aplicações críticas. Mas se você quiser economizar no curto prazo provavelmente vai continuar tendo problema! A decisão é sua!
  10. Vou concordar totalmente com o @faller! Este seu uso é clássico para nobreak on-line. Os on-line são caros, mas para este uso eles são os únicos recomendados. Este seu nobreak é totalmente inadequado a uma aplicação médica e principalmente para equipamentos de alto custo. Você tem urgente que trocar esta porcaria por um nobreak decente, e isto vai custar bem mais barato que gastar 8000 reais a cada 2 meses!
  11. O magnetômetro em 3 eixos + o giroscópio de 3 eixos deve dar para compensar as imprecisões um do outro, mas eu realmente nunca tive coragem de colocar uma ideia dessas em prática, apesar de que, seria interessantíssimo um GPS com capacidade de continuar fornecendo as coordenadas e a velocidade mesmo sem o sinal dos satélites. Nunca vi um GPS desse tipo mas certamente deve existir para aplicações especiais e a um preço também especial ($$$$$$$$).
  12. Na minha opinião: a única forma de você ter um geoposicionamento em ambientes fechados (onde não tem sinal de GPS) é utilizando acelerômetro em 3 eixos + giroscópio em 3 eixos + sensor de campo magnético em 3 eixos, e logicamente, com um microcontrolador que faça os cálculos para fornecer a localização com o GPS off-line. Imagino que existam GPSs com este recurso para cavernas e ambientes submarinos, mas nada impede que seja feito um utilizando estes sensores com um microcontrolador fazendo os cálculos de posição nos 3 eixos em tempo real. Eu até tenho vontade de fazer isso, mas até agora me faltou coragem, imagino que a programação disso seja complexa, e a precisão deve deixar um pouco a desejar, mas já existem placas para Arduino (e outros controladores) com vários desses sensores incluídos. Os aviões de grande porte, antes de adotarem o GPS, faziam o georreferenciamento através de giroscópio, acelerômetro e bussola eletrônica, e tinham erro de alguns poucos km nas viagens de longa distância intercontinentais.
  13. Uns anos atrás eu fiz um programa para AVR ATmega 328P (mas serve em todos os AVRs) para ler um PT100 de 4 fios (que é o mais preciso), para ler eu usei um ADS1115 que eu programei com Bascom a partir do datashit do componente (deu um trabalho tremendo), além do PT100 e do ADS1115 (conversor AD I2C de 4 portas por 16 bits de ganho programável) usei uma resistência de referência de 100 ohms de 0,01% de precisão e 5ppm de deriva térmica (mais de 10 dólares a unidade). Funcionou com precisão, mas não consegui evitar o ruído na medição. Eu acabei não resolvendo o problema e parei no desenvolvimento. Se quiser talvez eu consiga encontrar o código.
  14. O DS3231 tem precisão padrão de +/- 2 ppm, mas com a devida calibração dá para conseguir 0,1 ppm (por alguns meses depois é necessário calibrar novamente). Eu fiz uma montagem com um ESP8266 e depois adaptei para o ESP32 para fazer esta calibração pela Internet com servidores NTP de forma semi-automática. Nada impede que se faça com AVR usando Bascom ou o C da IDE do Arduino, mas provavelmente vai custar mais caro e dar mais trabalho, pois o ESP8266 e o ESP32 já vem praticamente pronto para acessar a Internet, o que no AVR vai ser necessário agregar muita coisa para isso. A precisão do DS1307 é muito ruim (por volta de 100 ppm), e atualmente se pode comprar no eBay um DS3231 com EPROM junto, o que é muito útil, por um valor próximo a um dólar, realmente não compensa mais utilizar um DS1307! adicionado 6 minutos depois Usando um ESP8266 ou ESP32 dá para fazer o acerto pela Internet, com muita precisão e automaticamente (a baixo custo). Existem muito exemplos na Internet com isso!
  15. A informação pode até ser obsoleta, mas são as tecnologias antigas que dão base para as novas. Ainda acho um curso formal útil, mas o ideal seria ser feito numa universidade decente com alguma modernidade no currículo (nos vivemos no Brasil, isto é meio difícil por aqui). O meu primeiro contato com eletrônica foi com um antigo livro de eletrônica a válvula que meu pai na época me deu, muito mais fácil de entender do que o transistor!

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×