×
Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Por Dentro da Arquitetura do Atom


     140.945 visualizações    Processadores    4 comentários
Por Dentro da Arquitetura do Atom

Introdução

O Atom é um processador de baixo consumo da Intel que dissipa pouco calor (menos de 3 W), voltado para os mercados de notebooks e de dispositivos móveis com acesso à internet – chamados MIDs pela Intel, ou Mobile Internet Devices. Neste tutorial nós exploraremos a arquitetura usada neste processador.

É importante saber que há duas versões do processador Atom. O Atom das séries 2xx e N2xx (até o momento apenas os modelos 230 e N270 estão disponíveis) – codinome “Diamondville” – é voltado para o mercado de notebooks (já que eles usam chipsets Intel da série 945, que são maiores e usam dois chips), enquanto que o Atom série Z5xx – codinome “Silverthorne” – é voltado para o mercado de dispositivos móveis com acesso à internet, não apenas porque ele usa um novo chipset chamado US15W, que é muito menor e usa apenas um chip, mas também porque os processadores Atom Z5xx são fisicamente menores do que os processadores Atom anteriores (14 x 13 mm contra 22 x 22 mm).

Processador Atom
Figura 1: Processador Atom 230.

Você também pode ouvir referências à plataforma Atom Centrino (codinome “Menlow”). Esta plataforma consiste de um processador Atom, o novo chipset US15W (codinome “Poulsbo”) e  capacidade de rádio (WiFi, Bluetooth, etc).

Falando em codinomes, nós temos também o “Moorestown”, que será a próxima versão da plataforma Atom Centrino, esperada para chegar ao mercado em 2009 ou 2010 e terá um processador Atom codinome “Lincroft”, um chipset codinome “Langwell” e um chip de rádio codinome “Evans Peak”.

As principais características do processador Atom são as seguintes:

  • Compatibilidade total com o conjunto de instruções x86, o que significa que ele pode rodar diretamente programas e sistemas operacionais para PCs. Vários outros processadores voltados para o mercado de dispositivos móveis têm conjunto de instruções proprietário.
  • Baixíssima dissipação térmica (TDP): 4 W para o modelo 230, 2,5 W para o modelo N270 e entre 2 W e 2,64 W para os modelos Z5xx.
  • Tecnologia Hyper-Threading.
  • Tecnologia de Virtualização.
  • Execute Disable.
  • Conjunto de instruções SSE3
  • Clock externo de 400 MHz ou 533 MHz (100 MHz ou 133 MHz transferindo quatro dados por pulso de clock).
  • Caminho de dados interno de 128 bits (“Digital Media Boost”).
  • 32 KB de cache L1 de instruções e 24 KB de cache L1 de dados.
  • 512 KB de cache L2.
  • Tamanho de cache dinâmico: capacidade de desligar porções do cache de memória quando o processador entra nos modos de economia de energia C4 ou C4E (não disponível nos modelos Atom 2xx).
  • Pipeline de 16 estágios.
  • Fabricado com tecnologia de 45 nm.
  • Pode trabalha em conjunto com um chipset móvel da classe Intel 945 (Atom modelos 2xx e Nxxx) ou com um chipset Intel US15W (“Poulsbo”), Atom modelos Z5xx. Os modelos 2xx e Nxxx são voltados para o mercado de notebooks, enquanto que os modelos Z5xx são voltados para o mercado de dispositivos móveis com acesso à internet.
  • 437 pinos (modelos “Diamondville”, ou seja, 2xx e Nxxx) ou 441 pinos (modelos “Silverthorne”, ou seja, Z5xx).

Agora vamos dar uma olhada mais detalhada nas principais características do processador Atom.


Comentários de usuários

Respostas recomendadas

Gabriel Torres disse:
O Atom é baseado na microarquitetura Core, portanto é um processador Intel de 6ª geração, assim como o Pentium M, Pentium III, etc.

O Atom não é baseado em arquitetura Core ou Core2, é um design novo...

http://www.intel.com/technology/atom/microarchitecture.htm

Sobre a arquitetura Atom, mais importante que o número de estágios dos pipelines é o fato da arquitetura ser "in-order", ao contrário de todos os CPUs x86 desenvolvidos pela AMD e Intel desde o K5 ou Pentium Pro.

Citação
Claro que esta técnica é menos eficiente do que ter dois núcleos de processamento verdadeiros, mas este “núcleo” extra – e conseqüentemente o desempenho extra – você ganha de graça.

Não se ganha nada de graça com HT, apenas perde-se menos. O HT existe para aproveitar melhor o desempenho que seria perdido por causa do fato da arquitetura ser "em ordem".

[]'s

DT

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Administrador
O Atom não é baseado em arquitetura Core ou Core2, é um design novo...

http://www.intel.com/technology/atom/microarchitecture.htm

Sobre a arquitetura Atom, mais importante que o número de estágios dos pipelines é o fato da arquitetura ser "in-order", ao contrário de todos os CPUs x86 desenvolvidos pela AMD e Intel desde o K5 ou Pentium Pro.

Perfeito, corrigido e muito obrigado pela explicação.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Administrador
Nesta ultima IDF a Intel abandonou o nome Atom Centrino. Fiquem de olho!

Eu estive no IDF e não vi isso. Por favor, poste link para onde está esta informação, pois no site da Intel o nome Atom Centrino é usado:

http://www.intel.com/products/centrino/atom/

A propósito, este nome foi anunciado em 01/04/2008:

http://www.intel.com/pressroom/archive/releases/20080401comp.htm

Atenciosamente,

Gabriel Torres

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa ser um usuário para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Como ganhar dinheiro montando computadores!

MINICURSO GRÁTIS!

Como ganhar dinheiro montando computadores!

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE AGORA MESMO!