Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação In Win Commander 650 W

       
 35.783 Visualizações    Testes  
 9 comentários

A Commander 650 W é uma fonte de alimentação da In Win que tem um visual inspirado no exército. Será que ela é um bom produto? Será que ela entrega sua potência rotulada? Confira!

Teste da Fonte de Alimentação In Win Commander 650 W
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A Commander 650 W é uma fonte de alimentação da In Win que tem um visual inspirado no exército, vem com uma ventoinha de 140 mm, sistema de cabeamento modular e PFC ativo. Será que ela é um bom produto? Será que esta fonte pode realmente fornecer sua potência rotulada?

In Win Commander 650 W
Figura 1: Caixa da fonte de alimentação In Win Commander 650 W.

In Win Commander 650 W
Figura 2: Fonte de alimentação In Win Commander 650 W.

Esta fonte é relativamente pequena, medindo 16 cm de profundidade. Ela tem uma ventoinha de 140 mm em sua parte inferior e circuito PFC ativo, o que permite à In Win vendê-la na Europa. De acordo com o fabricante esta fonte tem eficiência de pelo menos 80%.

Como mencionamos a Commander 650 W vem com um sistema de cabeamento modular, que pode ser visto nas figuras abaixo.

In Win Commander 650 W
Figura 3: Fonte de alimentação In Win Commander 650 W.

In Win Commander 650 W
Figura 4: Cabos do sistema de cabeamento modular.

Apenas o cabo principal da placa-mãe parte de dentro da fonte e é protegido por um acabamento de nylon que também parte de dentro da fonte. Este cabo usa um conector de 20/24 pinos.

Todos os outros cabos estão disponíveis no sistema de cabeamento modular, e o produto vem com sete cabos: um cabo EPS12V/ATX12V, dois cabos de alimentação auxiliares de 6/8 pinos para placas de vídeo, dois cabos de alimentação SATA com três conectores cada, um cabo de alimentação para periféricos com quatro plugues de alimentação padrão cada, e um cabo de alimentação para periféricos com três plugues alimentação padrão e um plugue de alimentação para a unidade de disquete.

A quantidade de plugues é satisfatória para o usuário médio, mas como ela vem com apenas dois cabos de alimentação auxiliares para placas de vídeo você precisará usar adaptadores para converter plugues de alimentação para periféricos em plugues de alimentação para placas de vídeo caso queira instalar duas placas de vídeo muito topo de linha configuradas no modo SLI ou CrossFire, já que este tipo de placa requer dois cabos de alimentação auxiliares cada.

Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta para ser usada atualmente.

Apesar de a In Win ter pago para ter seu próprio número UL, esta fonte é na verdade fabricada pela CWT, que é o mesmo fabricante de outras fontes de alimentação de marcas conhecidas, especialmente da Corsair, da Thermaltake (note que nem todas as fontes da Corsair e da Thermaltake são fabricadas pela CWT) e da brasileira C3Tech. Neste teste estávamos curiosos para ver se este modelo da In Win usa o mesmo projeto de outras fontes fabricadas pela CWT que já testamos (C3Tech PSH750V, Corsair TX750W e Thermaltake Toughpower 750 W).

Esta fonte é na verdade uma CWT-650VH remarcada.

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Nossa cara, eu achava que essa fonte ia ser uma bomba uhuhauuha.

Mas como utiliza o projeto da corsair e de outras gigantes não e estranho esses resultados.

Meu Deus a eficiencia dela e muito boa, gostei dessa fonte.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Excelente fonte. Imaginem se aqui também valesse o sistema de "rebate" do newegg, hein! Aí o preço ía ser muito bom...

O problema do ruído e ripple ao chegar no limite da fonte não é muito inconveniente, até porque quem comprar uma fonte dessas não vai utilizá-la no limite de sua potência o tempo todo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Uma dúvida:

Cheguei a criar um tópico questionando a capacidade da Corsair HX1000W de segurar sistemas mais parrudos, como 2x GTX295 ou 3x GTX285. Até que o Gabriel Torres foi lá e respondeu.

No teste da HX1000W, o Gabriel Torres fala o seguinte:

"Nesta fonte todos os fios são 18 AWG. Seria interessante ver fios mais grossos de 16 AWG em uma fonte de 1.000 W."

Já tanto nesse teste da In Win, quanto no último teste de fontes, que é o da Enermax Liberty ECO 500W (que por sinal, apresente Tópico Inválido no link de comentários), o mesmo Gabriel Torres fala o seguinte:

"Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta para ser usada atualmente."

Eu queria saber em qual Gabriel Torres eu devo confiar?

Ou seria essa diferença por causa da potência?

Acredito que não, pois a conclusão do teste da HX1000W é que ela são duas fontes internas de 500W, e se a In Win que é de 650W pode usar cabos 18 AWG, porque que com a HX1000W seria diferente?

Ou essa bitola de fios não é lá tão importante assim?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Uma dúvida:

Cheguei a criar um tópico questionando a capacidade da Corsair HX1000W de segurar sistemas mais parrudos, como 2x GTX295 ou 3x GTX285. Até que o Gabriel Torres foi lá e respondeu.

No teste da HX1000W, o Gabriel Torres fala o seguinte:

"Nesta fonte todos os fios são 18 AWG. Seria interessante ver fios mais grossos de 16 AWG em uma fonte de 1.000 W."

Já tanto nesse teste da In Win, quanto no último teste de fontes, que é o da Enermax Liberty ECO 500W (que por sinal, apresente Tópico Inválido no link de comentários), o mesmo Gabriel Torres fala o seguinte:

"Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta para ser usada atualmente."

Eu queria saber em qual Gabriel Torres eu devo confiar?

Ou seria essa diferença por causa da potência?

Acredito que não, pois a conclusão do teste da HX1000W é que ela são duas fontes internas de 500W, e se a In Win que é de 650W pode usar cabos 18 AWG, porque que com a HX1000W seria diferente?

Ou essa bitola de fios não é lá tão importante assim?

A bitola do fio é um dos fatores que determina a capacidade de potência que uma fonte pode fornecer...

Fontes acima de 900W o interessante é ver fios de bitola 16AWG.

Talvez o Gabriel Torres tenha escrito isso antes de apurar que a fonte tem dois transformadores internos...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
A bitola do fio é um dos fatores que determina a capacidade de potência que uma fonte pode fornecer...

Fontes acima de 900W o interessante é ver fios de bitola 16AWG.

Talvez o Gabriel Torres tenha escrito isso antes de apurar que a fonte tem dois transformadores internos...

É, no texto o comentário da bitola do fio vem antes do comentário do projeto interno da fonte.

Porém, nesse mesmo parágrafo que fala do projeto, tem-se a impressão que ele já sabia como ela era internamente.

Só o mesmo pra responder.

Mas obrigado pelo esclarecimento.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Porque essa fonte não tem certificado 80 Plus Bronze? :rolleyes:

Será que ainda não foram testado por eles, por ser uma fonte nova?

80 Plus bronze, se não me engano, são para fontes que possuem eficiência mínima de 85%, o que não é o caso dessa fonte.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Uma dúvida:

Cheguei a criar um tópico questionando a capacidade da Corsair HX1000W de segurar sistemas mais parrudos, como 2x GTX295 ou 3x GTX285. Até que o Gabriel Torres foi lá e respondeu.

No teste da HX1000W, o Gabriel Torres fala o seguinte:

"Nesta fonte todos os fios são 18 AWG. Seria interessante ver fios mais grossos de 16 AWG em uma fonte de 1.000 W."

Já tanto nesse teste da In Win, quanto no último teste de fontes, que é o da Enermax Liberty ECO 500W (que por sinal, apresente Tópico Inválido no link de comentários), o mesmo Gabriel Torres fala o seguinte:

"Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta para ser usada atualmente."

Eu queria saber em qual Gabriel Torres eu devo confiar?

Ou seria essa diferença por causa da potência?

Acredito que não, pois a conclusão do teste da HX1000W é que ela são duas fontes internas de 500W, e se a In Win que é de 650W pode usar cabos 18 AWG, porque que com a HX1000W seria diferente?

Ou essa bitola de fios não é lá tão importante assim?

Oi,

A bitola do fio indica a capacidade máxima de corrente que o mesmo pode transportar. Dessa forma, em fontes de potência mais alta (750 W para cima) eu pessoalmente gosto de ver fios com bitolas mais grossas do que 18 AWG. Mas isso é um gosto pessoal e não uma norma técnica.

Respondendo sua pergunta "se a In Win que é de 650W pode usar cabos 18 AWG, porque que com a HX1000W seria diferente", porque no primeiro caso trata-se de uma fonte de 650 W e no segundo, de 1000 W. Fontes com potência mais elevada puxam mais corrente, obviamente. Só que, como um colega postou aí acima, eu escrevi este texto antes de verificar que internamente a fonte usava internamente duas fontes separadas de 500 W. E o meu comentário ficou, portanto, equivocado. Agradeço por chamar a minha atenção, vou remover este comentário do teste da HX1000W.

Se um fio com bitola inferior ao recomendado for usado, o que normalmente acontece é que há uma queda de tensão maior entre a fonte e o equipamento a ela conectado. Em outras palavras, o valor das tensões caem e dependendo de quão "brabo" for esse problema pode cair abaixo do recomendado (5% do valor nominal, 10% para -12 V).

Explicação detalhada e fácil de acompanhar aqui:

http://br.geocities.com/jcc5003/resposta41bitola.htm

Abraços,

Gabriel Torres

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Beleza pura Gabriel,

Mais uma vez, obrigado pelos esclarecimentos.

Em resumo, os fios de 18 AWG acabam sendo satisfatórios na HX1000W então?? Pelo visto sim, né??

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×