Entre para seguir isso  
Seguidores 0

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre Fontes de Alimentação

        867.974 Visualizações     5 comentários     Tutoriais   

Tudo o que você precisa saber sobre fontes de alimentação, incluindo cabos, conectores, eficiência, PFC, proteções, padrões, ripple e ruído, estabilidade da tensão, potência máxima, barramentos virtuais e muito mais.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Conexão CA

A primeira coisa que você deve saber é que sua fonte de alimentação precisa ser compatível com a tensão CA usada em sua cidade. As tensões mais comuns são “110 V” (que abrange tensões próximas como 115 V e 127 V) e “220 V” (que abrange tensões próximas como 230 V e 240 V).

A maioria das fontes de alimentação tem uma chave 110 V/220 V ou então pode ser do tipo “automática”, “bivolt” ou “auto range”, o que significa que a fonte pode funcionar em qualquer tensão CA (normalmente entre 100 V e 240 V; a faixa de operação suportada está impressa na etiqueta da fonte de alimentação em um campo chamado “AC Input” ou “Entrada CA”, como você pode ver na Figura 3) e por essa razão fontes com seleção automática de tensão não têm uma chave 110 V/220 V. Normalmente os fabricantes fazem a seleção automática de tensão através do circuito PFC ativo. Portanto todas as fontes de alimentação com PFC ativo são do tipo “bivolt” e não têm uma chave 110 V/220 V. Apenas raríssimas fontes com seletor automático de tensão não terão PFC ativo. Claro que falaremos mais sobre este circuito depois.

Além disso, nem todas as fontes de alimentação que não têm uma chave 110 V/220 V são “automáticas”. Algumas fontes podem operar apenas em determinada tensão e este caso é o mais comum em algumas fontes voltadas para o mercado europeu, que só funcionam em 220 V. Portanto se você vir uma fonte de alimentação sem uma chave 110 V/220 V é sempre bom verificar na etiqueta da fonte a tensão CA em que ela pode trabalhar.


Figura 1: Chave 110 V/220 V em uma fonte de alimentação.


Figura 2: Fonte de alimentação com seleção automática de tensão – não há chave 110 V/220 V. Na maioria das vezes isto significa que a fonte tem PFC ativo.


Figura 3: A faixa de tensão que as fontes com seleção automática podem trabalhar está descrita na etiqueta da fonte de alimentação.

A conexão entre a fonte de alimentação e a tomada é feita através de um cabo de força. Este cabo precisa ter um plugue compatível com o padrão usado em seu país ou você precisará usar um adaptador.

O Brasil adota um padrão chamado ABNT NBR 14136:2002, que possui dois tipos de plugue, o popular plugue com dois pinos redondos e um novo plugue de três pinos redondos que será obrigatório a partir de 2010, adicionando o pino terra. O problema é que fontes de alimentação vendidas no Brasil vêm com o cabo de força do padrão Norte-Americano (NEMA 5-15, ver Figura 4) e, portanto, você tem de obrigatoriamente trocar a tomada da sua casa ou escritório onde o computador (ou no-break, estabilizador, etc) será instalado caso ele não seja do tipo NEMA 5-15. É possível que a partir de 2010 fabricantes oficialmente estabelecidos no Brasil passem a incluir o cabo de força ABNT NBR 14136:2002 de três pinos na caixa do produto.

Outros países podem usar tipos de plugues diferentes (por exemplo, a maioria dos países da Europa usa o plugue padrão CEE 7/7, mas a Inglaterra usa um plugue chamado BS 1363, e por aí vai).


Figura 4: Cabo de força norte-americano.


Figura 5: Cabo de força europeu.

A extremidade do cabo de força que é conectado na fonte de alimentação usa um plugue em formato trapezoidal chamado IEC C13, enquanto que o receptáculo para o cabo de força localizado na fonte de alimentação usa um plugue chamado IEC C14. Outros plugues podem também ser usados nesta conexão, como o IEC C19 e o IEC C20, mas eles não são muito comuns.

Compartilhar



Entre para seguir isso  
Seguidores 0

Comentários de usuários


Existe um erro nos diagramas de pinos dos conectores PEG. O artigo indica no conector de 6 pinos que 3 pinos são 12v, enquanto na verdade só existem 2. Ainda no conector PEG, o de 8 pinos é indicado 4 pinos 12v enquanto só existem 3.

No conector de unidade de disquete (o de tamanho pequeno) contém a numeração dos cabos invertida em relação ao conector de periféricos("MOLEX"), deixando a configuração de pinos mostrada parcialmente errada.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Existe um erro nos diagramas de pinos dos conectores PEG. O artigo indica no conector de 6 pinos que 3 pinos são 12v, enquanto na verdade só existem 2. Ainda no conector PEG, o de 8 pinos é indicado 4 pinos 12v enquanto só existem 3.

Não sei de onde você tirou esta informação, mas ela está incorreta. Em conectores para placas de vídeo (PEG) de seis pinos, três são +12 V e três são terra, enquanto que em conectores de oito pinos quatro são +12 V e quatro são terra. Basta olhar em qualquer fonte de alimentação ou na seção 6.1.8. (Tabela 14 na página 19) da especificação EPS12V. Anexo a tabela para você conferir.

No conector de unidade de disquete (o de tamanho pequeno) contém a numeração dos cabos invertida em relação ao conector de periféricos("MOLEX"), deixando a configuração de pinos mostrada parcialmente errada.

Esse realmente estava errado, corrigi criando uma tabela separada para o conector de alimentação para unidades de disquete.

Muito obrigado por apontar este erro.

Abraços,

Gabriel Torres

post-2-13884965734332_thumb.jpg

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Então, os conectores EPS12v (para placa mãe) são diferentes dos conectores PEG (para placas de vídeo).

No mesmo artigo nós vemos a imagem do conector PEG 6 pinos com adaptador para virar 8 pinos. Neste extra de 2 pinos os dois cabos são pretos, assim não poderíamos ter 4 pinos +12v como mostra a pinagem no fim do artigo.

Segue os esquemas corretos de pinagem que encontrei:

http://www.tomshardware.com/reviews/power-supply-specifications-atx-reference,3061-12.html

Abraços,

Tadeu

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Então, os conectores EPS12v (para placa mãe) são diferentes dos conectores PEG (para placas de vídeo).

No mesmo artigo nós vemos a imagem do conector PEG 6 pinos com adaptador para virar 8 pinos. Neste extra de 2 pinos os dois cabos são pretos, assim não poderíamos ter 4 pinos +12v como mostra a pinagem no fim do artigo.

Segue os esquemas corretos de pinagem que encontrei:

http://www.tomshardware.com/reviews/power-supply-specifications-atx-reference,3061-12.html

Abraços,

Tadeu

Oi Tadeu,

Muito interessante o link que você passou. Acabei de verificar também o seguinte material no site da PCI-SIG: http://www.pcisig.com/developers/main/training_materials/get_document?doc_id=fa4ec3357012d69821baa0856011c665ac770768

Aparentemente tanto eu quanto você estávamos errados.

Na página 7 desta apresentação há uma tabela explicando o significando dos pinos sense0 e sense1. Eles são pinos que formam um código com quatro combinações (00, 01, 10 e 11) para a configuração do conector. Por exemplo, no caso do conector de oito pinos (2x4), se esses dois pinos estiverem aterrados, isso significa que o conector é de oito pinos (2x4) e, com isso, a placa de vídeo pode puxar até 150 W do conector de alimentação auxiliar. Por isso esses pinos são aterrados em conectores de oito pinos, porém esses terras são usados para a configuração do conector...

Espero que agora tenhamos esclarecido essa situação... Ou seja, em conectores de 6 pinos dois pinos são +12 V, dois pinos são terra, um pino não é conectado porém normalmente usado para +12 V e um pino é de configuração do conector. Em conectores de 8 pinos três pinos são +12 V, três pinos são terra e dois pinos são de configuração.

Estou corrigindo o artigo imediatamente.

Muito obrigado por apontar este erro.

Abraços,

Gabriel Torres

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom o artigo, deu pra ter uma visão mais ampla desse componente vital do computador. Agora é ficar bem atento na hora da escolha.   :D

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora