Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Sérgio Lembo

Membro Pleno
  • Total de itens

    2.341
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%
  1. @alexandre.mbm , o circuito trabalha frio, o componente de maior consumo não chega a 10mW.. Isso faz com que eu não me preocupe com a condução térmica do material a ser usado. @MOR , obrigado pela participação. Em São Paulo tem um produto como o descrito muito conhecido. É o Vedacit. Sobre a utilização de água no preparo, o envernizamento prévio com verniz de trafo já não seria o suficiente? Ao envernizar pretendo ter solucionado a questão da isolação. A resina entraria apenas para proteção mecânica contra riscos. Aos que começaram a ler agora, a tensão presente é inferior a 2
  2. Tenho pensado numa solução combinada: o verniz para a isolação elétrica e sobre este resina para proteção contra riscos. A placa é pequena, 10x20mmm, o consumo de material idem. O chato é que me leva a 2 operações (custo de mão de obra). Caso não ache resina ou assemelhado sem problemas de absorção de água esta será a solução. Pesquisei sobre uns polímeros onde o custo cai bastante com o uso de carga de gesso. Com um pré-verniz sobre a placa este é o meu desenho atual.
  3. Infelizmente está errado. Fosse isso a fibra de vidro se desmancharia tal qual massa folhada. É a resina que absorve a água. Lembro que água é solvente universal.
  4. @Eder Neumann , a placa trabalha fria. Baixa tensão (menos de 20v) e corrente irrisória. O componente mais quente não chega a 10mW.
  5. Aproveitando o tema das resinas, estou com um desafio: Uma plaquinha eletrônica que vai ficar em local de alta umidade, próximo ao ponto de condensação. Meu primeiro pensamento foi cobrir com resina, o mercado tem várias bi-componentes. Na sequência me lembrei dos barcos de fibra de vidro. A resina que une as fibras com o tempo absorvem a água fazendo que o casco passe ater o dobro do peso. Na nossa aplicação isso resulta (creio eu, posso estar enganado) em perda de isolação. Outra coisa que pensei foi em dar um banho de verniz de motor. Aparentemente esse tipo de verniz é bem resistente à pen
  6. As pessoas se lembram de olhar a tensão e capacitância e se esquecem da corrente máxima do componente. Esse dado não aparece na escrita do componente, é uma chatise, tem que pesquisar nos catálogos (datasheet). O capacitor que o autor colocou e degradou depois de um tempo foi pro saco por conta da corrente. A potência do seu ventilador já te dá uma pista da corrente que irá fluir pelo capacitor.
  7. @ryan232 , se não sabe interpretar uma fórmula deve procurar um professor de matemática ou trocar o atual. Não quero ser estúpido mas não vou te ajudar se passar a mão na cabeça. Olhando para a fórmula: Força = ((N x I)² x k x A) / (2 x g²) Em que: N = número de voltas no solenoide I = corrente, em amperes (A) A = área de seção transversal do ímã, em metros quadrados (núcleo ferroso) g = distância, em metros, entre o ímã e o pedaço de metal k = 4 x 3,14159 x 10^-7 As constantes k e o número 2 que aparecem na fórmula podem ser excluídos do rac
  8. Tens, muito provavelmente, um bug na programação. O primeiro passo para um conserto é o diagnóstico: - Se ao fazer 2 peças idênticas o erro se repete com a mesma amplitude temos um erro de projeto, no seu caso provavelmente no software. Como consolo podemos dizer que temos um projeto estável e preciso pelo fato de sempre se comportar da mesma forma. - Ainda explorando a possibilidade de bug de programação, se ao fazer 2 peças com a metade do tamanho da peça anterior o erro se repetir com a mesma amplitude ou se repetir com a metade do erro verificado anteriormente isso nos guiará par
  9. A baixa impedância da bateria já dá uma boa segurada no efeito citado. Fora isso temos as fontes de alimentação dos módulos que convertem a tensão de bateria para a de trabalho.
  10. @MOR Por acaso o circuito foi o comparador simples de 2 transistores + 1 resistor fazendo a função gerador de corrente? Para substituir os comparadores/opamps tem que ser muito simples para compensar, são baratos. Por favor, poste o circuito.
  11. O velho 1n4007 aguenta 1A x 1000V, durante o pico mais de 10A O M7 (smd) 1A x 700V
  12. @Higor Garcia , como disse o ganho é baixo. Considere fazer um darlington com o coletor do TIP na sua bateria e o emissor deste na base do 13007.
  13. Nos reatores de lâmpada fluorescente tem 2 transistores de 700V. Modelo: 13007 entre outros. O ganho é baixo, uns 30, mas dá pro gasto.
  14. @aphawk Paulo, coloquei na busca o Forum sugerido e veio vários, até do Github. Passa o link. Por falar em link este aqui http://www.esp8266basic.com O meu Firefox bloqueou por segurança. Já não tenho mais paciência para formatar PC e resolvi não arriscar.
  15. Tem de diversos tipos. Já usei um com pilha interna de 7 anos para contagem de folhas de impressora off-set. Possui apenas 2 terminais, basta fechar os contatos para contar com a vantagem de não se perder por falta de energia e nem de precisar de fonte de alimentação. Anúncio aqui. datasheet Também pode ser eletromecânico. Nesse caso tem que perguntar a tensão da bobina. anúncio aqui. adicionado 1 minuto depois uC é micro-controlador.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Redes-Wi-Fi-capa-3d-newsletter.png

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!