Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Tudo que você precisa saber sobre discos rígidos ATA-66, ATA-100 e ATA-133

       
 249.923 Visualizações    Tutoriais  
 1 comentário

Veja como obter o máximo de desempenho com discos ATA-66, ATA-100 e
ATA-133. Não é só uma questão de conectar o disco rígido ao micro!

Tudo que você precisa saber sobre discos rígidos ATA-66, ATA-100 e ATA-133
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Teoricamente um disco rígido ATA-33 trabalha com uma taxa de transferência máxima de 33 MB/s, um disco rígido ATA-66 trabalha com uma taxa de transferência máxima de 66 MB/s e assim por diante. Mas para alcançar a taxa de transferência máxima de um disco rígido ATA-33, por exemplo, não basta simplesmente conectá-lo ao computador. Muitas vezes, você não consegue obter nem mesmo uma taxa de transferência próxima da taxa máxima que o disco rígido consegue operar. Nesse artigo explicaremos porque isso acontece e como configurar corretamente o micro para obter a taxa de transferência máxima que o disco rígido é capaz de oferecer.

Você pode verificar qual é taxa de transferência que o seu disco rígido está operando através do programa HD Tach, disponível em nossa área de download. A Figura 1 foi tirada de um micro com um disco rígido ATA-66. Como você pode ver, a taxa de transferência máxima obtida pelo disco foi de apenas 8,2 MB/s, e mais de 90% de utilização do processador.

Tudo que você precisa saber sobre discos rígidos ATA-66, ATA-100 e ATA-133
Figura 1: Disco rígido ATA-66 obteve uma taxa de transferência de 8,2 MB/s e 92,7% de taxa de utilização do processador.

Este artigo explica os motivos pelos quais discos rígidos não conseguem atingir suas taxas de transferências máximas e como configurá-los de acordo. Após a leitura desse tutorial e de aplicar os conhecimentos aqui ensinados, você deverá alcançar algo como mostrado na Figura 2, onde o mesmo disco rígido, no mesmo computador, obteve uma taxa de transferência de 46 MB/s e 2,7% de utilização do processador.

Tudo que você precisa saber sobre discos rígidos ATA-66, ATA-100 e ATA-133
Figura 2: Após a correta configuração do computador, o disco rígido obteve uma taxa de transferência de 46 MB/s e utilizou o processador apenas 2,7% do tempo.

Você deve ter em mente que a taxa de transferência anunciada pelos fabricantes (66 MB/s, 100 MB/s, 133 MB/s etc.) raramente é alcançada, como você pode ver na Figura 2, onde um disco rígido ATA-66 alcançou 46 MB/s. Mas muito melhor do que os 8 MB/s obtidos anteriormente.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários


alguém saberia se se eu colocar a placa mãe para controlar a tranferência entre hd e memória ram poderia reduzir a vida util da placa mãe e, se eu estaria comprometendo o desempenho de alguma forma ao deixar a placa mãe controlar a transferência? :bye:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×