Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Por Dentro do Atari 2600

       
 58.081 Visualizações    Tutoriais  
 18 comentários

Vamos dar uma olhada em um dos consoles de vídeo game mais famosos do final dos anos 1970 e início dos anos 1980, o Atari 2600.

Por Dentro do Atari 2600
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

O Atari 2600, originalmente lançado como o Atari Video Computer System em 1977, codinome “Stella” e mais conhecido simplesmente como “Atari”, é um dos consoles mais famosos da história dos vídeos games. Até o lançamento do Nintendo Entertainment System (“NES”), o Atari foi o campeão de vendas, com 80% de participação no mercado e com mais de 400 jogos disponíveis para ele. Vamos dar uma olhada no hardware deste equipamento.

A Atari foi fundada em 1972 e, antes de se tornar sinônimo de consoles de vídeo game doméstico, a empresa foi responsável por criar os primeiros arcades, como o Pong (o primeiro arcade da história foi o Computer Space, e foi criado pelos fundadores da Atari em 1971). A Atari também começou com a sua própria linha de computadores pessoais no final dos anos 1970 com o Atari 400 e com o Atari 800. A empresa faliu em 1984, parte por causa da quebra do mercado de vídeo game nos Estados Unidos em 1983, parte por causa da má administração e parte por causa do péssimo trabalho de criação do jogo E.T, o Extraterrestre e da versão do Pac-Man para o Atari 2600. Nós falaremos mais sobre este assunto depois.

Durante a sua existência, o Atari 2600 passou por quatro revisões externas.

O primeiro modelo, lançado em 1977, tinha seis botões do tipo alavanca (“power”, “tv type”, “left difficulty”, “right difficulty”, “game select” e “game reset”), um painel frontal imitando madeira e era chamado “video computer system”. Ele também era conhecido como “seis botões pesado” (“heavy sixer”, em inglês), por causa dos seus seis botões e da sua pesada proteção interna contra interferência eletromagnética. Este modelo era fabricado na fábrica da Atari em Sunnyvale, Califórnia, EUA, e normalmente o número de série tinha uma letra no final.

No ano seguinte, a primeira revisão do Atari 2600 foi lançada, com painéis plásticos laterais mais finos e, portanto, mais leve. Por esse motivo esta revisão também ficou conhecida como “seis botões leve” (“light sixer”, em inglês). Esses consoles eram fabricados em Hong Kong, e esta era a maneira mais fácil de dizer qual modelo você tinha. Este é o modelo que mostraremos neste artigo. A versão “leve” era internamente idêntica à versão “pesada”.

Atari 2600
Figura 1: O Atari 2600 “seis botões leve”

Atari 2600
Figura 2: A parte traseira do Atari 2600 “seis botões leve”

Em 1980, a Atari lançou um modelo com quatro botões. Neste modelo, os botões de dificuldade dos jogadores foram movidos do painel principal do console para a parte traseira, próximo aos conectores dos controladores, que também foram movidos para cima. Todas as letras no console foram alteradas de caixa baixa para caixa alta.

E, finalmente, em 1982, a Atari lançou a última revisão do Atari 2600. O gabinete era todo preto, daí o apelido “Darth Vader” para esta revisão. Este foi o único modelo que usou o nome “Atari 2600”, já que as três versões anteriores eram chamadas “Video Computer System” ou simplesmente “VCS”. O nome mudou porque a Atari lançou, no mesmo ano, o Atari 5200, uma versão que deveria ser supostamente o sucessor do 2600, mas o tiro saiu pela culatra porque os dois (pelo menos inicialmente) eram incompatíveis entre si. Este modelo também vinha com o jogo “Pac Man” além do “Combat”, que era o jogo incluso nas revisões anteriores.

Também foram lançados vários clones e versões fabricadas por outras empresas, sobre as quais não falaremos aqui. Diferentemente de outras empresas da época, a Atari permitia que outras companhias projetassem e lançassem suas próprias versões do Atari 2600. Esta foi uma das razões que permitiu ao Atari 2600 se tornar o console de vídeo game líder no final dos anos 1970 e início dos anos 1980. A outra razão foi que a Atari permitia que outras empresas desenvolvessem jogos para o 2600.

O Atari 2600 vinha com um par de joysticks e um par de “paddles” (controladores analógicos baseados em um potenciômetro). O joystick era um modelo digital, ou seja, ele tinha um interruptor para cada direção que você quisesse mover. Você poderia mover o joystick para a direita, mas não poderia dizer o quão à direita gostaria de ir. Os “paddles”, por outro lado, eram controladores analógicos, onde você girava um potenciômetro para dizer o quanto à esquerda ou o quanto à direita gostaria de mover.

Atari 2600
Figura 3: O joystick

Atari 2600
Figura 4: Os “paddles”

Havia outros tipos de controladores opcionais disponíveis, como o “teclado”, que era um teclado numérico similar ao de um telefone.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


eu tive um ATARI e um DACTAR...

tinha um monte de jogos também, tinha um que tinha 64 jogos que tava só chip, mas funcionava na boa.

aquela peça plástica do controle eu tinha de sacola:lol::lol::lol:, por causa do jogo Decathlon.

Bons tempos...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

adorei o artigo sobre o atari muito boa iniciativa

acho que faltou falar e mostrar a caixa do console, números de vendas e um pouco dos principais jogos rodando no VG (você poderia até se divertir com alguns, até hoje eu jogo enduro e pitfall)

esse console que você desmontou ainda funciona ?

tive vários vídeo games e o atari foi o meu primeiro poderia mostrar o controle por dentro também, pois sempre quebrava a alavanca rsrs

adoraria ver um artigo sobre o NES

GT quais serão os próximos vg a serem analisados ?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Também gostaria de um artigo sobre o NES que foi o meu primeiro video game (CCE Top Game 9000).

Gostei muito do artigo e me deu vontade de comprar um atari.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu tive um desses quando era moleque, e também tive um CCE o melhor jogo era do Snoop contra o Barão Vermelho, o Snoop voava na casinha de cachorro dele, tinha que abater os aviões ganhava mais pontos quando abatia os aviões vermelhos, também tinha que pegar umas paradas que vinham vuando pra ganhar mais pontos era muito, muito irado, muito bom o jogo, passei madrugadas jogando escondido dos meus pais na época.

Apropósito muitos dos cartuchos do Atari serviam no CCE e vise e versa, deu até saudades e muita saudade.

Juntao

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Caramba, eu ainda tenho o meu atari, só não sei qual o modelo dele, ele tinha uns 100 jogos na memoria, lembro de ficar marcando o tempo para poder apertar o botão para escolher o jogo. O único problema dele são os controles, estão quebrados.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Excelente artigo.

Tenho um Master System II aqui, deu até vontade de fazer um "por dentro" com histórias desse console.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Na verdade a Atari tentou impedir judicialmente a produção de jogos por outras empresas para o seu console, mas acabou chegando a um acordo, permitindo a produção dos jogos mediante pagamento de royalties.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bacana esse artigo. Eu tb tenho uns artigos antigos de revistas e jornais americanos mostrando todos os componentes de todos os Atari (2600, 5200, 7800), mas é sempre bom reler.

Eu e meu irmão ganhamos esse Atari 2600 em 1982. O modelo era exatamente esse que serviu de base para o artigo: com 3 botões na frente e com opção de colocar o canal 3 ou 4.

O aparelho tá na casa dele e ainda funciona. Combinamos de nunca vendê-lo, assim como nunca venderemos nosso NES, Genesis, Master System, Super NES, nossos computadores da década de 80 etc. Gostaríamos de abrir uma pequena sala com todas essas bugigangas, mostrando suas histórias e seus componentes. Quem sabe, um dia...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Saudoso Atari eu só tive um porque jogarão foram um num prédio que meu pai trabalhava como porteiro ai ele resolveu trazer pra mim nessa época já tinha um master system mais como era vídeo game eu aceitei e logico, dava muito calo das mãos jogando aquele jogo decaltilon quase que quebrava aquela alavanca de plastico, foi só uma experiencia mesmo, fora que antes eu jogava cce que cabia mesmo cartucho de Atari nas casas dos meus amigos, depois mais tarde eles resolveram fazer o Atari jaguar, esse ai nunca vi nem jogo sequer.

Editado por Gabriel Torres
gramática

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
tinha um monte de jogos também, tinha um que tinha 64 jogos que tava só chip, mas funcionava na boa.

Pouca gente se dá conta, mas esses cartuchos com vários jogos juntos eram, na maioria das vezes, cópias piratas de jogos. Infelizmente no Brasil muitos cartuchos eram cópias ilegais.

acho que faltou falar e mostrar a caixa do console, números de vendas e um pouco dos principais jogos rodando no VG (você poderia até se divertir com alguns, até hoje eu jogo enduro e pitfall)

Vamos lá. Número de vendas: tem na Wikipedia para os EUA, não temos para o Brasil:

http://en.wikipedia.org/wiki/Video_game_console_sales

No caso do Odyssey nós colocamos vídeos por causa do módulo de voz, desconhecido no Brasil. No caso do Atari, basta ir no YouTube que você encontrará centenas de vídeos com os jogos, por isso preferimos não produzir os nossos.

esse console que você desmontou ainda funciona ?

Está com um mau-contato que eu estou tentando resolver, às vezes ele para de funcionar.

adoraria ver um artigo sobre o NES

Será feito, mas o NES é mais novo que os video games que eu quero abordar antes, se você reparar estou indo em ordem cronológica. Além disso, eu já comprei uns computadores raros antigos para escrever sobre. Ou seja, será feito, mas tenha paciência!

GT quais serão os próximos vg a serem analisados ?

Eu estarei antes abordando alguns computadores antes de retornar aos video games, mas abordarei o Intellivision primeiro antes do NES.

A propósito muitos dos cartuchos do Atari serviam no CCE e vise e versa, deu até saudades e muita saudade.

Isso ocorria porque seu video game da CCE era um clone do Atari 2600. Ou seja, para todos os propósitos, ele era um Atari.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom o artigo ! Parabéns, aguardamos os próximos.

Outra ideia simples e ótima foi a de exibier os artigos em ordem cronológica.

:cool:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu me lembro daqueles cartuchos 4x1 onde era necessario mudar duas chavinhas para escolher os jogos...tinha varios deles....

Adorava jogar Atari e gosto de jogar até hoje, graças as emuladores....

alguns dos jogos que eu gosto de jogar são: River raid, Enduro, Seaquest, Keystone, Frostbit , Pitifall, Demon Atack, Dragon fire, Laser gate, entre outros ....

É impossivel enjoar desses jogos, que são mais divertidos do que muitos jogos modernos...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Podiam falar do telejogo.

Dar uma comentada na placa dele.

To com o meu parado.

Mas bateu uma nostalgia vendo esse do atari.

ET era realmente nojento, pior até que superman.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O primeiro vídeo-game que eu tive, o meu irmão achou num ferro velho e eu consertei "estava com o regulador de 5V queimado", eu acho que tinha uns 12 ou 13 anos na época e adorava eletrônica.

Passava horas e horas dias e dias jogando River raid, Enduro, Frostbit e Pitifall tentando chegar no final deles.

Cada pessoa pegava um tique diferente pra jogar, uns faziam o controle percorrer quase a sala inteira, outros movimentavam mais o corpo que a própria alavanca e eu balançava um dos pés "pelo menos o meu controle durava bastante (aquelas chapinhas dos contatos colados com durex e aquele plástico que os acionavam eram horríveis)".

Bons tempos em que os jogos não eram quebra cabeças ou de matanças com gráficos quase realisticos e que se termina em 3 dias se jogando 2 ou 3 horas por dia.

Dá pra se lembrar da emoção que se sentia na época, mas ela não seria a mesma nos dias de hoje em que a gente se acostumou a coisas tão sofisticadas e tão mais modernas.

Lembro também do tk95x que eu tive "também consertado" e que tinha que escrever linha por linha em basic ou então gravar em fitas de audio , na época eu me arriscava a fazer alguns programas tipo jogo da velha que por ter poucas jogadas possíveis e eu tinha colocado todas as possibilidades no programa quase nunca dava pra ganhar da maquina, e um jogo tipo 21 que passei uns 2 meses escrevendo a lógica e calculando as posições das cartas tentando usar um pouco de assembly do Z80 ou 81 nem lembro direito, era coisa de maluco aquilo, boa parte dos meus neurônios devem ter cometido suicídio na epoca.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Meu primeiro VG também foi um DACTAR com aqueles cartuchos com 2 chaves atrás. Cada cartucho tinha 4 jogos. Mas eu nasci em 86 e ganhei ele acho que em 90, para ver como sempre fomos atrasados nisso.

Dele pulei para o Mega Drive 2, baita diferença.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

hm. Gostei dessa área.

Quando criança meu pai comprou um Mega Drive 2 (SEGA). Ele ja vinha com uns 65 jogos na memória interna. Eu, meu irmão e meu pai jogamos tanto que o botão de setas quebrou e colocamos um parafuso. Lembranças boas.

Mas falando sobre o ATARI, nunca joguei, nem o vi funcionando. Já vi algumas carcaças numa loja de eletrônicos.

Gabriel, Parabéns ai. Sucesso para você e toda a equipe.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu quero sim abordar o Telejogo e outros equipamentos jurássicos... O negócio é encontrar... ;) Mas pode deixar que eu vamos abordar mais cedo ou mais tarde.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×