Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação Corsair TX550M

       
 53.425 Visualizações    Testes  
 13 comentários

Vejamos se a versão de 550 W da nova série TX M de fontes de alimentação da Corsair é uma boa opção.

Teste da Fonte de Alimentação Corsair TX550M
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A Corsair lançou recentemente a terceira versão da sua popular série TX de fontes de alimentação. A nova série tem a letra “M” no nome para indicar que os modelos têm sistema de cabeamento modular. Mas esta não é a única diferença da nova série para os modelos das séries TX e TX V2. O projeto interno é diferente. A série TX M tem modelos de 550 W, 650 W, 750 W e 850 W, todos com certificação 80 Plus Bronze (a série TX V2 não tem um modelo de 550 W, e a Corsair ainda oferece um modelo de 950 W dentro da primeira série TX). Nós já testamos a versão de 750 W da série TX M, e agora é a vez de testarmos o modelo de 550 W. Confira!

O fabricante dos modelos da série TX M é a CWT, o mesmo das primeiras versões da série TX. Os modelos da série TV V2, no entanto, são fabricados por uma empresa diferente, a Seasonic. Portanto, as fontes da série TX M não são modelos TX V2 com um sistema de cabeamento modular adicionado.

Corsair TX550M
Figura 1: Fonte de alimentação Corsair TX550M

Corsair TX550M
Figura 2: Fonte de alimentação Corsair TX550M

A Corsair TX550M mede 16 cm de profundidade e tem uma ventoinha de 140 mm com rolamento de esferas em sua parte inferior (Yate Loon D14BH-12).

Esta fonte tem sistema de cabeamento modular com quatro conectores, dois para placas de vídeo (conectores azuis) e dois para cabos de alimentação SATA e para periféricos (conectores pretos). A fonte vem com quatro cabos permanentemente conectados à ela, e eles são protegidos por acabamentos de nylon que saem de dentro da carcaça do produto. A Corsair TX550M vem com os seguintes cabos:

  • Cabo principal da placa-mãe com um conector de 20/24 pinos, 47 cm de comprimento, permanentemente instalado na fonte de alimentação
  • Um cabo com dois conectores ATX12V que juntos formam um conector EPS12V, 60 cm de comprimento, permanentemente instalado na fonte de alimentação
  • Dois cabos com um conector de seis/oito pinos para placas de vídeo cada, 60 cm de comprimento, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com três conectores de alimentação SATA, 35 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, permanentemente instalado na fonte de alimentação
  • Um cabo com três conectores de alimentação SATA, 39 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com três conectores de alimentação para periféricos, 37 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, permanentemente instalado na fonte de alimentação
  • Um cabo com três conectores de alimentação para periféricos, 38 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Dois adaptadores para converter conectores de alimentação para periféricos em conectores de alimentação para unidade de disquete

Todos os fios são 18 AWG, que é o mínimo recomendado.

A configuração de cabos é adequada para uma fonte de alimentação de 550 W.

Corsair TX550M
Figura 3: Cabos

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Só achei estranho não terem puxado os 45A no teste de 100% de carga na linha de 12V (puchou só 40A nessa linha no teste), mas no teste de sobrecarga indica que ela pode muito bem oferecer seus 45A nos 12V (é o que interessa e no teste foi de 46A).

Uma sugestão para futuros testes de fonte.

Como hoje a linha mais interresante é a de 12V, seria bom quando for fazer dados testes padronizar o consumo das demais linhas (entre 40W e 60W) em todas as cargas (20%, 40%, 60%, 80%, 100% e sobrecarga) para saber o quanto a fonte vai conseguir fornecer nessa linha, pois em certos casos como dessa fonte ele fornece quase que toda sua potencia na linha dos 12V (uma senhora fonte), que se compararmos com fontes de 600W fornece até mais nessa linha (dependendo do modelo da fonte ela fornece entre 500W a 565W, raros casos que fornecem perto dos 600W na linha de 12V).

Hoje compro e indico fonte de acordo com o que ela pode fornecer na linha de 12V, parei de recomendar "ha compra uma fonte de 550W", agora recomendo o mínimo que a fonte tem que ter na linha de 12V.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Só achei estranho não terem puxado os 45A no teste de 100% de carga na linha de 12V (puchou só 40A nessa linha no teste), mas no teste de sobrecarga indica que ela pode muito bem oferecer seus 45A nos 12V (é o que interessa e no teste foi de 46A).

Verdade, nunca tinha me atentado a isso! Nos outros testes parece ser assim também. Hoje em dia seria mais correto puxar tudo o que a linha de 12V diz fornecer e determinar uma potencia "X" paras as outras saídas, como disse o doidaofox.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Uma boa fonte. Só acho que a Corsair exagera ao falar em cabeamento modular, pois ela contém apenas 4 conectores modulares, o que é simplesmente ridículo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Uma boa fonte. Só acho que a Corsair exagera ao falar em cabeamento modular, pois ela contém apenas 4 conectores modulares, o que é simplesmente ridículo.

Talvez poderíamos adotar o termo semi-modular, mas com certeza dependendo da configuração do pc, a opção de uns cabos a menos sobrando dentro do gabinete já ajuda bastante, acho besteira a fonte ser 100% modular, os cabos que apresentam uma configuração mínima necessária podem tranquilamente serem fixos na fonte, somente cabos excedentes de alimentação com molex 4 pinos e pci-exp deveriam ser modulares como opção de aliviar espaço caso não se use uma VGA offboard e somente dispositivos Sata.

Mais uma vez parabéns à competência e honestidade da Corsair, uma empresa com excelência na qualidade de seus produtos.

Ótimo teste também, valeu pessoal do CdH.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Só achei estranho não terem puxado os 45A no teste de 100% de carga na linha de 12V (puchou só 40A nessa linha no teste), mas no teste de sobrecarga indica que ela pode muito bem oferecer seus 45A nos 12V (é o que interessa e no teste foi de 46A).

Uma sugestão para futuros testes de fonte.

Como hoje a linha mais interresante é a de 12V, seria bom quando for fazer dados testes padronizar o consumo das demais linhas (entre 40W e 60W) em todas as cargas (20%, 40%, 60%, 80%, 100% e sobrecarga) para saber o quanto a fonte vai conseguir fornecer nessa linha, pois em certos casos como dessa fonte ele fornece quase que toda sua potencia na linha dos 12V (uma senhora fonte), que se compararmos com fontes de 600W fornece até mais nessa linha (dependendo do modelo da fonte ela fornece entre 500W a 565W, raros casos que fornecem perto dos 600W na linha de 12V).

Hoje compro e indico fonte de acordo com o que ela pode fornecer na linha de 12V, parei de recomendar "ha compra uma fonte de 550W", agora recomendo o mínimo que a fonte tem que ter na linha de 12V.

Mantivemos o padrão que usamos em outros testes de fontes de 550 W para que a comparação entre resultados seja possível. Se alterássemos a metodologia, como você sugere, os resultados não poderiam ser usados para comparar este teste com testes mais antigos.

Espero ter esclarecido.

Atenciosamente,

Gabriel Torres

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Talvez poderíamos adotar o termo semi-modular, mas com certeza dependendo da configuração do pc, a opção de uns cabos a menos sobrando dentro do gabinete já ajuda bastante, acho besteira a fonte ser 100% modular, os cabos que apresentam uma configuração mínima necessária podem tranquilamente serem fixos na fonte, somente cabos excedentes de alimentação com molex 4 pinos e pci-exp deveriam ser modulares como opção de aliviar espaço caso não se use uma VGA offboard e somente dispositivos Sata.

Mais uma vez parabéns à competência e honestidade da Corsair, uma empresa com excelência na qualidade de seus produtos.

Ótimo teste também, valeu pessoal do CdH.

Isso a fabricante não adota não... Não pega tão bem falar que a fonte é modular se apenas quatro cabos são removíveis, isso não ajuda tanto no espaço não. Só se seu gabinete tiver espaço atrás da placa-mãe.

Em si é uma ótima fonte esta da Corsair, melhor que a outra versão testada aqui, a TX750M, mas que a empresa usa o nome modular como chamariz é uma pura verdade...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Mantivemos o padrão que usamos em outros testes de fontes de 550 W para que a comparação entre resultados seja possível. Se alterássemos a metodologia, como você sugere, os resultados não poderiam ser usados para comparar este teste com testes mais antigos.

Espero ter esclarecido.

Atenciosamente,

Gabriel Torres

Toda evolução exige mudança e as mudanças doem às vezes, mas são necessárias..

Mudem aos poucos que seja e logo chegarão a um bom meio termo..

Já fizeram isso muitas vezes, e eu que os acompanho há tempo sei disso, no caso da troca de equipamento de medida, com outra visão de eficiência medida, e na própria ponderação da potência exigida das linhas de baixa tensão, que outrora eram muito exigidas.. Evoluir faz bem, acredite...

Mudem essa visão no sentido de procurar exercitar mais a tensão de 12 Volts, que sabes, melhor que eu, ser o que mais interessa em termos de energia em uma fonte. Não deixem de exercitar a fonte pelo menos no máximo que seu fabricante garante (aliás, acho que testes acima desse máximo de nada significam a não ser descobrir se a fonte vai se proteger ou não...) Canso de ver testes seus em que a fonte sim oferece potência fora do especificado, a maior, porém transgredindo limites de tolerância de ruido etc e tal. De nada, absolutamente de nada valem os mesmos e você sabe disso...

Outra sugestão que poderiam adotar e a de revelar ou mostrar, nas fotos ou quem sabe dizer, do valor da capacitância de entrada, do eletrolítico de entrada. Fica fácil se inferir da capacidade de entrega de potência de uma fonte com a avaliação desse capacitor. Nem que seja por comparação..

Não é determinante da potência somente seu valor mas sim e determinante para se descobrir, de cara, a potência que ela não pode dar, em função de seu valor. Eu mesmo tenho, arquivo próprio com alguns valores desse capacitores.

Veja só, como exemplo, dois capacitores que equipam fonte de similar promessa de entrega de potência e tire suas próprias conclusões:

Olhe ai o capacitor da Seasonic S12II 520Bronze uma fonte que oferece 520 Watts finais:

Capacitor-SeasonicS12II520Bronze.jpg

Agora olhe o capacitor de entrada da Cooler Master GX-550 ou RS-550-ACAA-E3 que deveria oferecer maior potência ate que a Seasonic ai de cima. Eu disse deveria... Já foi até mesmo descontinuada:

Capacitor-CoolerMasterGX-550ouRS-550-ACAA-E3.jpg

Só para curiosidade repare o mesmo capacitor da nova fonte da Ice Age (3R System AK 500), de 500 Watts (prometidos) recentemente testada e recomendada por você... Não tenho a foto legível, mas você as tem e bem poderia declarar o valor do mesmo...

Fica a sugestão portanto...

Abraço...

Editado por faller

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O capacitor principal na verdade é da Panasonic; os demais são da Chemi-Con. Creio que pela posição do capacitor não dá para ver a especificação dele por inteiro.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
(...)Mudem essa visão no sentido de procurar exercitar mais a tensão de 12 Volts, que sabes, melhor que eu, ser o que mais interessa em termos de energia em uma fonte.(...)

Sua sugestão está anotada. Inclusive, se você reparar no histórico e comentários de nossos testes, nós fomos o primeiro site a testar fontes dessa forma, inclusive sendo amplamente criticados pelos fabricantes no início, já que a maioria das fontes na época não conseguia entregar muita corrente nas saídas de +12 V.

Outra sugestão que poderiam adotar e a de revelar ou mostrar, nas fotos ou quem sabe dizer, do valor da capacitância de entrada, do eletrolítico de entrada.

Passarei a fazer. Note que em alguns testes eu já faço isso, então está faltando apenas uma padronização nesse sentido. Aguarde!

Abraços e obrigado pelas sugestões,

Gabriel.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Mais uma fonte da Corsair a ser altamente recomendada pelo CdH, pena que seja de "apenas" 550 W. Ainda não entendi por que a Corsair deu aquela derrapada na eficiência da TX750M. Sou fã de carteirinha da Corsair (tenho uma VX450) pois suas fontes são excelentes e têm preços justos apresentando ótima relação custo/benefício. Já acompanho os testes há um bom tempo e todas as fontes da Corsair testadas no CdH foram recomendadas exceto a TX750M. É uma pena pois farei um upgrade em breve e irei precisar de uma fonte de no mínimo 750 W e naturalmente a TX750M seria a escolhida por ser um modelo recente e por ser da Corsair, mas como não foi recomendada infelizmente vou ter que procurar por uma de outra marca.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Mais uma fonte da Corsair a ser altamente recomendada pelo CdH, pena que seja de "apenas" 550 W. Ainda não entendi por que a Corsair deu aquela derrapada na eficiência da TX750M. Sou fã de carteirinha da Corsair (tenho uma VX450) pois suas fontes são excelentes e têm preços justos apresentando ótima relação custo/benefício. Já acompanho os testes há um bom tempo e todas as fontes da Corsair testadas no CdH foram recomendadas exceto a TX750M. É uma pena pois farei um upgrade em breve e irei precisar de uma fonte de no mínimo 750 W e naturalmente a TX750M seria a escolhida por ser um modelo recente e por ser da Corsair, mas como não foi recomendada infelizmente vou ter que procurar por uma de outra marca.

O problema da eficiência no modelo de 750 W é uma boa questão para ser mandada à CWT, que é o fabricante destas fontes. Mas se você quiser uma fonte de 750 W com uma eficiência 80 Plus Bronze de verdade, as melhores opções são a Corsair TX750 V2, XFX Core Edition 750 W a Thermaltake Toughpower XT TPX-775M (que por sinal, é baseada na série da DSG da CWT, que é a mesma utilizada nessas TXM da Corsair). Já a Corsair TX750 V2 e a fonte da XFX são fabricadas pela SeaSonic (são internamente bem parecidas).

Quanto à TX750M, ressalto no geral que é uma fonte de boa qualidade. Não é necessário o selo de recomendação para você ter certeza disso. Aliás, se guiar pelo selo de recomendação não é uma boa ideia, principalmente quando fontes como as Seventeam PWL e P-AF, além das IceAge, recebem tal selo.

Editado por ignacho

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×