Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

rmlazzari58

Membros Plenos
  • Total de itens

    65
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

7

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo - Capital
  • Sexo
    Masculino
  1. Nada, ainda estou penando nesse vale de lágrimas aqui, cara @Isadora Ferraz, rs... Mas é sempre bom saber-se querido, hehe... (Pode deixar que, quando eu estiver lá, venho te avisar aqui, dar um cutuco à noite no seu pé.) Quanto aos LEDs, eles não acendiam porque eu tinha entendido errado a marca - um micro-ponto azul - que indica cátodo, achei que essa marca indicava ânodo. Mas no final a vitrolinha ficou bacana. Grato, @Igor Henrique Moreira Lusq
  2. Grato, @Mestre88! Mãos à obra, agora. Brigadão mesmo!
  3. Então, @Mestre88, acho que vou dispensar o potenciômetro e seguir sua sugestão de uma chave, mesmo. Talvez um trimpot em série com R2 só para ajustar o mais perto que der de 1/2 hora no pino 13 e uma hora no 15... Tem um cara, IN3OTD, talvez você conheça essa página, que calcula qualquer valor de resistência dentro do que existe comercialmente, otimizando a rede de resistores ao número mínimo necessário (acho que no máximo 2 resistores mas não testei) e à máxima precisão possível, em série ou paralelo. Aqui: http://www.qsl.net/in3otd/parallr.html Mas como você diz, mesmo ajustando direitinho o circuito sempre será dentro de uma margem, nunca exato. A propósito disso, os capacitores eletrolíticos desses que a gente encontra para comprar, são sempre menos precisos do que os de cerâmica, mica, tântalo, poliester e outros que possívelmente não conheço, os tais sem polarização. O problema, pelo que entendi, é que a capacitância desses não-polarizados é sempre baixa. E se a capacitância for baixa, vai precisar de uma resistência muito alta para resultar num tempo razoável. Pergunta: será que essa história, da precisão, está certa? E se estiver, será que tem algum tipo de capacitor dentre esses (cerâmica, mica, tântalo, poliester e outros) que não é tão difícil de achar, que não é muito grande mas que dê esses 10uF? Mais uma pergunta, desculpe se parece repetição, mas usando 150k em R2, um trimpot em série de, digamos, 100k mas setado para zero ohms, e 10uF em C1, aquele LED ligado no pino 9 vai ficar apagado por mais ou menos meio segundo e aceso também por mais ou menos meio segundo? Ou ficará apagado e dará um "pisco" a cada mais ou menos um segundo? E uma curiosidade, talvez só interessante para quem vier a consultar o fórum mas, no meu caso, só para tentar entender esse CD4060: o pino 9, afinal, não passaria de apenas mais um dos pinos de saída, como o 1, o 2, o 3, o 13 etc., mais uma frequência utilizável? Ou não, utilizar esse pino como saída só serviria para calibrar mesmo? Por último, será que no lugar de R2, em vez de um resistor de 150k e um trimpot de 100k, não seria melhor um resistor de 100k e um trimpot também de 100k? É que... e se para dar a tal 1/2 hora no pino 13, considerando a imprecisão do capacitor, for necessário menos do que 150k em R2?
  4. Bem... você viu o espaço que tem. É bem pouco... se bem que ali tem um regulador 338, que é o que eu tinha. Esse regulador tá usando dois resistores em paralelo (eu não tinha um de 240 e então "somei" dois de 560 prá fazer 280) e um trimpot, além dos terminais azuis e do dissipador. Tudo isso pode ser substituído por um único 7805 ligado em "aranha" mesmo, já que o rádio usa 0,5A. E mesmo se o timer usar mais do que os 0,5A que sobram, inclusive com a bobina do relé, dois 7805 fixados numa única tirinha de alumínio, um para o rádio e outro para o timer, tomam menos espaço que esse 338. Ah, se eu soubesse que ia ter que fazer esse timer, rs... Teria feito o "andar" dos componentes com "pé direito" mais alto ou mesmo a caixa mais larga... Mas para esse espaço, sua sugestão é ótima. Será que dá para apagar o que pisca quando o que fica direto acende, e vice-versa? E que tal a sugestão de um único LED bicolor, para ter apenas mais um furo no painel? Então, idealmente e se não estou calculando errado, com C = 10uF, R2 = 150k e R1, 300k. Ficaria assim: 2,2 x 150000 x 0,000 01 = 3,3 segundos ou ainda 0,3Hz Nesse caso, o estado do pino 7 mudaria a cada 52 segundos (0,19Hz); o pino 5, a cada 106 segundos (0,01Hz) e o que interessa, o pino 14 a cada 845 segundos ou 14 minutos (0,00118Hz), o pino 13, a cada 1690 segundos ou 28 minutos (0,00059Hz) e finalmente o pino 15, a cada 3379 segundos ou 56 minutos (0,0003Hz). Para esses cálculos estou pensando em valores comerciais para os resistores, pensando que R1 tem que ser o dobro de R2 e uma rede que resulte em tempos aproximados de meia hora num pino e uma hora inteira em outro. Acho que bastam duas opções (aprox. 30m e 60m) até para facilitar quanto à chave seletora. Na verdade o pedido do usuário foi para aproximadamente um hora, apenas. A planilha que fiz para esse cálculo está anexa. Será que tá certo, isso? cálculo 4060.zip
  5. Não sei se é seu caso mas estou usando um ferro de solda que é vendido com diversas pontas e se propõe a ser também um pirógrafo. Comprei porque era baratinho chinês e porque prometia esquentar mais do que o que eu tinha, um 25w da Tramontina, o chinês dizia que era de 30w. Mas me arrependi, nem com fluxo funciona bem. Quase que esquenta tanto quanto o outro que tenho, que é de 60w e as tais pontas intercambiáveis já estão tudo "comidas"... Achei gozado você dizer, @Andradef31, "como se não houvesse amanhã". No caso desse meu xing-ling não há mesmo: só não usei apontador de lápis, apontei com estilete mesmo. O próximo será, de novo, Tramontina ou Hikari.
  6. Boa noite, @Mestre88, boa noite a todos. Bem... estou cheio de dúvidas. Mas vamos lá. Finalmente fui ver a tal chave que no meio é nada, de um lado é sem trava e do outro é travada. Realmente existe mas achei bem "fraquinha". Não é bem acabada, a tecla é meio bamba dentro da caixinha, os pinos laterais que prendem a tecla na, sei lá como se chama, "cama" da caixinha são menores do que os furos... E também achei essa chave cara: R$ 8,00. Nem procurei mais, comprei uma que trava de um lado e de outro, e no meio é neutro (R$ não lembro bem mas não mais que 2,00), conforme o @Mestre88 sugeriu. A operação, então, vai ficar assim: ligou o aparelho na tomada, não acontece nada. Botou a tecla, digamos, para cima, um LED de "direto" fica aceso sem piscar e o aparelho fica tocando direto; e botou a tecla para baixo, um LED que indica a temporização fica piscando, o aparelho toca por um tempo e depois se desliga, tanto o rádio quanto o LED piscante. Em relação aos LEDs, tô achando meio difícil mas eu gostaria que ficasse assim: ligou na tomada, acende um LED de stand-by (digamos vermelho). Ligou a chave no direto, o LED stand-by se apaga e um outro LED, digamos azul ou verde, fica aceso direto. Ligou no modo temporizado, o LED azul ou verde fica piscando até o tempo se esgotar. E quando isso acontecer, esse LED piscante se apaga e o LED de stand-by volta a acender. Tô achando difícil porque o LED de stand-by ficaria, nesse caso, aceso em dois momentos: com a chave no meio e com a chave embaixo mas com o tempo esgotado... Será que dá prá fazer? Mas tem outra coisa. Estou tentando entender esse CI, 4060 (o que comprei é CD4060BE). Usando os valores do esquema acima, e tirando o diodo D2 só para "calibrar", pelo que entendi, fica: 2,2 x 150000 x 47000 x 0,000001 que dá 15510. Ou seja, esse rede de resistores vai fazer o circuito vibrar a 15,51KHz. Se isso estiver certo, o pino 1, que divide a frequência da rede por 4096, vai alternar entre os estados alto e baixo 3,7866 vezes a cada segundo. Ou, de outra forma, vai ficar alto por 0,264 segundos ( inverso de 3,7866) e baixo por mais 0,264 segundos, será que é isso? Se for, a frequência de "alternação" (existe isso?) no pino 15, que divide a frequência por 1024, será 4 vezes isso. Ou seja, o pino 15 ficará alto por pouco mais de 1 segundo, algo perto de 1,056 segundos, e baixo por mais 1,056 segundos. Nesse passo, o pino que "pisca" mais lentamente seria o 7 (divide por 16 a frequência da tal rede), e o que "pisca" mais rápido seria o 14, que divide 15510 por 16384. Me corrijam, por favor, se estiver errado. Mais uma coisa, se não for abuso: no esquema acima o LED entre o pino 9 e o terra, posto ali para "calibrar" (através de um trimpot em série com R1) vai ficar aceso por 1 segundo e apagado por mais um segundo? Esse pino 9 também alterna entre alto e baixo? E lembrando do último esquema postado pelo @Mestre88, haverá, para fazer esse LED piscar, mais um conjunto "resistor + transistor". (Será que esse LED não poderia ser o que pisca quando no modo temporizado e fica ligado direto no modo direto, no painel?) Também não estou entendendo muito bem esse negócio de estado alto e estado baixo. Estado alto significa que há corrente no pino, e baixo, que não há? Se for isso, qual a polaridade dessa corrente? Ou será que alto significa positivo e baixo, negativo? Por último, estou pensando em, no lugar de deixar um potenciômetro do lado de fora do aparelho, na parte de trás, para que o usuário regule o tempo do temporizador dentro de uma faixa razoável (entre 30min. e 60 min., por exemplo) setada por resistores fixos, colocar apenas uma chavinha discreta, desse lado de trás, que mude a ligação entre um ou outro pino do CI e R4 + Q1, para deixar o temporizador setado, via resistor fixo + trimpot em, digamos, OU 30min. OU 60 min., que tal? P.S.: Relendo pensei... quanto aos LEDs, lembrei que não é verdade que quando liga o aparelho na tomada, com a tecla no meio, não acontece nada. Acontece, sim: o amplificador, que é alimentado com 12v, fica ligado. A chave só serve para o rádio. Talvez fosse boa ideia que o relé fosse duplo para através dele ligar e desligar também o amplificador. Mas como esse amplificador gasta pouca energia e não esquenta quase nada - é PWM, classe D, e já vi gente dizendo que em repouso gasta 17mA -, será que faz mal deixá-lo ligado direto? Se não fizer mal, o esquema de LEDs pode ficar facilitado da seguinte forma: ligou na tomada, um LED bicolor acende no vermelho (com resistor apropriado para 12v). E se a chave for posta do lado "direto", a outra cor do LED, geralmente verde, também se acende, (com resistor apropriado para 5v). E se a chave estiver na posição "temporizador", o verde desse LED ficaria piscando, vermelho, âmbar, vermelho, âmbar, até ficar somente no vermelho, que tal? Tenho lido sobre LED RGB mas o que dá para encontrar facilmente é o bicolor...
  7. Genial, @Mestre88! Não só mas principalmente pela ideia do D3! Grato, caro! E vamos lá: A chave, que é de gangorra de tecla, encontrei na Mult, Rua dos Timbiras aqui em São Paulo. Não tenho certeza mas pelo telefone a vendedora (acho que se chama Daniela) me disse para procurá-la nas gôndolas que a turma lá chama de "feirinha", que custa uns R$ 8,00, garantiu que tem. Ainda falei qua não tinha no site deles, mas ela disse que há muito mais na loja do que no site, principalmente miudeza. E pelo que entendi, tem seis terminais, 3 de cada lado. Ou seja, se entendi o que você disse com "terceiro contato" (que tentei colocar num hipotético ponto vermelho aí em baixo, na extremidade da alavanca), infelizmente não tem. Na posição central da gangorra todos os 6 pinos estão abertos. De outra forma: Posição "do meio" A B C D E F Posição "de cima" (com trava) A B | | C D E F Posição "de baixo" (sem trava) A B C D | | E F Se for assim mesmo, o que dá prá fazer é o seguinte: Na parte externa do painel, apenas um furo de, digamos, 1mm de diâmetro. Na parte interna (MDF de 9mm de espessura), 3 furos de 4mm cada, lado a lado, todos "desembocando" no furinho externo. Um pingo de Araldite pelo lado de dentro, o painel virado prá baixo (mas apoiado de tal forma que aquele pingo de cola escorra formando uma bolinha, uma micro-lente ), pronto! Quem vê de fora vê um único ponto. Aí, em cada furo de 4mm interno, um LED. Em stand-by, o ponto fica vermelho. Ligado direto, o ponto fica âmbar. E no timer, em lugar de "apagado-aceso", o ponto fica "vermelho-fraco, vermelho-forte, vermelho-fraco, vermelho-forte", talvez dando até pra aumentar as resistências R5 e/ou a do LED3 para atenuar seus brilhos. Ou talvez até cada LED de uma cor diferente, no sistema RGB... Será que as cores finais poderiam ficar melhores, que tal? Quanto ao consumo do rádio, diz o datasheet que é cerca de 0.5A, o que parece fazer sentido já que o regulador que tem originalmente nessa placa, um 78M05, é para no máximo essa corrente. O amplificador que usa 12v (PAM8610) vai ficar ligado direto. Mas como é PWM, acho que chamado de "classe D", sem sinal na entrada, acho que não consome quase nada. Mas mesmo que consumisse, estamos ligados na tomada, não estamos vai bateria... O problema é que ligado, o amp vai desgastando a si mesmo. Será que esse desgaste é grande? Bem... Uma dúvida: se a geringonça estiver funcionando no modo temporizado e a gente der um toque extra na chave para o lado sem trava, o tempo reinicia, é isso? Ou não interfere em nada na contagem?
  8. Trafo, pelo pouco que sei, tem essas referências não como um datasheet. São códigos internos combinados entre o fornecedor e a firma que os aplica. Mas sobre esse trabalho... você diz usar a fonte toda ou usar só os trafos num outro circuito? Se você puder dessoldar os trafos da placa em que estão... claro que isso inutilizaria essa placa, mas a relação entre as tensões de entradas e saídas não são difíceis de encontrar com um multímetro. E as amperagens... talvez haja um método científico e os mestres daqui possam te ajudar. Mas dá prá dar um chute (bem impreciso mas, ué, mais ou menos) pelo tamanho e peso...
  9. Pessoal, eu encontrei no comércio uma chave de 3 posições em que apenas um dos lados (digamos o de cima) trava. Tanto a posição do meio quanto a do outro lado (a de baixo) não têm trava. Estou tentando bolar um jeito para o aparelho que vai ficar com o 4060 da seguinte forma: 1 - Ligou na tomada, acende um led de stand-by, digamos vermelho. 2 - pressionou na parte superior da gangorra, a que trava, o led de stand-by desliga, liga um led de "ligado indefinidamente" (verde) e o aparelho fica ligado direto. Para desligar é só voltar essa chave no meio. 3 - pressionou na parte inferior da gangorra, a que não trava, o led de stand-by desliga, liga um led de "ligado por uma hora" (amarelo piscante, que já tem no esquema do @Mestre88 ligado no pino 9 do 4060) e o rádio passa a ser alimentado através do timer. Passou o prazo, o led amarelo desliga, o rádio desliga e o led vermelho volta a ficar ligado. Se essa chave funcionar, a chave NA sobre C2 que o @Sérgio Lembo disse, não será mais necessária. Não vejo como usar o lado que não trava da chave que encontrei como essa NA. De novo lembrei do circuito com aquele relé que se auto-alimenta (relés que se auto-alimentam viraram ideia fixa minha, rs...), só que o que retro-alimentaria esse 2o. relé seria o que já alimenta o relé que alimenta temporariamente o rádio, mas não sei se é o caso. Tentei fazer algo por aí mas não estou conseguindo esquematizar a lógica, nem usando um outro relé (que não seria problema já que esse aparelho só funciona ligado na tomada) nem usando o mesmo relé que alimenta o rádio, só trocando-o por um duplo (DPDT). Talvez a solução não esteja no tal relé auto-retro-alimentado e sim em usar um relé duplo... Mas mesmo não estou conseguindo "chegar lá"... A grande vantagem: apenas um único botão no painel. Como tá ficando, o esquema do @Mestre88 com o LED para "calibrar" R1 e com a alteração sugerida pelo @Sérgio Lembo:
  10. Grato, @Jaime Francisco da Silva. No caso acabei optando por um flip-flop para o aparelho com bateria e num timer para o que é ligado na tomada. Mesmo assim, umas dúvidas: o temporizador com 555 pode temporizar por uma hora inteira sem usar capacitor gigante? E será que o chip 555 consome mais carga ou menos carga do que o 4060, cada um com seus circuitos e relés? Será que um timer com relé e bobina e tudo, no aparelho que usa bateria, não vai tomar carga que poderia ser usada para produzir música? Digo isso porque só com o stand-by flip-flop já vai um pouco da bateria embora, né? Esse esquema de que você fala, se você puder postar, com certeza em outros casos alguém pode consultar...
  11. Fui fazer a lista de materiais e... voltando um pouco no tópico, aquele aparelho que fica ligando e desligando sozinho, questão resolvida com o 555 como flip-flop, tive uma uma ideia para poupar um pouco mais as baterias. Com apenas mais um relé dá para desviar o fornecimento de energia ao som, dependo se o aparelho está ou não ligado na tomada. Se estiver, não tem porque a energia que vai para o radio passar pelas baterias. Será que não precisa do mesmo esquema que temos usado tanto no 555 quanto no 4060 de colocar daquele jeito, um driver (transistor, resistor e diodo) para o relé, já que, quando o aparelho está ligado na tomada, a corrente vem direto da fonte? Por outro lado talvez esse driver faça algo que não sei, como usar menos ou melhor da corrente, no acionamento da bobina do relé... O que faz esse driver? E será que no esquema acima ele é também recomendado ou até necessário? Se for, posso usar os mesmos componentes que a gente está usando para o 555 e o 4060 (R = 4k7, D = 1N4148, T = BC557B) ?
  12. Grato @Mestre88! Tá certo principalmente porque quando o aparelho está ligado, o display do receiver fica aceso. Mesmo assim, se você puder mostrar onde dá prá ligar um LED piscante... E se não for pedir demais, quem sabe esse mesmo LED pode ficar aceso no caso do aparelho estar ligado sem tempo para desligar. Grato, @Sérgio Lembo! Coloquei a chave no lugar certo? Se o tempo estiver esgotado, não precisa forçar a trava do interruptor de 3 posições com liga-desliga, basta dar um toque nessa chave, é isso? E nesse caso, se a pessoa pulsar essa chave antes de terminar o tempo não faz mal, apenas o circuito volta a contar do zero, é isso? E o circuito está ficando assim: Duas questões: 1 - O LED para calibragem está no lugar certo? Pode ser tirado ou substituído por talvez um diodo sem brilho depois da calibragem acertada? 2 - para ter alguma base para calcular os valores de C1 e R1, encontrei essa calculadora: https://www.allaboutcircuits.com/tools/capacitor-Charge-and-time-constant-calculator/ Usando 5v e C1 = 1uF, essa calculadora deu, para 1 segundo, o valor de 1.000.000 ohm (1M). Não sei se essa calculadora está certa mas se estiver... se, no lugar de R1, colocar-se um trimpot de, digamos, 2M? Ou até um resistor de 500k e um trimpot de 1M, que tal? Ou talvez trabalhar com C1 = 10uF e R1 baseada em 100K, a acertar com um trimpot... Qual será mais preciso?
  13. Muitíssimo obrigado, @Mestre88! Umas dúvidas, se não for abuso: E se no lugar de R1 ou R2, eu não saberia dizer qual, fosse colocado um trimpot para "calibrar"? Se for no lugar de R1, um trimpot de, digamos, 100k, e se for no lugar de R2, 300k. Ou até um trimpot em série com um resistor... Digo porque não conheço capacitor variável e o valor ideal pode não coincidir com nenhum valor comercial. Que você recomenda? Outra: se a gente puser uma chave sem trava, ou dando um "pulo" sobre D2 (chave normalmente aberta) ou desligandoD2 do pino 11 (chave normalmente fechada), um pulso nessa chave reativaria o timer por mais um período? Digo isso só para evitar que o usuário fique naquele click-click forçando a chave gangorra, que tal? Se bem que aí a gente corre o risco do cabra pulsar essa chave antes do tempo terminar, algo como "Ah, o tempo tá no fim mesmo, vou catar mais uma hora..." No esquema abaixo coloquei uma chave NA e uma NF mas, se der para fazer isso, apenas uma dessas seria usada. Por fim, tô achando que pode ficar bacana tirar o LED1 e colocar o LED de calibragem no painel. Esse LED poderia também ser ligado no fio que alimenta o rádio de forma fixa. Aí, se esse LED estiver piscando a gente sabe que está no timer, se estiver fixo, no modo fixo, será que funciona? Quanto ao brilho do LED piscando rápido, talvez trocar R2 por 560 ou mesmo fazer um furo menor na madeira do painel, que é de MDF. Se bem que esse furo já é mínimo, tem quase 1mm de diâmetro por fora... Olha o que digo aqui embaixo: Se bem que, nesse caso, quando o rádio ficar ligado no modo fixo, haverá corrente no pino 9, e como o pino 12 está aterrado, mesmo sem alimentação no 4060... será que isso não queimaria algo por dentro do 4060? Eu achei esse esquema do que está interno num 4060 ( http://www.ti.com/lit/ds/symlink/cd4060b.pdf ). E uma curiosidade que a gente não vai usar porque no nosso caso desligou tá desligado. Mas sem D2, onde nesse esquema a gente está dizendo ao 4060 sobre o intervalo em que o pino ficará desligado? Ou o tempo ligado é o mesmo tempo desligado, será que é isso? Muito obrigado de novo, cara!
  14. Vamos ver se estou entendendo: tomando aquele circuito lá em cima, Gadgetronicx, dependendo dos valores de R7, RV1, R2 e C2, os pinos de 1 a 7 e de 13 a 15, que normalmente ficam energizados com 6v, deixam de ficá-lo por um tempo T1. Usando os valores dali, tirando o diodo D1, girando RV1 totalmente para o lado que aumenta o tempo: o pino 15, a partir do momento em que o circuito é energizado, fica energizado por um 90 minutos. Passados esses 90 minutos, o pino 15 fica sem energia durante um tempo T2. Passado esse tempo T2, nesse pino 15 volta a ter 6v por outros 90 minutos. Já o pino 7 fica alternando entre ter 6v por 90 segundos e estar desligado durante T3, é isso? Agora acrescentemos D1. Quando se aplica energia no circuito, todos aqueles pinos de saída apresentam 6v. Passados 90 segundos, o pino 7 desliga e só voltará a ter corrente depois que a chave ligada no pino 12 for pulsada. Já o pino 15 será mantido com energia por 90 minutos, ou seja, 88 minutos e meio depois que o pino 7 for desligado. E depois disso será também desligado. Se ninguém pulsar a chave, o pino 3 será o último a ser desligado e isso acontecerá depois de 24 horas do circuito energizado. Mas se antes dessas 24 horas a chave for pulsada, todos os pinos voltam a ter 6v e o ciclo todo se repete, será isso mesmo? Outra coisa: fiquei pensando sobre o que @Sérgio Lembo disse, sobre a generosidade do projetista em fazer o LED1 piscar a cada 63 segundos. Essa piscada serve para a gente "calibrar" o VR1, é isso? Se for, será que esse pino 9, "Controle", afinal é como aqueles outros pinos de saída? Ou serve apenas para "calibrar", por assim dizer? Se for, será que depois de "calibrado", a gente pode tirar esse LED1 sem que isso afete nada no circuito? Um pouco OFF TOPIC Primeiro agradecer à turma toda, essa ajuda está sendo muito valiosa, imprescindível mesmo. E, bem... comecei esse tópico por causa de uma geringonça alimentada por bateria, que tem umas fotos aí no tópico. Mas essa questão prá mim já está de bom tamanho: vou adotar a parte só do 555 para que, uma vez que o circuito tenha sido desligado por que a carga das baterias foi usada, o 555 desliga o relé, botando o som em stand-by, e só volta a funcionar se alguém pulsar a chave "stand-by/liga" de novo. Ou seja, o som não ficará ligando e desligando sozinho, talvez até danificando algo, sei lá, como fica hoje. Depois de implementar essa chave, se não for estorvo, eu conto como ficou. Mas agora, com esse negócio da gente agregar um timer ao 555... tô achando que já é abusar tanto das baterias quanto do espaço físico. Por outro lado, para uma segunda geringonça, que não precisa do stand-by porque que não usa bateria, é ligada na tomada, o timer baseado nesse 4060 seria o ideal. Quem sabe até tem, no comércio, uma chave gangorra de três posições, como recomenda o @Mestre88, que substitua a que está lá hoje e que só serve para ligar e desligar. Se não, uma lima fácil pode aumentar o buraco da chave atual... Olha essa segunda geringonça aqui: Assim, se os administradores e amigos que estão participando acharem melhor, eu vi que tem um tópico só de 4060... o que decidirem prá mim tá ótimo.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×