Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação Thermaltake Purepower 500 W

       
 90.580 Visualizações    Testes  
 19 comentários

Vamos testar esta fonte de alimentação de 500 W da Thermaltake (W0100RU) e ver se ela é uma boa opção.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A Purepower 500 W (W0100RU) é uma fonte de alimentação simples da Thermaltake que usa o mesmo projeto interno da “nacional” C3Tech PUF-4050S, e neste teste veremos quais são as diferenças entre essas duas fontes. Será que a Purepower 500 W é uma boa opção para os usuários com pouca grana?

Esta fonte é fabricada pela CWT e é uma fonte PUF-405 deste fabricante remarcada.

Ao analisarmos a etiqueta da fonte vimos algo que nos chamou atenção. Em letras minúsculas o fabricante diz que a potência máxima desta fonte é 405 W (o que faz sentido, já que ela é uma fonte de 405 W remarcada, a PUF-405 da CWT), com 500 W sendo a potência máxima de pico. Não dá para entender como um fabricante conhecido como a Thermaltake usa este tipo de “técnica” para ludibriar seus clientes.

Thermaltake Purepower 500 W
Figura 1: Fonte de alimentação Thermaltake Purepower 500 W.

Thermaltake Purepower 500 W
Figura 2: Fonte de alimentação Thermaltake Purepower 500 W.

A Thermaltake Purepower 500 W tem 14 cm de profundidade e usa uma ventoinha de 120 mm em sua parte inferior. Ela não tem circuito PFC ativo, mas usa um projeto interno mais moderno do que o de outras fontes de baixo custo, como explicaremos.

Ela não tem sistema de cabeamento modular e todos os cabos possuem proteção de nylon que não sai de dentro da fonte. Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta a ser usada. Os cabos inclusos são:

  • Cabo principal da placa-mãe com conector de 20/24 pinos, 49 cm de comprimento.
  • Um cabo com dois conectores ATX12V que juntos formam um conector EPS12V, 53 cm de comprimento.
  • Um cabo para placas de vídeo com um conector de seis pinos, 52 cm de comprimento.
  • Um cabo com quatro conectores de alimentação SATA, 50 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores.
  • Dois cabos com quatro conectores de alimentação para periféricos e um conector para a unidade de disquete cada, 52 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores.

Esta configuração não é ruim para uma fonte simples, embora preferíssemos ver os conectores de alimentação SATA em dois cabos diferentes em vez de combinados em um único cabo.

A configuração de cabos usados na C3Tech PUF-4050S é diferente. Nela os conectores SATA são devidamente separados em dois cabos e há um total de cinco conectores de alimentação para periféricos, separados em dois cabos. Por outro lado, os fios são mais finos (20 AWG em vez de 18 AWG) e não há proteções de nylon nos cabos.

Thermaltake Purepower 500 W
Figura 3: Cabos.

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


quem diria em...Thermaltake!

Se a moda pegar, estão logo veremos fontes da Zalman, OCZ, Corsair, Power & Cooling, Enermax enfim...veremos grandes marcas pisando na bola totalmente.

É uma pena ver que as coisas estão mudando assim...para pior!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Primeiramente, não estou aqui para defender ninguem, muito menos A ou B. Mas o que achei interessante da conclusão, foi que vocês não meteram o "pau" digamos assim na TT. Nas outras "pobres coitadas nacionais" desceram o ******... Enfim, para mim, pelo que a fonte ofereceu, é uma B****, preço alto, serio risco de danificar seu pc e outra, falta de respeito com o consumidor, ou seja, o que diferencia a TT da Power Strike? da Empire? da Coletek?

Se uma pessoa te faz mal, você faz mal a ela, agora porque uma pessoa famosa te faz mal, você num vai fazer mal a ela? Para bom entendor, basta a palavra. :D

Entendam bem o meu ponto de vista, num quero criar intriga com ninguém.

Por fim, espero que a minha querida Corsair, Ocz e Enermax, não entrem no clima de festa junina, digamos assim!!! oasdkasdkopadskop :lol:

Abraços :)

Editado por Jarmen Kell

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Thermaltake produzindo produtos bomba? :eek:

Quem vê os preços até acha que é de excelente qualidade, mas depois desse teste...

Só falta a enermax ser da mesma forma, porque putz, que preços enormes :o

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
quem diria em...Thermaltake!

Se a moda pegar, estão logo veremos fontes da Zalman, OCZ, Corsair, Power & Cooling, Enermax enfim...veremos grandes marcas pisando na bola totalmente.

É uma pena ver que as coisas estão mudando assim...para pior!

A Zalman já pisou (vide as 360-APS queimando com pouco mais de 1 ano e meio pela baixa qualidade dos capacitores)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ridículo, pra mim a TT agora é comparada ao mesmo baixo nível de PowerStrike, C3Tech, Spire, etc.

Ainda acredito no dia em que esse tipo de coisa vai acabar. Cada vez mais pessoas estão tendo acesso à internet para se informarem. O processo ainda é bem lento, mas cedo ou tarde essa palhaçada acaba.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Felizmente a Thermaltake está melhorando. Foi em 2005 que postei num outro fórum que todas as fontes Thermaltake eram lixo, com exceção dos modelos Toughpower, que são excelentes:

http://www.adrenaline.com.br/forum/cpu-s-placas-mae-e-memorias/182586-fonte-queimada-garantia-thermaltake-e-vitalicia.html#post3124976

Hoje, porém, a Thermaltake já tem alguns modelos bonzinhos, como os modelos Q-Fan, e é possível (mas pouco provável) que os próprios modelos Purepower mais recentes (com ventoinha de 8cm apenas) também tenham melhorado.

De um modo geral, porém, o nicho de mercado da Thermaltake, Cooler Master e Huntkey sempre foi bem definido: Modelos entrada de linha bem ruins, alguns modelos intermediários, quase sempre apenas dcentes, e os modelos top. O ideal é que esses fabricantes eliminem os modelos-bomba e deixem na entrada de linha apenas os modelos decentes. A Cooler Master talvez esteja começando a fazer isso com as Elite Pro.

Provavelmente essa Thermaltake Purepower 500W é idêntica à C3Tech 400S. Aguardemos os testes para verificar.

Seria ótimo se a coisa funcionasse na base de "marca x é boa" é "marca y" é ruim, como os mais leigos desejariam que fosse e tratam como se fosse. Facilitaria, sim, a compra, a escolha. Mas enquanto insistirem nessa postura, vão amargar essas ilusões e desilusões e ficarem "surpresos" a cada novo teste de produtos. Vê-se que os comentários postados apenas repetem os de janeiro passado para um outro modelo testado:

http://forum.clubedohardware.com.br/teste-fonte-alimentacao/763615?p=4139539#post4139539

Editado por Kayke

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

uma questão que me apareceu agora, qual a diferença dos problemas que ocorrem quando a faixa do -12V fica abaixo do minimo permitido para quando passa do máximo permitido ?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito cara para um modelo de entrada, sem falar no risco de danificar o pc, a Thermaltake deve estar frequentando a mesma escola que a C3-Tech, leadership e outras .....

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Vira e mexe a Thermaltake faz algo meia boca e já vi outros testes de fontes deles também com baixo desempenho. Lembro da época solene dos processadores com die exposto quando eles lançaram o cooler para Athlon e PIII Volcano 6Cu+. Aquela época era comum ver alguém quebrando o die da cpu por causa da pressão absurda no grampo ou quebrando a unha do soquete e tinha os coopershim também para esta mesma cpu que se o usuário não soubesse instalar ou comprasse o modelo errado, o cooler não tocava o die e queimava a cpu.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

thermaltake= c3tech só que mais cara????? sera que a patifaria é das empresas brasileiras mesmo?? adoraria ver toda a indignação movida contra a marca brasileira que paga imposto e emprega pessoas (poucas pessoas mas emprega) agora contra a thermaltake

abraços a todos

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

poxa fica ate complicado em comparar as fontes ne. vamos analisar pelo custo beneficio.

A c3tech é brazileira e o valor dela de distribuidora é de 84 reais enquanto essa é de 60 dolares, pouco mais de 110 reais.

Pruma fonte de 350 w real da pro gasto

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Seria ótimo se a coisa funcionasse na base de "marca x é boa" é "marca y" é ruim, como os mais leigos desejariam que fosse e tratam como se fosse. Facilitaria, sim, a compra, a escolha. Mas enquanto insistirem nessa postura, vão amargar essas ilusões e desilusões e ficarem "surpresos" a cada novo teste de produtos. Vê-se que os comentários postados apenas repetem os de janeiro passado para um outro modelo testado:

http://forum.clubedohardware.com.br/teste-fonte-alimentacao/763615?p=4139539#post4139539

Por esse teste http://www.clubedohardware.com.br/artigos/1220/7 tb já imaginei que ela receberia o selo produto bomba

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Seria ótimo se a coisa funcionasse na base de "marca x é boa" é "marca y" é ruim, como os mais leigos desejariam que fosse e tratam como se fosse. Facilitaria, sim, a compra, a escolha. Mas enquanto insistirem nessa postura, vão amargar essas ilusões e desilusões e ficarem "surpresos" a cada novo teste de produtos. Vê-se que os comentários postados apenas repetem os de janeiro passado para um outro modelo testado:

http://forum.clubedohardware.com.br/teste-fonte-alimentacao/763615?p=4139539#post4139539

Isso funciona sim para algumas poucas marcas de produtos de informática, e isso só se falando de informática, sem citar outros tipos de produtos.

Mas a questão aqui se remonta muito mais no aspecto de respeito ao consumidor do que na superficial análise "marca X" e "marca Y" ruim. Não é porque se trata de uma fonte de linha de entrada e/ou baixo custo que ela deve ser um produto mentiroso e perigoso. Fabricante que faz isso é sim um fabricante ruim mas isso não quer dizer que todos os seus produtos são ruins, mas sim a marca e sua maneira de tratar os que lhe dão lucro. Se não respeita o consumidor, como quer que seja bem reconhecido? Só se o consumidor for muito trouxa.

Temos exemplos de fontes de entrada de linha e de baixo custo da Corsair e 3RSystem por exemplo que cumprem muito bem o que prometem (até mais que isso, inclusive) e esses fabricantes entenderam que não é por esse motivo que se deve ganhar a vida passando a perna nos outros. São exemplos de "marcas X" boas.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Vira e mexe a Thermaltake faz algo meia boca e já vi outros testes de fontes deles também com baixo desempenho. Lembro da época solene dos processadores com die exposto quando eles lançaram o cooler para Athlon e PIII Volcano 6Cu+. Aquela época era comum ver alguém quebrando o die da cpu por causa da pressão absurda no grampo ou quebrando a unha do soquete e tinha os coopershim também para esta mesma cpu que se o usuário não soubesse instalar ou comprasse o modelo errado, o cooler não tocava o die e queimava a cpu.

Verdade.. Fora o fato de que até meu secador de cabelo era mais silencioso

Mas quem diria, Thermaltake fabricando fonte bomba.

Graças a Deus existe esses testes.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Isso funciona sim para algumas poucas marcas de produtos de informática, e isso só se falando de informática, sem citar outros tipos de produtos.

Sim, em se tratando de fontes de alimentação funciona para a Corsair, Seasonic e 3Rystem (essa última com seus dois únicos modelos). Alguma outra?

Mas a questão aqui se remonta muito mais no aspecto de respeito ao consumidor do que na superficial análise "marca X" e "marca Y" ruim. Não é porque se trata de uma fonte de linha de entrada e/ou baixo custo que ela deve ser um produto mentiroso e perigoso.

Eu nunca disse ou pensei diferentemente. Não deviam ser, mas são e você sabe disso tanto quanto eu. Apontei como errada a postura do consumidor mais leigo em tratar a questão como se não fosse assim. Entendo que você não está querendo me rebater, apenas aproveitou o gancho para discorrer um pouco mais sobre o assunto, nem eu estou lhe rebatendo, não vejo diferenças de opiniões aqui.

Fabricante que faz isso é sim um fabricante ruim mas isso não quer dizer que todos os seus produtos são ruins, mas sim a marca e sua maneira de tratar os que lhe dão lucro. Se não respeita o consumidor, como quer que seja bem reconhecido? Só se o consumidor for muito trouxa.

Caso da Seventeam, por exemplo, com suas BAZ, da Huntkey com suas GreenStar, da Cooler Master com suas Power Plus e etc? É isso exatamente o que falei. O ideal é que fabricantes com certo nome no mercado abandonem os lixos e coloquem como entrada de linha pelo menos modelos decentes. O melhor exemplo disso é a Zalman. Nem tudo dela é top, mas lixo ela não tem. Pensamos igual aí. Mas como a realidade é outra, acho radical dizer que se tiver algum produto ruim "é fabricante ruim sim", pois no fim vai sobrar só Corsair, 3RSystem (por enquanto), e Seasonic. OCZ e Zalman não têm produtos ruins propriamente ditos, mas por outro lado também não dá pro leigo ir só pela marca. E você próprio só radicalizou porque esqueceu da Seventeam.:D Existem os que só fabricam ou remarcam lixo, mas entre as fontes de marca sempre houve os modelos bons e ruins para a maioria dos fabricantes.

Temos exemplos de fontes de entrada de linha e de baixo custo da Corsair e 3RSystem por exemplo que cumprem muito bem o que prometem (até mais que isso, inclusive) e esses fabricantes entenderam que não é por esse motivo que se deve ganhar a vida passando a perna nos outros. São exemplos de "marcas X" boas.

Felizmente. Isso explica porque mais de 90% de minhas recomendações vão para modelos desses fabricantes, além da OCZ 400SXS.

Voltando ao ponto de partida:

Isso funciona sim para algumas poucas marcas de produtos de informática, e isso só se falando de informática, sem citar outros tipos de produtos.

Funciona sim também para outros tipos de produtos. Para algumas poucas marcas, como você mesmo diz. E tão poucas são, que nem Asus e Gigabyte escapam. No entanto o que não faltou ao longo dos anos é consumidor leigo comprando placa-mãe-lixo da Asus porque era da Asus e, portanto, considerando ser um excelente produto. Consumidor sempre errou e sempre vai errar com essa postura. Mas o inverso por vezes também ocorre. Eu nunca jamais indiquei ou pensaria em adquirir um produto qualquer da Multilaser. Até que meu roteador pifou em plena tarde de sábado, e, percorrendo a cidade, só encontrei um maldito roteador dela num shopping popular. As lojas tradicionais já tinham fechado. Comprei provisoriamente, rezando para que pelo menos me salvasse o fim de semana, nem que na segunda eu comprasse outro. Mas o roteador está funcionando de modo perfeito e até com algumas vantagens sobre o meu ex-bom roteador de boa marca que pifou. A fonte dele, por exemplo, é bivolt, o outro era só 127V. A configuração dele foi extremamente simples e tem opção em português (embora para mim isso não faça diferença, para muitos é um fator positivo). Ele esquenta menos e consome menos (deu apenas 8W no Kill-A-Watt contra 12 do outro). De modo que até as marcas trash por vezes lançam (remarcam) produtos que não são ruins. O consumidor, assim, tem de ficar atento em comprar produto e não em comprar marca. Quem quer comprar marca, melhor comprar ações da empresa.

Editado por Kayke

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Outro lado do problema é que a fragilidade dessas fontes ruins de marca só são aparentes para quem tem paciência de acompanhar os testes do CdH.

Por exemplo, muita gente monta um computador com um Core 2 Duo e uma Geforce 9500GT e cisma que precisa de uma fonte de no mínimo 500W; o fabricante (ou rotulador) de fontes sabe que uma máquina dessas em full load vai consumir no máximo 190W; mas se rotular sua fonte como sendo de 300W, além de perder a venda para esse público, terá que baixar o preço do produto. Assim ele vende a fonte como de 500W. O consumidor enganado, com sorte, pode viver feliz por uns dois anos com a sua fonte ineficiente, crente de que fez um excelente negócio ao pagar por uma fonte de 500W o mesmo preço ou mais barato do que pagaria por uma Corsair de 380W.

É a mesma cultura que faz as pessoas comprarem processadores pelo clock, placas de vídeo pela quantidade de memória, HD pela capacidade de armazenamento, monitores pelas polegadas e fontes pela potência rotulada.

Como muita gente compra uma fonte de 750 W reais simplesmente por que montou um sistema básico com um Core i3, ignorando que nunca vai precisar da potência máxima dessa fonte, tanto faz para a Thermaltake que têm nome respeitado no mercado e uma linha de produtos de qualidade, vender uma Toughpower XT ou uma TR2 RX: a diferença entre o produto bom e o ruim acabará não sendo descoberta pela quase totalidade das pessoas que comprarem qualquer uma dessas fontes.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

com base nesse teste posso entender que a Purerpower 550w segue o mesmo padrão ou é uma fonte completamente diferente?

Assustei agora, eu tenho uma 550w W0330RU

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário