Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

rmlazzari58

Membros Plenos
  • Total de itens

    439
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

153

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo - Capital
  • Sexo
    Masculino
  1. Também dá para fazer a seleção com zener. Y más no hablo porque no le sei, rs...
  2. Que tal: um trafo: secundário 24v uma ponte retificadora 10A um capacitor 10.000uF 25v um conversor DC-DC step down para 10A um potenciômetro multivoltas (para substituir o trimpot que vem soldado na placa do conversor) um voltímetro/amperímetro para até 40v / 10A Relato de alguma experiência: É bem comum LM338K falsificado No uso, o voltímetro digital brilha fraquinho abaixo de 4v. Para tensões abaixo disso fica necessário conectar um multímetro externo. Se procurar tem quem vende no Brasil, talvez ML. Se tiver paciência, China. Só como exemplo: Conversor DC-DC (acho que esse aqui também permite regular a corrente): Potenciômetro: Voltímetro/amperímetro: Algo como: Como fazer uma mini fonte regulável de bancada!
  3. Muito bom! Gratíssimo, Paulo!
  4. Então, Paulão... depois de descobrir que bobina para divisor de frequência não é como as de trafo, de muitas voltas, comecei justamente pelo site do Newton C. Braga, nessa página aqui: https://www.newtoncbraga.com.br/index.php/matematica/10912-como-calcular-e-montar-filtros-divisores-de-frequencia-m283 O foco principal para iniciantes como eu, determinada a faixa de corte e encontrado o capacitor, é como fazer a bobina, qual o diâmetro, o comprimento, quantas voltas e de que fio. Que site você indicaria?
  5. Eastech de 3pol, como esse aqui: https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1241400984-alto-falante-ferrite-3-polegadas-4ohm-15w-aba-virada-c2pcs-_JM?searchVariation=38026856518&quantity=1&variation=38026856518#searchVariation=38026856518&position=4&type=item&tracking_id=4804fcad-7030-4494-ab0b-79811491daa7 adicionado 3 minutos depois Ah, o pessoal daqui, inclusive você, caro Eder, é muito prestativo. Acho legal o clima de colaboração, eu mesmo, dentro do estreitíssimo limite técnico que tenho sempre procuro ajudar... Só tenho a agradecer! adicionado 7 minutos depois No caso desse tópico, por exemplo... como eu nunca tinha pensado em usar bobina para corte de frequência, e quando fui na Internet encontrei gente enrolando quilômetros de fio, rs... pensei que talvez fosse precisar de um enrolador. Mas agora tô vendo que bobina assim, para divisor de frequência, dá para fazer no braço, mesmo. Ufa! rs...
  6. Como não uso o viva-voz nunca, Xará, nem me importei: o alto falante só fica ligado quando o fone estiver no gancho. Mas agora, pensado nisso... tiro o fone do gancho e a chavinha sem trava desconecta o alto falante. Mas se a pessoa quiser usar o viva-voz, a chave externa poderia conectá-lo, num esquema tipo "ou": o falante fica conectado se a chavinha sem trava estiver abaixada OU se a chave externa for ligada... Aí só precisaria lembrar de, terminada a chamada, desligar a chave externa. E nesse caso o esquecimento não faria tanto mal quanto estava sendo esquecer de religar o falante... "Pô, cara, você não atende mais telefone?", rs... Como você disse, o ideal seria... Essa fica para os mestres,
  7. Exatamente isso: só o alto falante não fica estridente mas fica sem os agudos mais agudos. Por exemplo, o tilintar das moedas no início de "Money", do Pink Floyd ou os pratos em "Rock and Roll", Led Zeppelin, ficam "abafados", sem "brilho". Por isso a ideia do tweeter. Mas com o tweeter, usando o tradicional 2u2 em série, fica muito estridente. Pensei, então, em deixar para o tweeter o que estiver acima de + ou - 6kHz e tirar essas frequências do falante. Vou tentar com um indutor de, digamos, 0,1mH e o capacitor... ...de 4,7uF eletro porém não polarizado. A boa notícia é que, por causa do capacitor, a impedância do conjunto fica sendo só a do falante, mesmo. É que no datasheet do amp, apesar de não falar especificamente de impedâncias abaixo de 4ohm, seguindo a curva da distorção (THD + noise), mais ou menos uma impedância de 2,4ohm estouraria essa distorção. Como eu tava pensando que a impedância do tweeter importava, pensei naqueles resistores, lá. Mas como... e Valeu! Bom, esses capacitores de 4u7 eu já tenho. Vou tentar com eles, que já tenho mesmo, mas se não ficar bom, vou atrás de uns de poliester. Agora, para enrolar a bobina, usando a calculadora do site que falei acima (https://m0ukd.com/calculators/air-cored-inductor-calculator/), 0,10mH dá uma bobina de 4cm de diâmetro x 1cm de altura e 42 voltas. Tenho um pouco de fio de cobre envernizado, aqui, mas como não tenho paquímetro confiável, diria que a espessura desse fio é de 0,8mm, mais ou menos. Agora, se o fio puder ser mais fino (a potência máxima que o amp diz que entrega é de 15w), tenho a impressão de que a bobina ficaria menor e mais leve, o que seria bom para uma pequena caixinha de MDF. Esse fio da bobina poderia ser mais fino? E no geral, será que esse caminho tá certo?
  8. Só para registrar, quem sabe serve para alguém? (Vi outras pessoas na Internet reclamando do mesmo defeito, viva-voz ligado direto.) Recapitulando, para o viva-voz não ficar ligado direto, desliguei o alto falante. Só que com isso a campainha do telefone parou de tocar. Então eu botei uma chave do lado de fora do telefone, deixava o alto falante ligado direto e, quando ia atender, desligava essa chave (e consequentemente o viva-voz) e falava normalmente. Só tinha que lembrar de, acabada a ligação, ligar essa chave de novo, coisa que eu esquecia de fazer, rs... Agora fiz uma alteração: colei um botão sem trava e normalmente aberto embaixo da alavanca que, quando a gente põe o fone no gancho, abaixa. Então, quando o telefone tá no gancho, esse botão fica apertado e o viva-voz ligado. E quando a gente atende, o botão corta o viva-voz. Pensando agora: já que a chave externa continua lá, quem sabe dá para bolar algum esquema para, mesmo com o telefone fora do gancho (portanto em uso), usá-la para ligar a viva-voz? Algo, talvez, como interruptores paralelos que acendem a luz de um lado da sala e apagam no outro... pessoalmente não preciso do viva-voz mas para alguém que precise... sei lá, fica aqui essa "novela", rs...
  9. Gostaria de ligar um alto falante e um tweeter em série e estou em dúvida com o seguinte: Segundo o datasheet do amp, a impedância na saída deve ser de 4ohm. Como o falante é de 4ohm e o tweeter de 6ohm, em paralelo o amp vai enxergar 2,4ohm. A diferença entre 4ohm e 2,4ohm é de 1,6ohm, o que parece pouco mas proporcionalmente é bastante... Bem, isso aí só que antes de um filtro que é: um bobina de 0,15mH em série com o falante e um capacitor de 10uF em série com o tweeter. Ainda não fiz a bobina e não sei se dá para medir resistência de capacitor mas talvez essas resistências sejam muito baixas, será? E pensando em evitar que o amp esquente ou distorça, e se eu pusesse em série, na saída do amp, um resistor de 1,5ohm para, digamos, 3w? Aí seria um resistor por canal. Agora, como esse amp é daqueles que tem negativo e positivo na saída (e não positivo e terra), inclusive o negativo de uma canal não pode ser conectado ao negativo do outro, que tal colocar na saída um resistor de 0,82ohm/3w entre o positivo e os falantes e um outro 0,82ohm/3w entre o negativo e os falantes? Seriam dois resistores por canal... Aqui achei esses resistores, tanto de 1,5ohm quanto de 0,82ohm, ambos para 3w.
  10. Andei dando uma estudada e cheguei no seguinte: para a impedância de 4ohm e baseado na tabela abaixo, obtida no mestre Newton C. Braga aqui a bobina que me serviria é de 0,15mH. Através desse site aqui, achei que uma bobina dessas mede 4cm de diâmetro por 1cm de altura e um enrolamento de 51 voltas. Bom, 51 voltas dá para fazer no braço, mesmo, inclusive com o cálculo aproximado do comprimento do fio: 6,5m mais ou menos usando 2 x pi x 2(raio) x 51(voltas). Será que isso aí tá certo? Se estiver, qual a espessura do fio que devo usar? Posso usar um bem fininho para a bobina não ficar grande e pesada? Qual a melhor espessura? E posso sobrepor voltas mesmo que as voltas em cima das outras mudem de diâmetro? Talvez seja importante para saber a espessura do fio: o amp diz que fornece até 15w. O falante é para 15w. Tenho, também, umas dúvidas sobre ligar alto falante e tweeter em série mas acho que aí já ficaria meio off topic. Sobre a bobina aí, será que alguém me ajuda?
  11. Bom, chovi no molhado, mesmo, só agora que vi o manual de serviço. Eu tava pensando que o STK amplificava todas as frequências, só agora entendi que ele só amplifica médios e agudos e que graves são amplificados pelos transistores. Poderoso! rs... E desculpe, de novo.
  12. @tomkill, desculpe se "chovo no molhado" mas tem os capacitores da fonte, também, que se falharem pode causar esses desligamentos. Aliás capacitor dessa capacitância (5800uF, por exemplo) para filtro de frequência (graves, agudos, etc.)... será que esses caps não são os da fonte, mesmo? Também não encontrei o datasheet desse STK 490-110 então não sei se ele tem algum circuito de proteção contra surto de tensão, temperatura, etc. Mas se tiver, pode ser que a proteção interna do chip esteja com problema, dando alarme falso... Falando nisso, se tiver proteção contra superaquecimento e a junção entre o chip e o dissipador não estiver bem justinho no ci (já vi alumínio empenar, como cabeçote de motor), já viu, né? Desliga mesmo...
  13. Aparece clicando. Mas vamos lá... Não consegui ligar, @Isadora Ferraz... coloquei a bateria no lugar certo mas... bom, quem sabe contando a história? Esse aparelho tava na carroça do catador de sucata que bateu aqui prá ver se tinha alguma coisa prá ele levar. Pensando nos falantezinhos e no tecido ortofônico, ofereci R$ 10,00 e o cara vendeu. Quando eu chacoalhei, tinha algo solto lá dentro, como fosse uma pedra. Quando apertei o botão de ligar, alguns leds se acenderam mas logo se apagaram, ficando um único, vermelho. E quando fui conectar o carregador (mini usb) vi que estava todo estrupiado, alguém barbarizou ali com a chave de fenda, acho... Aí decidi abrir. Quando abri vi que o que estava solto era um componente como um cubo, como o que tá marcado embaixo como "B", só que era bem maior e bem pesado, ocupava o lugar marcado na foto como "A". E se no "B" tá escrito 2R2, o que estava no "A" dizia "5R5". Com certeza 2R2 não é 2,2ohm, medida a resistência deu 0,07ohm. Será que são indutores? Ainda mais porque são pesados, parecem ter daqueles núcleos de ferrite... Bom... olhando o lugar que esse componente ocupava na PCB fiquei supondo o que aconteceu: o aparelho ou caiu ou foi jogado com força e o tal de 5R5, que era pesado, desgrudou da PCB. Como não dava mais para receber carga (sem esse 5R5 o positivo da bateria não passa para nenhum outro lugar da placa), a pessoa ficou fuxicando o mini usb até que desistiu e jogou fora. Eu até tentaria recolocar, ressoladr o tal de 5R5 mas, como você pode ver na foto, quando ele saiu levou embora um teco da trilha. Se não fosse isso eu até tentaria usar a placa toda para um par de caixinhas de MDF, que é para poder colocar uma de cada lado do monitor do PC. Mas com a trilha rasgada, desisti. Agora, que você pediu para verificar se tem 12v em algum lugar, soldei aquele fio ali no lugar do 5R5 para ver o que acontecia. E aconteceu dos 3,81v da bateria atravessar o "rubicão", rs... chegou do outro lado. Mas acho que se o tal 5R5 era um indutor, o fio direto não fez a tensão aumentar na saída do MOSFET 2603, marcado como "C" ali em cima. Um chip como o MT3608, que aumenta a tensão (e eu tô cansado de usar em caixinha para levar 3,7v a 5v), não tem ali. Mas como dentro do MT3608 tem um MOSFET parecido com esse 2603, quem sabe não deram um jeito de elevar a tensão sem o MT3608? Programaram em assembler, não em Cobol, rs... O fato é que o amplificador, TPA1330, segundo o DS, exige no mínimo dos mínimos, 4,5v. E a bateria é de 3,7v, podendo chegar, quando acabou de carregar, cheínha, 4,2v. Então alguma coisa tinha por ali que elevava a tensão. Além disso os caps em volta do amp são para 16v, e o pessoal das indústria$ não costuma esbanjar. Porque não poriam um de 6,3v ou até 10v, né? Sei lá... perdido por pedido, eu ligaria uma fontezinha de 5v/2A no lugar da bateria com aquele diodo. adicionado 3 minutos depois Ops! DS do TPA3130 não tô conseguindo enviar, diz que só posso enviar 4,88MB. O DS tem 3MB mas a foto acima tem 2,2MB. Mas tem o link para ele aqui: http://www.ti.com/lit/ds/symlink/tpa3130d2.pdf Se não funcionar, tem aqui: http://www.ti.com/product/TPA3130D2 adicionado 16 minutos depois É fácil fazer isso numa fonte pequenina, dessas de por na parede, Isadora? Onde que teria que mexer?
  14. @Isadora Ferraz, estou com os restos mortais de uma caixa Flip4 dessas aqui, abertos, esperando o cara do MDF me entregar as tabuinhas cortadas para virar mais uma geringonça, rs... (Na verdade vou usar só os falantinhos, e colocar um amp TPA3110.) Então... o amplificador dessa caixinha é o TPA3130 e os falantinhos são para 15w/4ohm. Supondo que o circuito final entregue entre 10w e 15w (para não distorcer), o TPA tem que ser alimentado com algo entre 10v e 12v (gráfico de cima à direita). Certamente o aparelho tem um circuito de aumento de tensão na própria placa, e ainda por cima de entrada variável, já que durante o funcionamento, a bateria fornece entre 4,2v e 3,4v. Acho que se puser 5v direto o step-up embarcado vai ficar até mais feliz, rs... Mas se for o caso de reduzir a tensão para a fonte "fingir" que é bateria, que tal um diodo em série com a fonte? Aí, os 5v vão para 4,3v, que tal?

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda_a_Ler_Resistores_e_Capacitores-capa-3d-newsletter.jpg

ebook grátis "Aprenda a ler resistores e capacitores", de Gabriel Torres

GRÁTIS! BAIXE AGORA MESMO!