Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste do Processador Core i5-661

       
 179.752 Visualizações    Testes  
 46 comentários

Testamos o processador Core i5-661 (3,33 GHz), um dos primeiros processadores com chip gráfico integrado a chegar ao mercado. Inclui uma visão geral dos novos processadores de 32 nm da Intel.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Há alguns anos especialistas previram que no futuro os processadores para computadores teriam um chip gráfico integrado em vez de ter este componente no chipset da placa-mãe ou em uma placa de vídeo discreta. Na verdade, a AMD foi o primeiro fabricante de processadores a anunciar o desenvolvimento de tal solução, chamada Fusion. Porém, a sua concorrente, a Intel é a primeira empresa a lançar produtos baseados nesta ideia (codinome “Clarkdale” para computadores de mesa e “Arrandale” para notebooks). Hoje nós testaremos um dos primeiros processadores com chip gráfico integrado (GPU) a chegar ao mercado, o Core i5-661.

Um dos principais recursos introduzidos com os processadores soquete LGA1156 foi um controlador PCI Express 2.0 x16 integrado no próprio processador. A especulação mais óbvia para o passo seguinte seria o lançamento de processadores com chip gráfico integrado. Quem apostou nesta especulação estava correto.

O que nos surpreendeu foi o lançamento de processadores Core i5 usados esta tecnologia. Normalmente vídeo integrado é reservado para computadores simples, e nós achávamos que apenas a nova linha de processadores simples da Intel, Core i3, teria um controlador gráfico integrado.

A Intel anunciará amanhã seis processadores para desktop: quatro Core i5 e dois Core i3, todos com vídeo integrado. Como o único processador Core i5 lançado até o momento, o Core i5-750, não tem controlador gráfico integrado e começa com o número de modelo “7”, fica fácil assumir que todos os modelos do Core i5 começando com o número “6” têm vídeo integrado. Nos modelos terminados com “0” o chip gráfico integrado roda a 733 MHz, enquanto que nos modelos terminados com “1” este componente trabalha a 900 MHz, que é o caso do modelo que testaremos hoje. Esta regra também é válida para os modelos do Core i3. No slide abaixo você pode ver as principais especificações técnicas desses novos processadores.

Core i5-661
Figura 1: Novos processadores Core i3 e Core i5.

Como você pode ver, todos os modelos do Core i3 e Core i5 que serão lançados amanhã têm dois núcleos e suportam a tecnologia Hyper-Threading, o que significa que o sistema operacional os reconhecem como se tivessem quatro núcleos (a tecnologia Hyper-Threading simula um núcleo adicional para cada núcleo físico do processador; este núcleo simulado é mais lento do que um núcleo físico, naturalmente). O Core i5-750 é um processador de quatro núcleos que não suporta a tecnologia Hyper-Threading. Portanto enquanto que todos os processadores Core i5 são reconhecidos como tendo quatro núcleos de processamento pelo o sistema operacional, no Core i5-6xx apenas dois deles são “reais” (os outros dois são simulados). Portanto outra diferença entre os modelos Core i5 começando com “6” é a presença de dois núcleos com tecnologia Hyper-Threading, enquanto que modelos começando com “7” vêm com quatro núcleos sem tecnologia Hyper-Threading.

Outra diferença importante é que os novos processadores Core i5 têm metade da quantidade de cache de memória L3 se comparado com o Core i5-750 (4 MB vs. 8 MB). Os demais níveis de cache continuam do mesmo tamanho (32 KB + 32 KB para L1 e 256 KB para L2, por núcleo).

Os processadores Core i5 possuem uma tecnologia chamada tecnologia Intel Turbo Boost, que aumenta o clock do processador quando o computador demanda mais poder de processamento (desde que a sua temperatura fique dentro do faixa de operação normal, ou seja, obedecendo o TDP máximo do processador). Nós testamos o Core i5-661 com esta tecnologia habilitada; este processador trabalha oficialmente a 3,33 GHz, mas quando a tecnologia Turbo Boost é habilitada ele pode trabalhar a até 3,6 GHz.

Assim como o Core i5-750, todos os novos processadores têm um controlador de memória integrado suportando memórias DDR3 até 1.333 MHz na configuração de dois canais.

Novas placas-mães são necessárias para os novos processadores, já que placas-mães baseadas no chipset anterior para o soquete LGA1156, o P55, não têm os conectores de vídeo necessários. Três novos chipsets foram lançados para os novos processadores: H57, H55 e Q57. A diferença entre eles e uma comparação com o chipset P55 pode ser vista na Figura 2.

Core i5-661
Figura 2: Novos chipsets.

Todos os novos processadores são fabricados com tecnologia de 32 nm (a versão anterior do Core i5 é fabricado com tecnologia de 45 nm), codinome “Westmere”. Uma das principais novidades trazidas por este novo processo de fabricação foi a introdução de seis novas instruções para criptografia (chamadas AES-NI ou Advanced Encryption Standard New Instructions).

Vamos agora dar uma olhada nos recursos do novo controlador gráfico integrado.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários




Onde se lê "discreta", o autor se refere a placas dedicadas de baixo custo/rendimento, por tanto, na minha opinião não precisa mudar nada.

Ficaria com o core i5 750, quatro núcleos reais e muito superior em quase tudo!

Editado por Dmmart

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

"Há alguns anos especialistas previram que no futuro os processadores para computadores teriam um chip gráfico integrado em vez de ter este componente no chipset da placa-mãe ou em uma placa de vídeo discreta.

Bom review. Eu ia criticar o "em uma placa de vídeo discreta", dizendo que "discrete" em inglês se traduz como dedicada e não como discreta, mas indo mais a fundo na semântica, discreta além do sentido mais comum também significa separado, distinto, descontínuo, destacado, feito de partes distintas, portanto não há erro. Agora é esperar que cheguem ao Brasil com preço justo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Esse processador tem tudo para ser o novo xodó das montadoras de computadores em um futuro breve, cito de 6 meses a 1 ano, nesse momento ele é um lançamento, em breve seu preço deve cair, pense no anuncio “Processador INTEL quad-core 3.3GHz”: obs.: O leigo não sabe o que é um vídeo integrado.

Mais se ler-mos as especificações veremos que ele tem suporte para rodar 2 vídeos em HD simultaneamente. Para computadores de linha “MSN, redes sociais, e-mails, Office, mp3, filmes”, será uma excelente maquina.

Fico imaginando a AMD lançando um Phenon II x4 com uma Radeon 4870 podendo rodar um CrossFireX.

Outra coisa que me surpreendeu muito foi a Intel conseguir um processador gráfico (GPU), com um desempenho melhor do que as GPU´s ATI, talvez a conexão direta com o processador e o clock maior tenham determinado essa vantagem.

Não estou dizendo que este processador é excelente, estou dizendo que a INTEL esta minando um território que até hoje era a casa da AMD, o de computadores mid-end.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pelo que Eu entedi a Intel esta com 3 linhas: I3, I5 e I7. "baixo custo, medio custo, muito custo". Os I5 já são suficientes para dar bucha no phenomI1 BE nervosão. Então quer dizer que para PC ultra High a Intel não tem concorrência, e com esses processadores novos ela também nao terá concorrência poís a AMD não tem processador de mesmo preço para bater de frente.

Meu isso e mau.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acho que o responsável pela tradução é o Cássio Lima, considerando que o Gabriel posta primeiro no Hardware Secrets, então em relação a tradução "placa de vídeo discreta" talvez não seja o que o Gabriel tenha dito ao pé da letra!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

nossa o 661 chegou a passar o 750:o me impressionei

tomara que a AMD responda a isso senao a INTEL vai fazer o que quiser,preços la em cima

nossa ja tem placa-mãe com novo chipset parece que as P55 vai cair o preço lega

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Apesar de ainda ficar com o i5-750, eu gostei deste processador. Quando esse processador abaixar o preço (já que é lançamento), será muito bom.

Honestamente, a não ser que acelerem o desenvolvimento do Fusion, a AMD começará a perder muito terreno.

Não há como botar uma VGA do porte de uma HD4870 num Phenom II, primeiro porque são muitos núcleos para um wafer só, segundo porque a AMD teria que desenvolver uma arquitetura nova (Fusion) para isso, já que o Phenom não suporta.

A AMD não vai decretar falência, pois tem o segmento de VGA (ATI), que anda muito bem, obrigado. Isso é claro se a Nvidia não lançar uma VGA superior pelo mesmo preço, ou inferior (não custa sonhar, né...).

Editado por Marcelo970

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ta legal!.....até agora eu não tava botando muita fé no vídeo onboard desta nova arquitetura........mais depois desses 2 videos, .......AMD que tenha uma carta na manga, e das boas......enfim, 1 video fala por mil palavras......2 então?

Race Driver: GRID on Intel GMA HD

www.youtube.com/watch?v=H7WusC4nZXg

Far Cry 2 on Intel GMA HD

www.youtube.com/watch?v=s5ybWtWfM9I

Editado por bromaluko

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Não vi nada de apavorar ninguém nesse i5, será destinado ao público meia boca, aquele que compra cpu em loja de departamento e quando chega em casa vai instalar um jogo recém lançado e "plam" o jogo não roda, frustrando o cidadão que terá que cair no uso básico. Será uma ótima opção para computadores de escritórios quando o preço baixar mais, por enquanto a plataforma Intel nova está muito cara em relação a AMD.

Já considero que a AMD está dedicando seus produtos à jogos, pois um Phenom 965 com uma nova ATI 5XXX ainda é melhor opção quanto a performance e custo frente aos "i-s" da vida, só precisam desenvolver um processador para dar conta da fúria das HD 5970.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns ao Clube do Hardware pelo ótimo comparativo.

Só gostaria de complementar que somente o núcleo do processador é gravado em 32nm; A parte "uncore" que é onde fica a controladora de memória e o igp ainda é gravada em 45nm.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabens CDH por mais um grande teste.

Lembrando que esse processador tem tambem uma grande facilidade pra overclock, passando dos 5ghz sem muito esforço :P (vi isso em outros testes).

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

5GHz O.O

O Fusion precisa sair logo, e de preferência mais forte que esse Intel. Poderiam integrar uma HD4670 ? (seria um sonho apenas, claro).

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
sugestao

ultima pagina do teste, paragrafo3, linha 3

"uma placa de vídeo discreta..."

não seria melhor dedicada, ao invés de discreta?

Este é o termo oficial usado pelos fabricantes de placas de vídeo e processadores. Este termo vem da engenharia eletrônica, onde "integrado" significa "embutido" e "discreto" significa "montado com componentes avulsos".

Por exemplo "circuito integrado" (um chip contendo vários circuitos dentro) vs. "circuito discreto" (o mesmo circuito montado com componentes, ex: transistores, diodos, resistores, capacitores, etc).

Acho que deviam comparar o video onboard do i-5 com o vídeo onboard HD3300 (790G).

Aí sim seria justo.

Concordo, mas o problema é que vocês não tem ideia da correria que é fazer um teste deste calibre para colocá-lo no ar no dia do lançamento. Com isso muitas vezes não temos "as melhores" peças para fazer o comparativo. Foi o mesmo caso da placa de vídeo, usamos a GeForce 9600 GT porque é uma placa na faixa dos US$ 80 aqui nos EUA, sendo aqui considerada uma placa de vídeo de baixo custo. Mas acho que no geral o teste respondeu bem às dúvidas que a maioria dos usuários terão.

E sobre a saida de vídeo? Ela continuará sendo disponível na placa mãe ou será um adaptador ligado a algum slot?

Bem, isso ficou subentendido em um canto do teste, mas para deixar claro, os conectores de vídeo estão localizados na placa-mãe pois o chipset precisa acessar os pinos do processador que possuem a saída de vídeo e rotear esses pinos aos conectores. Assim só é possível ter vídeo on-board com esses processadores em placas-mãe com os novos chipsets H55, H57 e Q57.

Parabéns ao Clube do Hardware pelo ótimo comparativo.

Só gostaria de complementar que somente o núcleo do processador é gravado em 32nm; A parte "uncore" que é onde fica a controladora de memória e o igp ainda é gravada em 45nm.

Interessante. Na apresentação dada pela Intel eles só falaram que o processador é de 32 nm, não mencionando esta informação.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Resta saber se no quesito preço esta solução da intel vai valer a pena. Ja que a placa mãe não vai mais ter o video integrado, teoricamente o custo do componente é menor e consequentemente seu preço, senão vai ficar a mesma coisa que é hoje. No caso de micros para uso de internet e escritorio por exemplo, a placa mãe representa um custo considerável no preço final da maquina (já com o vídeo incluso).

Muito bom o teste.

Editado por Adriano Silva

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

parabéns pelo teste. Só gostaria de saber se o lançamento de plataformas i3 e i5 influenciarão no preço das i7 860, por exemplo. Ou uma coisa não gera efeitos em outra?

abraços.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

bem, parabéns pelo teste, muito interessante essa solução de processador + vga integrada. Isso irá reduzir os custos de um PC nehalen para o público que não demanda uma VGA veloz.

Mas tenho algumas críticas a fazer sobre os testes com jogos.

Vejamos o que o artigo diz:

Se você roda jogos que não se aproveitam de processadores de quatro núcleos (a maioria deles) você pode comprar um Core i5-660 ou um Core i5-661 para rodar com uma placa de vídeo discreta simples ou intermediária: eles custam a mesma coisa do Core i5-750, mas por causa do clock maior (3,33 GHz vs. 2,66 GHz) eles são mais rápidos. Com placas de vídeo topo de linha o cenário é um pouco diferente, já que normalmente com elas o processador não influencia muito no desempenho de jogos.

putz... isso está tão errado que nem sei por onde começar.

Em primeiro lugar, o CdH testa pouquíssimos jogos para realmente chegar a uma conclusão confiável. Nesses teste foram apenas 2 jogos, e um deles, Half Life episode 2, é uma jogo que usa uma engine de 2004! Que sentido há em testar um jogo ultrapassado em processadores modernos de 2010 como o i5 750 e Phenom 2?

Então vocês chegam na conclusão equivocada de que a maioria dos jogos não faz uso de mais de 2 núcleos, isso baseado em testes que usam poucos jogos, games antigos frequentemente, e usando VGAs modestas como a 9600 GT, que jamais seriam gargalo para um bom processador dual core.

Algum tempo atrás eu fiz um teste no meu processador, o i5 750; reduzindo o clock dele para 1.56 ghz. Então testei vários jogos dessa geração nessa frequencia, usando a ATI 4850, e ele se saiu muito bem. Depois desativei dois núcleos na BIOS, para simular um dual core, e o desempenho despencou, caiu em 8 dos 10 jogos testados. Vejam isso aqui:

http://forum.outerspace.terra.com.br/showthread.php?t=257246

Porque eu baixei o clock para 1.56 ghz? Para forçar um gargalo, pois minha placa de vídeo jamais seria um gargalo para o i5, mesmo com 2 cores desativados. Reduzindo o clock, o gargalo tornou-se evidente quando se usa apenas 2 núcleos. Caso minha VGA fosse um modelo topo de linha, como a 5870, ou GTX 295, ou 5970, aí sim; mesmo com o clock normal do processador haveria um gargalo sério usando apenas 2 núcleos.

Esse teste prova que a maioria dos jogos modernos usam de fato 4 núcleos. Mas se o usuario precisa ou não desses 4 núcleos depende da VGA usada, e no teste do CdH, além de testaram poucos jogos, ainda usam uma VGA fraca como a 9600 GT. Não dá para concluir nada a partir disso.

agora sobre esse comentário:

Com placas de vídeo topo de linha o cenário é um pouco diferente, já que normalmente com elas o processador não influencia muito no desempenho de jogos.

isso absolutamente não faz o menor sentido. Quanto mais rápido for a VGA, mas rápido precisa ser o processador, para evitar um gargalo. O artigo está afirmando o contrário, que com uma VGA veloz o usuario não precisa de um processador veloz :eek:

Gostaria que o CdH revisse sua metodologia para testes de VGAs e testes de processadores em jogos, porque da forma que está, ele leva a conclusões muita erradas.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

eu não gostei do preço dele, ele é somente um dual core com HT ou seja ele não tem 4 núcleos, bom ahh mas no jogo tal ele teve performance melhor que o Phenom, jogos não demandam tanto processamento assim e em tarefas que precisa dos 4 núcleos ele não tem uma performance tão boa.

Resumindo seria minha ultima opção entre os 3 testados, e sim é o dualcore mais rápido que existe mas custando preço de quadcore??

eu não compraria

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Melhor que ATI?!

Nem abriu um jogo... Podre lembra a minha antiga FX5200.

O meu vídeo onboard eu rodo Batman Arkham Asylum a 32~36 FPS normalmente e 25~32 em cenas de ação com overclock de 660MHz (default: 500MHz).

Editado por Roberto91

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Primeiramente, parabéns ao teste do CDH, que realmente fez um teste pelos dois lados da moeda, um pelo desempenho em aplicativos e outro pelo desempenho do IGP.

E uma dúvida: o Core i5 750 rodaria numa boa nessas mobos com chipset H55, H57 ou Q57?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×