Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

rmlazzari58

Membros Plenos
  • Total de itens

    88
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

14

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo - Capital
  • Sexo
    Masculino
  1. Obrigado, @Isadora Ferraz, na verdade fiz a lápis e passei a caneta por cima, em papel vegetal, porque scanear lápis fica ruim, rs... Um dia, quem sabe, aprendo a usar o Paint, hehe... Mas vamos lá: Como assim, inverta a bateria? Inverta o desenho (traço pequeno é negativo?) ou inverta geral? Quanto ao mosfet, qual devo comprar? E vi você dizendo de TO220 (se não me engano), então qual encapsulamento? Para fazer a rede no pino 7, como você disse, precisa comprar mais alguma coisa além do que está no desenho? Aliás, pensando agora na troca do relé por mosfet, será que esses componentes todos servem ou precisa comprar algum (alguns) outros? (Prá falar a verdade, agora estou pensando diferente: 1 - Quando o relé está desarmado (o aparelho está em standby), não precisa led nenhum aceso no painel porque quando a geringonça está ligada, ora... o painelzinho do rádio já fica aceso. Se esse painelzinho estiver desligado, o aparelho está desligado... 2 - E se esse led não existirá, para não ficar gastando carga da bateria, é só colocar mais um botão no painel (além do que chaveia o flip-flop) ou até na parte de trás do aparelho, que aciona o indicador de carga da bateria. Pode ser até um interruptor sem trava: a pessoa quer saber se a bateria está ok, dá um toque: se acender a luz azul (ou verde), a bateria está com 3,6v ou mais; se acender a amarela, precisa carregar. (Nem me fale de led vermelho para indicar que precisa carga porque vermelho é um alarme gritante, rs...)
  2. Fiz um teste carregando 4 baterias 18650 iguais ligadas em paralelo, a partir do zero, usando um módulo TP4056, @Edgon. Carregou mas levou muitas horas (não sei quantas porque fui dormir e no dia seguinte, elas estavam carregadas). Na entrada desse TP4056 coloquei um carregador normal, de celular. Mas poderia ter posto uma fonte com 5v e 3A na saída, que o TP4056 gerenciava. No seu caso, como são baterias diferentes, eu carregaria uma e depois a outra. Ou um TP4056 para cada. Tanto esse TP4056 quanto o carregador normal de celular gerenciam a corrente, a corrente que será disponibilizada para a carga dependendo de quanta carga a bateria necessita. Há um outro módulo além desse TP4056, chamado BMS 1S mas no Brasil é bem difícil de encontrar e não tem led que indique se a carga está completa ou não. Mas parece que é mais robusto, mais seguro que o TP4056. Olha uns links aí: Já para comprar um desses módulos, que já vem até com uma entrada mini usb para conectar a fontes e carregadores, tem bastante no Mercado Livre.
  3. Estava quase saindo a PCB para o novo flip-flop quando me dei conta de que o LED que fica aceso quando o rádio está em standby, ué... bem que podia indicar se a bateria está precisando de recarga. Aí lembrei do tópico do LM35+LM358 Dando uma xeretada pela Internet encontrei um circuito que usa esse TP35+TP358, que acende um LED acima de determinada temperatura e o apaga abaixo de outra temperatura, e que acende um outro LED em movimento contrário ao primeiro, aqui https://circuitdigest.com/electronic-circuits/temperature-controlled-leds-using-lm35 Tentei dar uma juntada nesses esquemas e ficou assim: Só lembrei do resistor de 4,7k entre o pino 3 do 555 e a base do transistor quando já tinha desenhado. A rede de resistores no pino 5 do LM358, calculada por esse site aqui https://www.arduinoecia.com.br/p/calculador-divisor-de-tensão-function.html diz que o resistor que vai para o terra, para a tensão nesse pino ficar 3,5v deve ser de 2,333k. Pensei em botar um trimpot de 5k ali pra dar uma regulada. Gostaria de que os colegas dessem uma avaliada e que dessem um palpite. Avaliada: - Será que funciona? - Será que a parte do circuito que "decide" qual o LED que ficará aceso toma muita corrente das baterias? - Se gastar menos bateria, a rede de resistores do pino 5 do LM358 poderia ser alterada. Por exemplo, se o resistor de cima for de 10k, o de baixo será de 23,333k (trimpot de 50k). Se for de 20k, 46,666k (trimpot de 100k), etc. Será que um arranjo poupa mais as baterias do que um outro? - Quando o rádio for desligado através do flip-flop (chave "B") ainda haverá energia fluindo ao pino 6 do LM358. E o pior, ao pino 4 ainda estará indo o negativo. Isso pode danificar esse CI? Pode ser indesejável, de alguma forma? E palpite: - Se não gastar tanta bateria assim, será que esse teste ficaria legal? Pensei num LED amarelo para indicar que a bateria está ok e num vermelho para indicar que precisa ser carregada. - Botei a chave "A" que é para quando a pessoa, sei lá... for viajar ou souber que não vai usar o aparelho. Ficaria uma chave na parte de trás do aparelho. Será que fica legal? Será que é mesmo necessária? Pergunto isso porque se o aparelho ficar em standby por muito tempo, o LED vai drenar a bateria mas só até a tensão dela chegar a 2,9 volts, já que ela é protegida por um gerenciador de carga TP4056, que desconecta a bateria nesses 2,9v e só volta a reconectá-la nos 3,2v.
  4. Caro @Pedro_1021, se der mate uma curiosidade: onde você comprou essa vitrola? Qual a marca?
  5. rmlazzari58

    Tda 8560q

    Lembrei do tópico do @Pedro_1021, sobre criação de caixas amplificadas para uma vitrola. Com esse chip, se eu não estiver errado, é possível juntar os terras das saídas. E aproveito para perguntar: Como limitar a saída para 25w (os falantes do Pedro são para 20w)? Só no potenciômetro, mesmo? Há alguma forma de limitar o ganho para que mesmo com o pot totalmente aberto o máximo de saída seja esses 25w? Atençao, falei errado. Esse chip não pode juntar os negativos das saídas. O que pode é o TDA1616, por exemplo, mas também o LM3886 e muitos outros cujo negativo é o terra. Nesse TDA8560, pelo que soube agora, não pode.
  6. Pois é, @aphawk. Mas essa foto aí acho que é zoeria, rs... Será que não? OFF TOPIC Mas voltei porque achei que tinha sido injusto, fiquei pensando que pode ter alguém aqui, do fórum, que vende através do ML. De fato comprei uma 10 vezes ali e em nenhuma delas me arrependi ou me decepcionei com a mercadoria, sempre exatamente o que eu esperava. Na verdade em duas delas fiquei foi impressionado com a solicitude do vendedor: em uma delas, optei por "retira" (PAM8610) e quando chegeui a moça estava me aguardando com marido, crianças, mala e papagaio, rs... no carro e, assim que eu peguei a compra, eles foram viajar: era feriado, 1 de Maio! E na outra (MP3, bluetooth, FM decoder), o moço me mandou duas por engano. Quando apontei o engano, ele disse: "Sorte sua, na próxima eu que prsete mais atenção", e deixou por isso mesmo, rs...
  7. Apesar de ser lei, @aphawk, até devolver o dinheiro em compras pela Internet no prazo de uma semana sem nem ter que explicar porque da devolução, é sempre chato. E as despesas de remessa do retorno são do cliente. Para quem mora em São Paulo e tem facilidade de se deslocar, a Compomil trabalha com retira - fica no bairro do Sumaré - e nesse caso negocia até a compre mínima. Se bem que, como diz o ditado, "quem vê cara não vê coração", né? Ou seja, às vezes pode ser que uma falsificação seja tão bem apresentável quanto o original... Você tem razão, tempos difíceis, esses...
  8. entendi... Você diz para usar outro para não desperdiçar, @Mestre88, é isso? O problema é que ninguém envia um transistor pelo correio e estou com dificuldade em me deslocar. Se serve o 549, mesmo sendo desperdício, mando brasa agora...
  9. Gosto de ir pessoalmente à loja física, @BloodCeltics Lopes, o que nem sempre dá. Além disso muitas lojas já tradicionais - mais seguras que o ML, portanto - enviam material pelo correio. É o caso da Multi, Soldafria, Compomil, Dabi e outras tantas. Quase todas têm um valor mínimo para compras, não dá para comprar, sei lá... apenas um transistorzinho. Mas vale dar uma pesquisada.
  10. @Isadora Ferraz e @Mestre88, na verdade é um BC549, estou desinteirando um kit para montar um pré-RIAA da Comkitel, PU-10, que está parado, aqui e que na apostila diz BC548. Dei uma olhada no datasheet e parece que esse 549 também serve. Mandarei ver com ele mesmo. De toda forma, grato!
  11. Caros, vou começar a montar mais um flip-flop, para mais um aparelho de som. Da mesma forma que o primeiro, a função do flip-flop é evitar que o aparelho fique ligando-e-desligando sozinho quando a bateria fica quase sem carga. No primeiro usei uma "misturada" desses circuitos abaixo, com algumas diferenças na PBC final: O real ficou mais parecido com esse último, de Bill Bowden, só que: - não coloquei o resistor de 100ohm e nem o capacitor eletrolítico de 100uF logo na entrada da aliemntação - a alimentação é de 5v - o resistor que vai do pino 3 do 555 à base do transistor é de 4,7k - o pino 4 do 555 vai ao terra via um capacitor de 10uF e vai ao positivo via um resistro de 10k - há, na versão real, um capacitor de poliester, acho... daqueles azuizinhos de plástico, de 100nF, entre o (+) e o (-) da aliemntação, coloquei na PCB grudado no 555 - o transistor é o BC547 Bem... comecei a juntar os componentes e descobri que não tenho mais nenhum transistor BC547, mas tenho um BC548. Pesquisei o datasheet e vi que têm voltagens diferentes, diferença de 15v no coletor-emissor e 20v no coletor-base! Mesmo assim, será que esse BC548 serve? Ou se for usar esse 548, melhor mudar algum resistor, algum capacitor...
  12. Chutes de iniciante: os contatos do relé do soft start da fonte (se é que ela tem um) não estão "colados"? E os capacitores da fonte, aqueles logo antes da saída, será que estão "capacitando" direitinho? Não tem nenhum "estufadinho"? E os reguladores da fonte, será que estão regulando bem?
  13. Desculpe se sou muito iniciante mas... não sei se entendi direito sua questão, @Jaime Francisco da Silva, mas vamos lá: 1 - Você aperta o botão que inicia a contagem. Antes de chegar ao final da contagem, sei lá... no meio da contagem, você quer apertar esse botão de novo e quer que a contagem se inicie do zero? (Pergunto porque se esse timer está acionando um relé, esse relé tem dois lados: quando um está ligado o outro está desligado. E vice versa. Ou seja, quando o tempo estiver esgotado, o relé, se passa a ficar desligado de um lado, passa a ficar ligado do outro. E esse outro poderia re-acionar o carregamento do capacitor, reiniciando a contagem...) Ou 2 - Você aperta o botão que inicia a contagem. Quando a contagem chega ao final, você quer que, automaticamente, o circuito reinicie a contagem do zero EXCETO SE algum outro botão for pressionado. E nesse caso - botão de interrupção acionado - você quer que seja o ciclo em curso o último ciclo? Ou, acionada essa entrada, que a contagem pare definitivamente? Ou Não é nada disso, você entendeu tudo errado, @rmlazzari58 , o que quero é:...
  14. Xi, agora não sei se foi intuição ou chute, @Isadora Ferraz. Técnica com certeza me falta... Na verdade sempre penso naquela analogia entre eletricidade e água, e nessa analogia penso num capacitor como se fosse uma caixa d'água.
  15. Nossa! Tem razão, @Isadora Ferraz não vou montar esse peak hold, rs... Quanto ao consumo, botei o amp no máximo, com uma música cheia de graves ("Recuerdos de Ypacaraí" na voz do Caetano Veloso), fiz como o @Mestre88 falou e deu uns 0,80 (o que? a escala estava em 10A...), que acho que era menos de 1A. Gozado que o amp, alimentado por um carregador de celular (que diz que oferece 2A para 5,30v), nesses gravões, "engasgava", pulava o trecho da música. Aí botei um capacitor de 2200uF/35v entre o + e o -, parou de "engasgar". OFF TOPIC Tem nego nessa Internet afora que gosta de botar terror nos outros. Não vou citar nome mas tem um vídeo no Youtube em que o cara diz que o multímetro pegou fogo e explodiu quando ele foi medir uma corrente, lá. É mole? Por isso que mesmo correndo o risco de perguntar primariedades, prefiro vir aqui... Grato! adicionado 2 minutos depois Como disse aí em cima, @Ricardov a corrente era baixa, o multímetro deu conta. Mas valeu: esse negócio de usar resistor como "shunt" é bem útil de saber.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×