Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Por Dentro do Odyssey

       
 61.501 Visualizações    Tutoriais  
 29 comentários

Vamos dar uma olhada no console de vídeo game Odyssey para vermos como jogávamos no início dos anos 1980.

Por Dentro do Odyssey
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

O Odysseyfoi um console de vídeo game fabricado no Brasil pela Philips. Ele foi lançado nos EUA em 1978 pela Magnavox (a Magnavox, uma empresa americana, pertencia à gigante holandesa Philips) como Odyssey2 e na Europa como Videopac G7000, mas que só chegou ao Brasil em 1983. Na estreia da nossa nova seção “Museu”, vamos dissecar o Odyssey e explicar em detalhes como ele funcionava.

O Odyssey foi desenvolvido nos EUA, mas teve sucesso mesmo por aqui. Isto porque até 1992, por conta da reserva de mercado, nós éramos proibidos de importar eletrônicos, e todos os produtos eletrônicos de consumo tinham que ser fabricados no Brasil (claro que algumas pessoas contrabandeavam produtos de outros países; mesmo após o fim da reserva de mercado, quem quiser comprar algum aparelho importado tem que arcar com um custo por volta de 100% do valor do produto no exterior). Esta barreira foi criada pelo governo militar com o intuito de fomentar o desenvolvimento de indústrias locais. Como a Philips, proprietária da Magnavox, tinha fábricas no Brasil, o Odyssey era um produto perfeito para o país, já que poderia ser fabricado localmente e não tinha muitos concorrentes. Na verdade os únicos concorrentes do Odyssey no Brasil eram os clones do Atari 2600 e o Intellivision (que foi fabricado no Brasil pela Sharp; um clone do Colecovision chamado Splicevision foi lançado, mas por causa do seu visual amador teve baixa participação de mercado). Com o governo brasileiro proibindo a competição externa, o Odyssey da Philips bateu recordes de vendas.

\"Odyssey\"
Figura 1: O Odyssey

\"Odyssey\"
Figura 2: O Odyssey (parte traseira)

O Odyssey vinha com dois joysticks permanentemente instalados ao console (uma versão do Odyssey com joysticks removíveis foi lançada depois nos EUA e na Europa, mas não foi lançado aqui). Esses joysticks pareciam analógicos, mas na verdade, eles eram digitais. Como eles estavam permanentemente instalados ao console, você não poderia substituí-los facilmente caso eles quebrassem ou por um par de controles do tipo “paddle”, opções disponíveis no Atari 2600. Um “paddle” é um controle analógico baseado em um potenciômetro, onde você pode girá-lo para a esquerda ou para a direita para indicar a direção que você quer mover.

\"Odyssey\"
Figura 3: Um dos joysticks

O destaque do Odyssey era o seu teclado alfanumérico de membrana, similar ao usado nos computadores Sinclair ZX81 e clones (Timex Sinclair 1000, Microdigital TK80, TK82 e TK83), o que fazia com que ele se parecesse com um computador, e certamente este foi um dos motivos pelo qual muita gente na época optou por comprá-lo em vez de um dos seus concorrentes. Os jogos eram disponíveis em cartuchos, onde o software era escrito dentro de um chip de memória ROM (normalmente PROM), igual aos de outros consoles de vídeo game da época. Um transformador externo e um interruptor de antena “TV/Game” (muitas vezes chamado erroneamente de “modulador de RF”) completava o pacote.

\"Odyssey\"
Figura 4: O teclado de membrana

\"Odyssey\"
Figura 5: O Odyssey com um cartucho instalado

O vídeo game era conectado à TV através da sua antena, e você tinha que sintonizar a TV no canal 3 ou 4, dependendo de como o sistema foi configurado (na versão brasileira, esta configuração era feita através de uma chave localizada no painel inferior do console).

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários




Parabéns pelo artigo. Ganhei um Odissey, mas ganhei o mesmo usado (sem funcionar) e em 1994 mais ou menos, e nao houve reparacao :(

Em uma das mudancas decidi abrir o mesmo e vi vários chips Intel e fiquei curioso de qual seria o processador, hoje tive a resposta.

Sempre tive curiosidade de ver esse bicho em acao. E na época, o técnico que revisou o meu video-game comentou, que o maior motivo do fracasso dele, era nao permitir jogos de outros vídeo-games, como era o caso dos clones do Atari, que aceitavam jogos do Atari.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

legal para os mais novos terem uma ideia.

se vocês quiserem vendo meu Intellivision 1 por um preço bom (pra mim claro) hehehe. tenho também um MSX aqui.

sim, sou velho. rs

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Olha, o Intellivision eu tenho como comprar aqui via eBay (tanto o I quanto o II), mas os MSX brasileiros eu não tenho acesso daqui. Se quiser me doar ou vender o seu MSX, entre em contato comigo, por favor, pelo email webmaster [arroba] clubedohardware.com.br. Não se esqueça de dizer se é o Hotbit da Sharp ou o Expert da Gradiente. Se alguém tiver aí TK85, TK90X, TK95 e outras velharias, me avise pois tenho interesse para meu museu particular...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito legal Gabriel. Gostei bastante. Estou curioso par ver um Atari desmontado. Foi meu primeiro video game (era da minha irmã). E isso já na era do Mega Drive, Super Nintendo....

Só acho que poderia ter colocado todos os videos em 1 só, seria mais prático pra quem fosse ver (porém, menos para você :D).

Obrigado pelo artigo.

OBS: Putz musica chata aquela da tartaruga, :muro:

kkkk

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu também tive um MSX.

No meu ponto de vista, a arquitetura do MSX era muito mais avançada do que a arquitetura do PC (ou IBM-PC como era chamado da época).

Enquanto que na época o PC-XT tinha como som "plics" e "Plocs", 512kb de RAM, monitor fósforo Verde (duas cores:verde claro e verde escuro....rsrs) um MSX 2.0 com Megaram e Memory Mapper poderia chegar a 720Kb de memoria ram, rodava

jogos fantásticos como Metal Gear, Space Mambow, Maze of Galious, Jagur, e outros do "nível" do "Master System". Jogos bem escritos - era incrível o que os programadores conseguiam fazer com míseros 64kb, 128kb, com bons efeitos sonoros, musicas de fundo e gráficos coloridos(MSX 2.0 tinha resolucao de aprox 16 mil cores).

Havia inclusive muitos bons jogos nacionais a citar: Amazonia, Alcatraz, Palhada City, Gruta de Maquiné, entre outros.

Alguns anos depois, com o advento do PC-AT é que os PCs começaram a ter mais cores. É claro que para isso você tinha que pagar algumas centenas de dolares pra comprar uma placa de vídeo e uma placa de som.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Realmente, um MSX Plus ou Expert viria a calhar. E também tive a honra e o prazer de usar um MSN Plus da Gradiente, foi vendo um amigo programando o bicho em Basic que me motivou a estudar informática, também queria aprender a comandar o computador e hoje estou aqui :)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bacana este artigo. Nunca imaginei que veria uma análise do Odissey nos dias de hoje.

Eu não tive este videogame. Na época, tinha um Atari 2600 trazido dos EUA, um MSX e um Tandy RadioShack (TRS) 80 Color Computer 2, onde eu e meu irmão inventávamos jogos em Basic. Tudo vindo dos EUA através de um amigo de meu pai que trabalhava na marinha mercante. Eu tinha 9 anos quando comecei a jogar Atari e não parei mais de jogar videogame (hj com 37 anos)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

eu tive um!!!! era um phillips, um pouco diferente deste aqui detalhado, mas era muito legal!! só era difícil de conseguir jogos pra ele

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

superlegal esa matéria! boa inciativa, tipo das que chama a atenção dos mais véios tipo eu, que NUNCA tive nada desses quando era criança!!! KKKK!!!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Adorei a matéria (e a seção). Poderia ser destacado junto com vídeo, processador, redes, etc. Será que futuramente veremos alguma matéria sobre o Sharp X68000?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Cara, que saudade que deu do meu Atari 2600. Ainda tenho ele por aqui, só não sei aonde minha mãe guardou. :P

Tenho também um Super Nintendo na caixa com tudo original, novinho. Dá gosto ver essas fotos dos cartuchos e tabuleiros e lembrar como as coisas eram bem feitas antigamente, e eram feitas pra durar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Gostei muito da matéria, é bom conhecer os consoles pioneiros. Essa modificação do Odissey para gerar imagem em video composto e audio pode ser feita no SNES? Porque eu tenho um SNES funcionando aqui em casa e ele é o modelo mais novo: http://www.gamersace.com/images/SNES-Ver2-System.jpg, que por incrível que pareça não tem essas saídas e muito menos o botão de ejetar cartucho ou reset, a imagem é gerada nos canais 3 ou 4, logo queria fazer essa modificação nele.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostei muito da matéria, é bom conhecer os consoles pioneiros. Essa modificação do Odissey para gerar imagem em video composto e audio pode ser feita no SNES? Porque eu tenho um SNES funcionando aqui em casa e ele é o modelo mais novo: http://www.gamersace.com/images/SNES-Ver2-System.jpg, que por incrível que pareça não tem essas saídas e muito menos o botão de ejetar cartucho ou reset, a imagem é gerada nos canais 3 ou 4, logo queria fazer essa modificação nele.

O meu veio com um cabo que faz isso, parecido com o cabo do PS2, tem o vídeo e os dois canais de áudio. Aparentemente o modulador RF do SNES é externo, podendo conectar ele ou esse cabo que falei naquela saída retangular.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Eu também tive um MSX.

No meu ponto de vista, a arquitetura do MSX era muito mais avançada do que a arquitetura do PC (ou IBM-PC como era chamado da época).

Enquanto que na época o PC-XT tinha como som "plics" e "Plocs", 512kb de RAM, monitor fósforo Verde (duas cores:verde claro e verde escuro....rsrs) um MSX 2.0 com Megaram e Memory Mapper poderia chegar a 720Kb de memoria ram, rodava

jogos fantásticos como Metal Gear, Space Mambow, Maze of Galious, Jagur, e outros do "nível" do "Master System". Jogos bem escritos - era incrível o que os programadores conseguiam fazer com míseros 64kb, 128kb, com bons efeitos sonoros, musicas de fundo e gráficos coloridos(MSX 2.0 tinha resolucao de aprox 16 mil cores).

Havia inclusive muitos bons jogos nacionais a citar: Amazonia, Alcatraz, Palhada City, Gruta de Maquiné, entre outros.

Alguns anos depois, com o advento do PC-AT é que os PCs começaram a ter mais cores. É claro que para isso você tinha que pagar algumas centenas de dolares pra comprar uma placa de vídeo e uma placa de som.

Essa é uma visão equivocada, pois você tem que levar em consideração que vivíamos na reserva de mercado e os computadores mais poderosos demoravam pelo menos 5 anos para chegar aqui. Enquanto nós estávamos usando PC XT, nos EUA já existiam computadores baseados no 386... (Os primeiros computadores baseados no 386 foram lançados em 1985 nos EUA). Basta lembrar que o próprio Odyssey foi lançado nos EUA em 1978 mas só foi lançado no Brasil como sendo uma grande novidade em 1983...

Quanto ao número de cores, isso obviamente era uma limitação do monitor usado, não do computador. Mas realmente o MSX vinha com processador de áudio. Mas você podia instalar uma placa de som no PC que dava no mesmo, a questão é que no Brasil não eram vendidas, justamente por conta da reserva de mercado. O MSX era bom mesmo para jogos. Mas era fraco para aplicações profissionais. Já tentou rodar um processador de textos no MSX? Extremamente lento!

Acho que nunca vi um desse,mas me lembro do nome.O teclado alfanumerico servia para alguma coisa ou era só enfeite?

Servia sim, você não viu as fotos e os vídeos? Você pode entrar o nome do jogador, o console vinha com um jogo tipo "forca" e tinha ainda o jogo mais "poderoso" que era o Em Busca dos Anéis Perdidos (fotos no artigo) onde você colocava um mapa sobre o teclado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Odissey quem tinha eram meus primos, eu tive nessa época um clone do Atari 2600 da CCE.

Quanto ao MSX, tínhamos na Escola Técnica Federal onde eu estudava um laboratório cheio de Hotbits, todos com drive de disquete, o que era um avanço para a época.

Isso foi em 1988. Tinhamos um grupo extraclasse chamado "Clube de Software" mas passávamos 90% do tempo jogando. Até hoje lembro do Zanac.

Nessa época já existiam PCs e Apple IIe, que eram computadores bem melhores, mas para jogos o MSX era excelente. Tanto que, além de poder ser usado com fita cassete ou disquete, ele tinha uma entrada para cartuchos que nem os de videogame.

Mas discutiremos mais sobre quando sair o artigo sobre o MSX.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Legal, fiquei surpreso com essa análise, mas gostei bastantem foi uma viagem ao passado bem legal, tive um desses com bastante jogos, mas meus amigos tinham muito mais jogos no atari, pois eram mais fáceis de achar e mais baratos.

MSX eu tive também, muito bom, depois lançaram o plus 2.0 que era um sonho meio distante, mas logo depois vieram os PCs melhores e fiquei fora dessa geração, nunca tive nenhum video game depois do odyssey, até hoje, nenhum, só PC e o PC que eu consegui ganhar da mãe depois do MSX foi um com pentium 166 se não me engano com uma VGA de 32MB de memória que pra época era uma super VGA, todo mundo ficou de cara quando comprei essa máquina, rsss.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Gostei muito da matéria, é bom conhecer os consoles pioneiros. Essa modificação do Odissey para gerar imagem em video composto e audio pode ser feita no SNES? Porque eu tenho um SNES funcionando aqui em casa e ele é o modelo mais novo: http://www.gamersace.com/images/SNES-Ver2-System.jpg, que por incrível que pareça não tem essas saídas e muito menos o botão de ejetar cartucho ou reset, a imagem é gerada nos canais 3 ou 4, logo queria fazer essa modificação nele.

Cara, o único mod que conheço é o da saída RGB que vi neste site (http://gamesx.com/wiki/doku.php?id=av:snes2rgb). Esse lance do seu console não ter saídas AV foi coisa da Gradiente, infelizmente, porque a versão vendida pela Nintendo of America possui saída multi out.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

:aplausos: Absolutamente incrível essa iniciativa do CDH em fazer essa Reportagem sobre o Odissey ! Parabéns a todos os envolvidos !!!

Pessoalmente foi muito bom ter revivído essa inesquecível memória do meu primeiro "eletrônico" , isso no natal de 1984...

Já não bastasse essa alegria, me animou ainda mais essa :

Mas discutiremos mais sobre quando sair o artigo sobre o MSX.

Aí é só chorar de emoção, ehehehehe.

apesar de que já inventei algo há um tempinho atrás e a imagem já esclarecerá àqueles que Viveram essa época.

MSXPc015.jpg

Aguardando o artigo sobre o MSX... :-BEER

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Gabriel, já que você começou a montar um museu de eletrônicos deixo como sugestão a inclusão do X68000, da Sharp, caso tenha à venda no ebay ou similar (foi vendido só no Japão). Era bem potente pra época em que foi comercializado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

muito boa a materia deu uma nostalgia, meu primeiro videogame foi um master system 3 que veio com Alex kid na memoria, nunca vi esse Odissey e nen sabia quais eram os jogos e pensar que ali que nasceu Metal Gear Solid que tem ate hoje, tanbem me interressei pra ver esse artigo do msx,parabens Clube do Hardware nota 10 por essa materia.:D

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Achei interessante o artigo sobre o Odyssey. Gostaria apenas de apontar um detalhe: ao contrário do que foi mencionado, existe uma chave comutadora de canal (3 ou 4) embaixo da versão brasileira do console... até tirei o meu da caixa hoje pra conferir isso, pois não me lembrava deste detalhe. Será que só o fabricado no Brasil tinha a tal chave?

Recomendo a quem tem este console guardado ligá-lo de vez em quando, pois ao ficar muito tempo parado ele pode parar de funcionar, mostrando uma tela repleta de caracteres estranhos e borrões ao ligar (algo a ver com os capacitores da placa... já vi isso acontecer em vários deles). Após algumas tentativas (ou deixando algum tempo ligado), ele volta a funcionar normalmente... nessa hora, aproveite os jogos... ;)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Cara, me dá uma forte emoção lembrar dos tempos antigos de atari e odissey..

Os jogos que marcaram pra mim foram o Hero do Atari, o MoonPatrol do MSX e o Didi na Mina Encantada do Odissey..

Ainda bem que sou um feliz privilegiado de ter vivido essa época..

Alex Kidd e Golden Axe do master system, além do primeiro RPG que joguei, o Phantasy Star, dá muita vontade de voltar no passado..

eu poderia ficar horas falando jogo por jogo de cada videogame, cada fase, cada personagem, tudo detalhado..

pena que hoje só tenho conservado e funcionando o Snes.. Está praticamente zero, e foi mmuiiiiitttoo bem usado, e olha que foi comprado na época de segunda mão.. Ano passado comprei vários cartuchos, um joystick e o cabo AV pra ele, tudo no ebay.. Ainda estou procurando uma boa oferta do Zelda e Rock and Roll Racing, os melhores jogos de video game já criados na minha opnião..

Gostei muito da matéria, é bom conhecer os consoles pioneiros. Essa modificação do Odissey para gerar imagem em video composto e audio pode ser feita no SNES? Porque eu tenho um SNES funcionando aqui em casa e ele é o modelo mais novo: http://www.gamersace.com/images/SNES-Ver2-System.jpg, que por incrível que pareça não tem essas saídas e muito menos o botão de ejetar cartucho ou reset, a imagem é gerada nos canais 3 ou 4, logo queria fazer essa modificação nele.

Você pode comprar o cabo próprio para o SNES.. Comprei o meu no ebay ano passado, junto com alguns jogos, e funciona perfeitamente bem..

No mercado livre, tá por volta dos R$ 6,00

Mercado Livre: Cabo A/V Snes

No Ebay, está por menos de $2 com frete pro Brasil

Ebay: Cable A/V Snes

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

no msx eu jogava o yayama, um jogo de luta, até que estragou o disquete. Eu tinha um drive de disquete com um cartucho. Ligava, dava boot, daí aparecia "microsol tecnologia 1986" e lia o drive. Queimou algum tempo depois

o odissey eu não vivi. Vivi o atari 2600, o cce (que era o atary em "dificulty B") e dali por diante. Eu tenho um primo que tem "toda essa história" dos vídeo games e deve ter eles funcionando ainda. não sei se o odissey, mas vou ver com ele

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×