Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Teste do Headset Flux da SteelSeries


     18.794 visualizações    Áudio    3 comentários
Teste do Headset Flux da SteelSeries
Produto Recomendado

Introdução

Com o celular cada vez mais presente como plataforma de entretenimento digital (games e multimídia), é natural que o usuário queira um headset que possa servir tanto para jogar em um desktop/laptop quanto para ouvir música e realizar ligações em um telefone móvel. O modelo portátil Flux, da SteelSeries, atende a essas necessidades e ainda oferece vantagens como cabos de borracha que não se enroscam e capacidade de personalização. O produto é vendido em uma edição padrão e outra de luxo, com mais acessórios. Recebemos a edição de luxo para avaliar, mas primeiro falaremos do headset em si, depois descreveremos os acessórios e avaliaremos seu desempenho.

Flux
Figura 1: Headset Flux

O Flux é um headset de tamanho médio com auriculares posicionados sobre a orelha, sem tapá-la. O corpo dobrável conta com fones que giram no próprio eixo, e cada lateral tem uma dobradiça conectada à haste superior, que é vazada e emborrachada. Além do ajuste de tamanho em cada lateral, a haste também é muito flexível e abre bem para aceitar várias dimensões de cabeça.

Flux
Figura 2: Corpo dobrado

Flux
Figura 3: Haste vazada e emborrachada

Não há cabos fixos ao headset. Cada auricular tem uma saída própria de som, onde o usuário pode escolher em qual irá plugar o cabo. Para dar um toque pessoal ao Flux, é possível trocar por outros modelos o acolchoamento dos fones (embaixo fica o slogan “vencer é tudo/winning is everything” da SteelSeries) e os discos externos, que são presos magneticamente. A edição de luxo inclui dois discos pretos e dois modelos que imitam um circuito integrado, com a marca Flux no meio.

Flux
Figura 4: Alto-falantes e discos externos


Comentários de usuários

Respostas recomendadas

O fato dele não ter boa ambientação de som, isso é pelo fato dele ser um fone closed. Se não há saída pro som sair do fone, a propagação do som é distorcida e assim fica mais difícil distinguir efeitos sonoros em jogos, diferente de um fone open, que é justamente o contrário. Não é a toa que fones closed são mais indicados para quem gosta de música eletrônica (mais ouvida em lugares fechados) e os open para rock e músicas que são tocadas em show, já que são músicas mais tocadas em lugares abertos. Além disso, não é correto afirmar que o soundstage é ruim por ser stereo pois isso também depende da qualidade do alto-falante do fone. Tem muito fone 5.1, 7.1 que perde pra fones stereo justamente porque a maioria deles não possuem speakers de qualidade, por causa de falta de espaço ou economia do fabricante.

O Flux tem bons speakers stereo, fazendo que ele seja melhor que muito fone gamer (mesmo fechado) e que ele tenha bom desempenho nas músicas de rádio, como foi mostrado no review, mas não ficaria com ele não. Ao invés dele, procuraria o AudioTechnica AD700 que é um fone open mais versátil custando o mesmo comprando o microfone separado, como um Zalman MIC ou um Samson Go Mic. Não, não é tão prático que ter um headset, mas é mais vantajoso nos jogos online que uma solução de microfone embutida.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...