Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Mitos do hardware #05: fabricantes de antivírus criam vírus


     10.889 visualizações    Software    15 comentários

Comentários de usuários

Respostas recomendadas

O mito do antivírus está muito ligado também ao "mito do vírus"; muita gente associa qualquer comportamento errático do PC à ação de um vírus; por exemplo, a maior parte da quantidade enorme de vírus que infectavam computadores há alguns anos atrás causando travamentos, desligamentos aleatórios, BSOD eram do tipo "vírus fonte genérica". Havia também o "vírus capacitor estufado"; os "vírus driver incompatível" e "vírus banda larga fajuta" persistem até hoje.

Particularmente, o único vírus verdadeiro que infectou meu PC, na época um 586, foi um NATAS; na ocasião consegui salvar documentos e MP3 gravando em CD pois esse vírus não conseguia se infiltrar em arquivos não executáveis.

Eu acredito que existiam muito menos vírus circulando do que as pessoas temiam, mas havia relatos de vírus monstruosos: os mais temidos eram os que destruíam o hardware, se instalando no Setor 0 fazendo perder não só os dados mas o próprio HD ou na BIOS, inutilizando a placa-mãe ou alterando voltagens para queimar o processador, as memórias ou a placa de vídeo.

Hoje em dia acho, e apenas acho, que a intenção de quem dissemina pragas virtuais não é mais destruir dados e hardware, mas sim roubar informações, espalhar propagandas ou programas não autorizados (esse tipo de praga meu PC já pegou).

Porém, com ódio que os fanboys têm das marcas rivais à sua favorita, se descobrissem como criar um vírus que destruísse somente o Hardware da concorrência, aí sim teríamos uma verdadeira epidemia virtual.

 

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Staionof, eu penso que as pragas mais perigosas são aquelas que se instalam na sua máquina sem o usuário imaginar que algo está acontecendo ali. Porém, algumas praguinhas são irritantes e podem causar pequenos prejuízos, principalmente no local de trabalho, mas isso é por negligência do usuário.

 

Não sei se já foi produzido algum conteúdo sobre "forma utilização de antivírus" nesse novo formato do CdH, mas acho que seria bacana o Mestre @Gabriel Torres abordar outros mitos desse assunto. Vejo frequentemente pessoas terem "problemas" pelo excesso de antivírus instalados em máquinas simplórias, onde alguns usuários chegam a colocar meia dúzia de programas dessa natureza, derrubando drasticamente o desempenho do computador.

 

Outro problema que vejo muito (principalmente no ambiente de trabalho), é o fato do sujeito achar que por ter um antivírus instalado (do tipo 'crackeado' srrsrs), já o torna 100% isento de qualquer risco de infecção.

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Meu PC pegou uma dessas praguinhas suspeitas; era o quarto processo que iniciava com o S.O. e deixava o processador em 60% de uso. Até hoje não sei o que ela fazia, mas consegui descobrir qual era o processo, localizei a pasta em que se instalava, descobri o "neymar" instalava a praga (mea culpa), mas não conseguia removê-la da inicialização; era possível parar o processo através do Gerenciador de Tarefas, removê-lo da inicialização e até apagar a pasta aonde se encontrava; mas ao reiniciar o PC, lá estava ele e sua pasta novamente; nem mesmo excluí-lo pelo Hiren's resolvia o problema em definitivo; muita gente na Internet relata esse problema, mas nenhuma solução funcionou. Só me livrei dessa praguinha formatando, mas por um lado foi bom, por que desisti definitivamente de jogos com crack; é por onde as pragas silenciosas se imiscuem com mais frequência e faciidade.

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Também tem outro motivo: Boa parte dos funcionários contratados (na época da moda) sabiam ou criavam algum tipo de vírus/worm/trojan. Até faz sentido: eles conhecem os métodos de invasão e como prever um "ação incomum".

Semelhante o que ocorre hoje com os "Hackers" (os verdadeiros), eles invadem tal pagina ou software, delatam a empresa responsável, ganhando recompensas e até um emprego. Vide o "Project Zero".

Ai a falácia popular ganhou um impulso estrondoso.

Mas eu recomendo mesmo o desuso de antivírus de terceiros, para um usuário consciente. Pra esse tipo, apenas o Firewall é mais que suficiente, talvez até o Windows Defender para usuários da MS.

Mas sempre vai existir leigos que caem baitclick da web ou usuários "extremos" (P2P,extensões,instaladores de 3º, etc..) que depositam sua confiança em pacotes "FREE License".

Eu usava e ao longo do tempo percebi a total inutilidade para mim. Nunca achava nada (as vezes, em pendrives e errava, nos meus próprios códigos). Bloqueava coisas que estava fazendo e precisava de agilidade (desde games até o Office/Libre). Era um Adware que ficava flicando na tela o tempo todo, o uso de recursos da maquina era absurdo (deve ter diminuindo, já que a tecnologia evoluiu), 20% da RAM e 10% de CPU só nele. E finalmente, os malditos Spans na caixa de entrada do Email (quem não lembra: "Compre agora o pacote Premium e ganhe 70% de desconto).

Pra mim, já foi essa era.

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Administrador
10 horas atrás, Staionof disse:

a maior parte da quantidade enorme de vírus que infectavam computadores há alguns anos atrás causando travamentos, desligamentos aleatórios, BSOD eram do tipo "vírus fonte genérica". Havia também o "vírus capacitor estufado"; os "vírus driver incompatível" e "vírus banda larga fajuta" persistem até hoje.

Hahaha essa foi boa! Obrigado pelo senso de humor!

 

9 horas atrás, Faust0 disse:

Não sei se já foi produzido algum conteúdo sobre "forma utilização de antivírus" nesse novo formato do CdH, mas acho que seria bacana o Mestre @Gabriel Torres abordar outros mitos desse assunto. Vejo frequentemente pessoas terem "problemas" pelo excesso de antivírus instalados em máquinas simplórias, onde alguns usuários chegam a colocar meia dúzia de programas dessa natureza, derrubando drasticamente o desempenho do computador.

 

Outro problema que vejo muito (principalmente no ambiente de trabalho), é o fato do sujeito achar que por ter um antivírus instalado (do tipo 'crackeado' srrsrs), já o torna 100% isento de qualquer risco de infecção.

Excelentes sugestões. Anotadas.

 

5 horas atrás, zOpek disse:

Semelhante o que ocorre hoje com os "Hackers" (os verdadeiros), eles invadem tal pagina ou software, delatam a empresa responsável, ganhando recompensas e até um emprego. Vide o "Project Zero".

Ai a falácia popular ganhou um impulso estrondoso.

Isso dá um bom material educativo em nosso site também! :) Anotei aqui.

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membro VIP

Chefe, essa que você citou sobre a indústria farmacêutica é uma que muita gente acredita, basta ver o tanto de chorume que se destilou por aí com o caso da fosfoetanolamina.

Tem gente que acredita nisso mesmo, sem nenhum embasamento para tal, só no achismo.

 

Mais um viés de confirmação. :(

 

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

8 horas atrás, Evandro disse:

Chefe, essa que você citou sobre a indústria farmacêutica é uma que muita gente acredita, basta ver o tanto de chorume que se destilou por aí com o caso da fosfoetanolamina.

Tem gente que acredita nisso mesmo, sem nenhum embasamento para tal, só no achismo.

 

Mais um viés de confirmação. :(

 

No caso da indústria farmacêutica , não da para colocar a mão no fogo não.... Eu não duvido que existam grupos por ai que ficam criando doenças só para vender remédios depois  .... Eu falo isso porque existem  médicos que receitam muitas coisas desnecessárias por ai , incluindo cirurgias, remédios ,implantes, próteses, tratamentos, etc ...    Em fim gente safada existem em todos os lugares.... 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membro VIP
7 horas atrás, zex disse:

Eu falo isso porque existem  médicos que receitam muitas coisas desnecessárias por ai , incluindo cirurgias, remédios ,implantes, próteses, tratamentos

 

Indústria farmacêutica não é médico. ;)

E tem uma diferença entre ganhar comissão e inventar doença, mas, isso vai render um offtopic gigante. ^_^

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

7 horas atrás, Evandro disse:

 

Indústria farmacêutica não é médico. ;)

E tem uma diferença entre ganhar comissão e inventar doença, mas, isso vai render um offtopic gigante. ^_^

 Eu sei.. Por isso que falei que a gente safada existe em todo lugar... Sempre vai ter alguém sem o mínimo de vergonha que vai querer ganhar muito $$ em cima da desgraça dos outros:(....   Pior é que não tem como fugir off topic  já que o Gabriel deu margem pra isso..kkkk O grande problema é provar a existência desse tipo de atitude ainda mais quando se envolve grandes corporações que podem ser facilmente acobertadas por um estado corrupto como o brasileiro... Ai a coisa complica mais ainda...

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa ser um usuário para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...