Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
faller

Como tornei útil um estabilizador!

Posts recomendados

Ganho de um amigo, com defeito, já o tinha há algum tempo esse estabilizador em minha casa: Ei-lo abaixo, ainda como estabilizador:

Aindaestabilizador.jpg

Como todos os estabilizadores que conheço esse daqui não era diferente. Não tinha nenhuma espécie de proteção elétrica. Vejam ai a placa de controle do mesmo:

9C2C3C4VZ1.jpg

Nenhum varistor, nenhum capacitor, nem tampouco algum centelhador, nada. Proteção contra surtos = zero.

Tinha entretanto alguns itens que me interessavam no mesmo. Uma boa caixa, uma chave frontal (muito ruim, que só mais tarde vi estar com defeito), uma suficiente quantidade de boas tomadas (cinco) no painel traseiro, um receptáculo de fusível, um cabo para ligar na tomada AC. Tinha tudo que eu precisava como base para transformá-lo, de inútil estabilizador em utilíssimo supressor de surtos/filtro de linha.... Mãos a obra.

Me vali de um esquemático de um bom filtro de linha aportado aqui no fórum mesmo, pelo colega Almeida Filho, a quem agradeço. Lá tem até um tutorial que recomendo a todos, muito bom, eficiente, eficaz, relativamente fácil de construir, e até barato se considerarmos a enorme possibilidade de reaproveitamento.

Para quem tiver interesse: http://forum.clubedohardware.com.br/tutorial-construindo-filtro/462752

Retirei o transformador e a placa de controle. Medi exato o espaço onde era fixado o transformador e parti daquele espaço para buscar a elaboração do meu protetor de surtos.

De que é constituído o supressor de surtos??

- É constituído de alguns elementos série cuja função é a de abrir o circuito caso alguma anomalia se apresente, e desse modo, salvar minha configuração. Quem são eles?

1) Um fusível colocado no mesmo local do fusível original do equipamento. Só alterei o tipo de fusível, colocando ali um fusível de ação rápida com corrente de abertura de 6 Amperes. (são aqueles que tem areia dentro, ao abrir a areia misturada ao arco voltaico vira vidro e extingue esse arco pela propriedade isolante do vidro, ou outros que tem além do fio fusível uma mola que provoca uma abertura rápida...)

2) Um micro-disjuntor rearmável de 10 Amperes, que é a proteção da proteção. Como o acesso ao fusível é externo e existe sempre o risco de alguém, menos avisado, substituir o mesmo por um qualquer, de 20 A, ou por um pedaço de fio, mal não faz uma proteção extra, associada a uma chave que necessitava em meu desenho do supressor.

3) De qualquer modo, se ambas as proteções falharem, é muito normal e barato se provocar um estreitamento em uma trilha específica do circuito impresso, para que ali se abra (evapore) essa trilha em um caso especial em que nenhuma das outras proteções possa ter conseguido manipular. (segurança triplicada)

- É constituído também de alguns elementos que por um lado limitem a tensão em seus terminais e por outro, ao fazerem isso, provoquem um aumento tal de corrente que forcem a abertura de um, ou mais, dos três elementos de proteção série já vistos. Quem são eles?

1) Um centelhador, de 350 Volts, que é um elemento de cerâmica e metal que mantém duas pontas isoladas suficientemente próximas e envoltas em gás argônio dopado, cuja função é a de permitir o nascimento de uma chispa entre as pontas sempre que elas forem submetidas a uma diferença de potencial superior aquele para qual o centelhador foi elaborado. Tem a capacidade de manusear altas correntes, embora sua velocidade de atuação não seja tão boa quanto a de outros protetores. Seu forte é a grande capacidade de manuseio de corrente de exceção.

Detalhe do centelhador:

2Centelhadorags.jpg

2) Um conjunto de varistores cuja função é aquela de drenar a corrente contida em qualquer surto de tensão acima de 175 Volts no caso dos varistores por mim utilizados, que foram aqueles de número 20271, com capacidade de absorção de 190 Joules cada um ou aproximadamente 10.000 Amperes de pico. A capacidade total de absorção desse conjunto fica em 760 Joules ou 40.000 Amperes (8/20us). Há que frisar que esses varistores foram escolhidos, por teste, entre um conjunto de 20 peças, casando aqueles 4 com características o mais aproximadas possível.

É sabido que a função dos varistores é aquela de segurar a tensão e não deixar que ela suba, em seus terminais, acima daquela tensão para qual ele foi projetado para operar, e para isso eles, tal qual “kamikazes”, dão a vida se for o caso. Para evitar que dêem a vida, e não mais prestem para proteção de meu equipamento, coloquei mais uma proteção série, cuja função é a de sentir a temperatura dos varistores e, se esses assumirem temperatura superior a 90º C aproximadamente. Note que se isso vier a acontecer é por que a coisa está preta para cima dos varistores, e significa que os mesmos estarão segurando uma tensão maior do que aquela que seu equipamento agüentaria, e drenando uma corrente tal que deverá fazer com que opere, logo-logo, uma das 3 proteções primárias colocadas, abrindo assim e salvando sua config.

Entretanto se a coisa estiver tão feia assim, façamos que se abra antes, por temperatura dos varistores a proteção deles e de sua config.

Quem faz essa proteção?

1) Um elemento chamado TCO, de thermal cut-off, largamente utilizado na indústria eletro-eletrônica para prover de segurança térmica equipamentos como torradeiras, cafeteiras, secadores de cabelo, estufas, furadeiras, etc... Em um aranjo de 4 varistores, eventualmente algum deles haverá de esquentar mais do que o seu vizinho, na hora do “pega-prá-capar”. A solução para esse caso foi a adoção de 3 TCO’s em série, estrategicamente colocados sanduichados pelos varistores. Impossível que eles não os protejam, e nesse caso, por tabela, protejam seu PC e associados. Veja ai um detalhe do sanduíche de Varistores recheados com TCO’s.

3AcoplamentoTCO_Varistor.jpg

Ai termina o estágio de proteção contra surtos propriamente dito e inicia o filtro de linha constituído de um filtro passa baixa balanceado, com frequência de corte perto de 1KHz e com atenuação maior do que 120 Db em 100 KHz.

Detalhes:

Filter5order_Sch.jpg

Filter5order.jpg

Visão geral do protetor de surto/filtro de linha:

1Filtro.jpg

E, finalmente ele montado dentro da caixa do “es-estabilizador”

5Filtrodentrodacaixa.jpg

Uma visão traseira do mesmo mostra o micro-disjuntor, cuja função é a de alimentar o filtro como um todo e colocar tensão nas duas tomadas inferiores, (primeiro estágio) para que ligue nelas os dispositivos que nunca são desligados, o cable modem e o router wifi..

- Somente micro disjuntor ligado = led verde aceso = Cable + Router ligados. 2 tomadas alimentadas.

- Chave do painel acionada = led’s verde e vermelho acesos = 5 tomada alimentadas.

Chavesliga_desliga.jpg

Vocês concordam comigo que agora sim eu tornei útil um estabilizador???

Abraço...

  • Curtir 20

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mais uma aula faller, pra mim esses topicos deveriam ser pinados, como varios outros seus e de outros colegas de prestigio, como o AlmeidaFilho, esses tópicos valem muito mais aprendizado do que muitos dos que estão destacados. porém infelizmente parece que a moderação não atua nessa parte do forum, por isso peço encarecidamente que um moderador, ou se esta area não tiver um que façam moderador algum colega, que pinem estes tópicos que são de grande valia para o assunto tratado na area de fontes e energia. Parabens novamente.

Abraços

  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agora sim......vou imprimir esse tópico e o do AlmeidaFilho, e vou dar um jeito no estabilizador que tenho aqui em casa!!!!

Muito Obrigado faller.

Rumo ao descarte dos estabilizadores!!!!

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Quer dizer que numa queda de energia ou descarga, esse filtro de linha protegeria o computador ou qualquer eletrônico ligado no filtro?
Numa dessas coisas que você chama de descarga, prefiro chamar de transiente ou surto de tensão, sim o supressor de surtos opera e protege seu PC ou qualquer coisa que nele esteja ligado. Mas numa queda de energia só quem pode solucionar é um no-break, ninguém mais...
Como posso saber se o estabilizador que eu comprar é descente??
Decente para que??? O que você espera de um estabilizador???. As fontes modernas podem operar, algumas, desde 90 até 270 Volts... Seu refrigerador só pode operar entre 100 e 140 Volts, o que significa que a tensão em sua casa está nessa faixa, e nele, no refrigerador, você não põe estabilizador, porque colocaria em um PC???
Tem alguma especificação dele que possa ajudar a descobrir? E no caso dos no-breaks, como saber o mesmo?

Ai você tem uma serie de especificações desde a parte de geração da energia, até a parte de proteção elétrica, que pode ou não estar contida em seu no-break. Informe-se, estude...

Abraço...

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sr. Faller,

Depois de ler bastante alguns tópicos seus, e outros do Sr. Almeida, resolvi dar uma "reforçada" na proteção de um filtro de linha FORCE LINE que tenho aqui, pra usar na TV de LCD, DVD e som, incluindo o meu precioso amplificador kenwood.

Gostaria de saber se tem algo mais que eu possa colocar aí dentro, respeitando os limites de espaço, pra melhorar a proteção.

P1100002.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Gostaria de saber se tem algo mais que eu possa colocar aí dentro, respeitando os limites de espaço, pra melhorar a proteção.

P1100002.jpg

Está um pouco difÍcil de ler as especificações dos varistores (os azuis) Um de fase/neutro e outro de fase/aterramento. No mais tem um filtro balanceado de segunda ordem e capacitor fase aterramento.

Lá no receptáculo do fusível eu colocaria um fusível adequado a sua demanda e de ação rápida..

Abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Está um pouco difÍcil de ler as especificações dos varistores (os azuis) Um de fase/neutro e outro de fase/aterramento. No mais tem um filtro balanceado de segunda ordem e capacitor fase aterramento.

Lá no receptáculo do fusível eu colocaria um fusível adequado a sua demanda e de ação rápida..

Abraço...

Ah, me esqueci de mencionar.

Os varistores que coloquei são de 130VAC, os azuis, e 25VAC, o laranja.

O fusível eu já troquei por um de 4A, ação rápida. Veio com um de 10A.

Aqui em casa é tudo 127V. Se um dia precisar de 220V, vou ter que tirar lá do medidor.

E somando o consumo máximo de tudo que vou ligar, vai chegar em 326W.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faller;

Eletrônica não é meu forte mas olhando a primeira foto do estabilizador aberto parece uma transformador velho que minha mãe tem aqui em casa única diferença é que o daqui de casa é revestido de metal!!!

Lembrei do tempo de escola que montava uns "filtros passa baixa" mas utilizava transistores, capacitores e resistores vou dar uma procurada aqui nas minhas bagunças pra ver se acho o esquema dele.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cometi um deslize esta semana desmontei minha fonte para resolver um problema de aquecimento o fan de 12 cm queimou, imagina o calorão que fez na minha vcom?

O deslize foi não tirar umas fotos do interior dela e postar aqui para vocês amigos da eletrônica avaliarem.

Em comparação com minha já falecida DR Hank de 430w a Vcom é mais pesada deve ter o triplo de componentes em seu interior e esquenta bem menos e segura meu pc a dois anos só agora queimou o fan.

Eai quando vocês vão montar uma fonte pra PC?!!!!!!!!

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A instalação de um DPS no quadro geral visa proteger todos os equipamentos da casa. O DPS nesse caso tem o formato de um disjuntor e é colocado um por cada fase. A capacidade de absorção desses Varistores deve ser maior e portanto custam mais caro. Os DPS que você coloca para proteção de alguns equipamentos, por exemplo seu PC, pode ter varistores com menor capacidade de absorção, e portanto custam menos..

Abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ulisses, não é recomendado utilizar só os DSPs no quadro de entrada, já que dentro da sua própria casa existem transientes sendo criados na sua fiação. A ligação de motorores e outros dispositivos causam surtos na rede tb que aos poucos vai degradando os componentes. Além do que se um raio "decidir" cair em do lado da sua casa ou em cima do teto, todos os fios vão ser carregados de corrente, dai nao adianta um DPS instalado lá na entrada da sua casa, esses só servem pra surtos gerados externamente. A regra é, quanto mais proximo um DPS, seja ele um filtro de linha com proteção anti-surto, melhor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Falle e _rau_ fiquei com duvida porque na faculdade cada sala de laboratório tem uma proteção independente.

Tava imaginando em colocar este DPS aqui em casa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

faller aqueles TCOs vão nas mesmas trilhas dos varistores?? No caso logo em seguida de cada um deles???

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Posição dos TCO's:

O fio fase entra no case, vai ao fusível de painel traseiro, saindo passa pelo disjuntor rearmável e entra na placa de circuito impresso. Logo em seguida a entrar na placa passa por um pequeno estreitamento de trilha (se tudo der errado, é alí, nesse pedaço de trilha que o impresso vai evaporar) e em seguida passa por 3 TCO's colocados em série. Após os TCOs' é que vem os Varistores que irão provocar um curto circuito para qualquer tensão mais elevada (pico, transiente, surto) Desse modo, provocando um curto circuito, se eleva a corrente por todo esse caminho e, na presença de um surto maior que o manipulável pelos varistores, ou o fusível abre, ou o disjuntor abre ou a trilha abre, todos por corrente elevada, ou o varistor esquenta tanto que os TCO's abrem por temperatura (acima de 92ºC)..

Claro que qualquer um desses abrindo, se abre o circuito que alimenta seus equipamentos.

O TCO desse modo protege seus equipamentos e também os varistores...

Porque 3 TCO´s em série, se um só abrindo é a conta???

Para melhorar o acoplamento térmico entre TCO e Varistor. Veja que a associação de varistores em paralelo sempre é complicada (mesmo que eu os tenha escolhido casados o máximo possível em um grupo de 20 varistores) Um deles vai sempre iniciar a conduzir com uma tensão mais baixa um pouco. Aquele que iniciar com uma tensão mais baixa vai iniciar a conduzir antes e teoricamente, vai esquentar mais. Vai existir um TCO para sentir a temperatura de cada par de varistores, por segurança e bom acoplamento térmico. Prefiro trocar TCO na minha proteção, se for o caso, a ter dano em meus equipamentos...

Depois disso tudo ainda vem o filtro de linha, cuja função não mais é abrir mas sim filtrar..

Abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faller... entendo muito pouco de eletrônica, mas achei muito interessante tanto esse seu relato quanto o tutorial do AlmeidaFilho sobre a construção de um filtro de linha. Parabéns e muito obrigado pela iniciativa!

Mas percebi várias diferenças entre o seu e esquema e o esquema apresentado por ele. Não entendo muito, mas, pelo que parece, o seu filtro tem mais proteções, certo?

Percebo que na sua pci tem umas bobinas e somente um núcleo toroidal, mas com 2 cabos enrolados... Se não for muito trabalhoso, será que teria como você apontar essas diferenças e explicar como e por que elas estão presentes? Também fiquei curioso em quão estreito o estreitamento de trilha deve ser.

Tenho um estabilizador bem semelhante a esse seu, mas com 6 tomadas, e estava com intenções de transformá-lo em um filtro de linha como você fez, mas vou precisar incomodar vocês do fórum um bocado até chegar lá. ^_^

Ah, e desculpem se eu desenterrei o tópico.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Mas percebi várias diferenças entre o seu e esquema e o esquema apresentado por ele. Não entendo muito, mas, pelo que parece, o seu filtro tem mais proteções, certo?

Percebo que na sua pci tem umas bobinas e somente um núcleo toroidal, mas com 2 cabos enrolados... Se não for muito trabalhoso, será que teria como você apontar essas diferenças e explicar como e por que elas estão presentes? Também fiquei curioso em quão estreito o estreitamento de trilha deve ser.

O circuito é basicamente aquele apresentado pelo Almeida Filho, com um tempeirinho a mais, a saber:

- Como necessitava de uma chave geral que ativasse a proteção e duas tomadas somente, adotei uma chave do tipo micro-disjuntor, servindo como elemento de abertura rearmável, de 10 Amperes. Deixar duas ou mais tomadas ligada diretas através do filtro, é interessante para manter ligados dispositivos tais como modem, router, no-break...

- Coloquei porque tinha, um centelhador a gás de 350 Volts. O centelhador a gás representa uma proteção mais forte que os varistores, com capacidade bem maior de absorção de corrente do que esses, embora mais lento na ação. É a proteção pesada;

- Como não tinha um elemento varistor cm alta capacidade de absorção de energia, e tinha diversos com capacidade menor, escolhi dentre muitos 4 deles com condições de condução mais próxima possível (isso exige ter um variac, dois multímetros e saco para fazer a escolha.. Tinha todos esses então fiz);

- O ideal é que se proteja os termicamente os varistores, e como são 4, coloquei para melhor acoplamento térmico, 3 TCO's entre os mesmos. Esses TCO's estão em série. Desse modo qualquer um que abrir, abrirá a corrente para os varistores e também para a saída do filtro, protegendo tudo. Os TCO's tem uma temperatura de fusão de 92ºC.

Ai se encerram as diferenças na parte de proteção, com relação ao esquema básico do Almeida Filho.

Na parte de filtro nada é diferente a não ser o tipo de bobina que usei. Como se trata de reaproveitamento, a primeira bobina saiu do ferro velho, exatamente da fonte de um equipamento antigo de informática, da era pré PC. É um transformador com duas bobinas e tem o mesmo efeito do que fosse enroladas em um núcleo toroidal. Tinha essa bobina a indutância que eu necessitava, cerca de 13 mili Henryes.

O fato de eu usar 4 capacitores em paralelo é uma questão de aproveitamento do que eu tinha aliado a conseguir uma alta capacitância com boa tensão de isolação (630 volts).

A segunda bobina é exatamente igual aquelas apresentadas pelo Almeida Filho. A única diferença é que, para conseguir a indutancia que o filtro requeria, necessitava de bem mais do que as 15 a 18 espiras que nele é possível de se colocar com uma boa separação física entre os dois conjuntos de espiras. Não é aconselhável se colocar espiras isoladas somente com verniz nesse tipo de enrolamento, pois se tem num deles fase e no outro o neutro. Uma diferença de potencial um pouco alto para o verniz segurar numa boa. Por isso adotei fazer a bobina com fio isolado (cabinho). Nesse caso passei fio sobre fio sem maiores cuidados.

Só isso é que difere meu circuito daquele original do Almeida Filho.

Abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faller,

Caso eu tenha só um daqueles toróides, de 30mm de diametro externo, posso fazer o enrolamento da bobina, usando fio envernizado 20 para a fase, e cabinho isolado para o neutro, por cima do fio envernizado?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Faller,

Caso eu tenha só um daqueles toróides, de 30mm de diametro externo, posso fazer o enrolamento da bobina, usando fio envernizado 20 para a fase, e cabinho isolado para o neutro, por cima do fio envernizado?

Pode. Não sei se terás algum ganho, mas pode sim. Veja que o número de espiras em cada bobina deve ser igual em função da simetria e balanceamento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
- Como necessitava de uma chave geral que ativasse a proteção e duas tomadas somente, adotei uma chave do tipo micro-disjuntor, servindo como elemento de abertura rearmável, de 10 Amperes. Deixar duas ou mais tomadas ligada diretas através do filtro, é interessante para manter ligados dispositivos tais como modem, router, no-break...

Então, estas duas tomadas estão ligadas somente ao disjuntor rearmável e não ao cirtuito completo!?

Compensa utilizar este tipo de proteção em detrimento de um fusível normal!?

Como você fez pra ligá-lo ao circuito?

- Coloquei porque tinha, um centelhador a gás de 350 Volts. O centelhador a gás representa uma proteção mais forte que os varistores, com capacidade bem maior de absorção de corrente do que esses, embora mais lento na ação. É a proteção pesada;

Estes centelhadores são fáceis de ser encontrados em lojas de eletrônica!? Preciso especificar alguma coisa ao comprá-los ou a única informaçao que preciso são os 350V?

- Como não tinha um elemento varistor cm alta capacidade de absorção de energia, e tinha diversos com capacidade menor, escolhi dentre muitos 4 deles com condições de condução mais próxima possível (isso exige ter um variac, dois multímetros e saco para fazer a escolha.. Tinha todos esses então fiz);

O ideal, então, seria seguir o esquema do Almeida de 3 Varistores?

- O ideal é que se proteja os termicamente os varistores, e como são 4, coloquei para melhor acoplamento térmico, 3 TCO's entre os mesmos. Esses TCO's estão em série. Desse modo qualquer um que abrir, abrirá a corrente para os varistores e também para a saída do filtro, protegendo tudo. Os TCO's tem uma temperatura de fusão de 92ºC.

Repetindo a dúvida do Centelhador, como faço pra comprar estes TCOs? Preciso fornecer alguma informação como a temperatura de fusão!?

Compro 2 deles e coloco "em sanduíche" com os 3 varistores?

Na parte de filtro nada é diferente a não ser o tipo de bobina que usei. Como se trata de reaproveitamento, a primeira bobina saiu do ferro velho, exatamente da fonte de um equipamento antigo de informática, da era pré PC. É um transformador com duas bobinas e tem o mesmo efeito do que fosse enroladas em um núcleo toroidal. Tinha essa bobina a indutância que eu necessitava, cerca de 13 mili Henryes.

Com o conhecimento inexistente de eletrônica que eu tenho, seria mais simples que eu seguisse com o filtro em si feito com os núcleos toroidais, né?

A segunda bobina é exatamente igual aquelas apresentadas pelo Almeida Filho. A única diferença é que, para conseguir a indutancia que o filtro requeria, necessitava de bem mais do que as 15 a 18 espiras que nele é possível de se colocar com uma boa separação física entre os dois conjuntos de espiras. Não é aconselhável se colocar espiras isoladas somente com verniz nesse tipo de enrolamento, pois se tem num deles fase e no outro o neutro. Uma diferença de potencial um pouco alto para o verniz segurar numa boa. Por isso adotei fazer a bobina com fio isolado (cabinho). Nesse caso passei fio sobre fio sem maiores cuidados.

Poderia explicar por que você precisava de uma indutância maior!? Talvez fosse o caso de mais de nós também precisarmos?

Também fiquei curioso pra saber como você fez a ligação nos leds... não é direto com os cabos de força, né?

Muito obrigado pela ajuda e...desculpa a incomodação, mas eu tô realmente interessado em aprender não só mecanicamente, mas entendendo o porquê das coisas. :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Então, estas duas tomadas estão ligadas somente ao disjuntor rearmável e não ao cirtuito completo!?

Não, pois ai não teria sentido ter uma proteção e filtro. Tambéa as queria nessas tomadas. É assim:

O neutro vai direto na entrada do filtro. O fase passa pelo fusível, passa pelo micro-disjuntor, que funciona como chave liga/desliga geral e vai para a entrada da proteção/filtro. Na saída desse conjunto vai direto para as duas tomadas... Ligando-se o disjuntor, alimenta as tomadas, via proteção/filtro. Na saída do filtro, já com energia condicionada (filtrada e protegida) vai para a chave de painel, que liga/desliga o restante das tomadas..

Compensa utilizar este tipo de proteção em detrimento de um fusível normal!?

Como você fez pra ligá-lo ao circuito?

Nem é o caso de compensar ou não. Uma chave dessas ai, com disjuntor, iluminação e chave se encontra no mercado por R$ 7,00, mais ou menos o preço de uma chave de painel...Então...

Estes centelhadores são fáceis de ser encontrados em lojas de eletrônica!? Preciso especificar alguma coisa ao comprá-los ou a única informaçao que preciso são os 350V?

Não tenho ideia, mas vai depender muito da loja, de cidade, etc... Não necessita ser exatamente de 350 Volts, pode ser em torno disso. de 300 a 600 volts tudo vale...

O ideal, então, seria seguir o esquema do Almeida de 3 Varistores?

O ideal sempre é um varistor por dupla de fios. Fase-neutro, fase-terra, neutro-terra.. com uma boa capacidadde de absorção. Um varistor de 40 mm tem uma capacidade maior de absorção que um varistor de 20 mm de diâmetro. O acoplamentfo de varistores em paralelo, embora não desejável, é plenamente utilizável desde que se tome alguns cuidados extra no casamento deles e também na proteção térmica dos mesmos. Os cuidados no casamento deles podem ir desde simples cuidado de colocar todos do mesmo tipo/fabricante, até testes de tensão de condução de determinada corrente... Tanto melhor a seleção melhor o resultado. O máximo de resultado não ficaria melhor do que um varistor único. Acontece qiue não é fácil de se encontrar varistores de alta absorção e não são baratos...

Repetindo a dúvida do Centelhador, como faço pra comprar estes TCOs? Preciso fornecer alguma informação como a temperatura de fusão!?

Compro 2 deles e coloco "em sanduíche" com os 3 varistores?

Temperatura de fusão é a principal característica deles. Capacidade de manuseio de corrente é a outra (a corrente que pode passar através do mesmo) geralmente de 10 a 15 Amperes.

Com o conhecimento inexistente de eletrônica que eu tenho, seria mais simples que eu seguisse com o filtro em si feito com os núcleos toroidais, né?

Para mim o mais fácil foi usar uma bobina pronta, que tinha. Sew não tens, fazer uma a partir de um núcleo toroidal não envolve nenhuma ciência... Só doi um pouquinho os dedos quando vai chegando no final...

Poderia explicar por que você precisava de uma indutância maior!? Talvez fosse o caso de mais de nós também precisarmos?

Eu queria baixar a frequência de corte do filtro, fazer ele começar a filtrar em frequência mais baixa. Não se ganha muito com isso, mais foi a birra de minha parte. Os transientes estão colocados, em frequência, nas mais altas. Com filtros simples já é possível tirá-las fora..

Também fiquei curioso pra saber como você fez a ligação nos leds... não é direto com os cabos de força, né?

A noite te passo um esqueminha de como fazer isso, é bem simples...

Posto aqui...

Tai o circuito para colocar um led em 127 Volts... Para 220 Volts é só reduzir o valor do capacitor a metade, c= 150nF x 400Volts

Ledem127VAC-1.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Não, pois ai não teria sentido ter uma proteção e filtro. Tambéa as queria nessas tomadas. É assim:

O neutro vai direto na entrada do filtro. O fase passa pelo fusível, passa pelo micro-disjuntor, que funciona como chave liga/desliga geral e vai para a entrada da proteção/filtro. Na saída desse conjunto vai direto para as duas tomadas... Ligando-se o disjuntor, alimenta as tomadas, via proteção/filtro. Na saída do filtro, já com energia condicionada (filtrada e protegida) vai para a chave de painel, que liga/desliga o restante das tomadas..

Ah sim! Entendi!

Nem é o caso de compensar ou não. Uma chave dessas ai, com disjuntor, iluminação e chave se encontra no mercado por R$ 7,00, mais ou menos o preço de uma chave de painel...Então...

Perfeito... no caso, você removeu um dos dois porta fusíveis traseiros pra colocar o micro-disjuntor, certo?

Com a adição do micro-disjuntor e do fusível de ação rápida de 4A, não precisamos adicionar mais fusíveis à PCI em si. Ou você ainda acha necessário manter os fusíveis indicados pelo Almeida?

Não tenho ideia, mas vai depender muito da loja, de cidade, etc... Não necessita ser exatamente de 350 Volts, pode ser em torno disso. de 300 a 600 volts tudo vale...

Perfeito. Amanhã de manhã vou sair à caça dessas peças. Considerando que tem uma renomada escola técnica de eletrônica na minha cidade, acho que não terei maiores problemas em encontrar as peças citadas. De qualquer jeito, faço faculdade em Porto Alegre e imagino que as lojas das capitais estejam mais... bem sortidas, por assim dizer. :D

O ideal sempre é um varistor por dupla de fios. Fase-neutro, fase-terra, neutro-terra.. com uma boa capacidadde de absorção. Um varistor de 40 mm tem uma capacidade maior de absorção que um varistor de 20 mm de diâmetro. O acoplamentfo de varistores em paralelo, embora não desejável, é plenamente utilizável desde que se tome alguns cuidados extra no casamento deles e também na proteção térmica dos mesmos. Os cuidados no casamento deles podem ir desde simples cuidado de colocar todos do mesmo tipo/fabricante, até testes de tensão de condução de determinada corrente... Tanto melhor a seleção melhor o resultado. O máximo de resultado não ficaria melhor do que um varistor único. Acontece qiue não é fácil de se encontrar varistores de alta absorção e não são baratos...

Hmmm... então, levando em consideração que eu não disponho de um multímetro, eu teria que comprar os varistores com o maior diâmetro que eu encontrar, certo!?

Nesse caso, qual seria um diâmetro considerado bom para esta aplicação em específico? 20mm? 40mm?

Temperatura de fusão é a principal característica deles. Capacidade de manuseio de corrente é a outra (a corrente que pode passar através do mesmo) geralmente de 10 a 15 Amperes.

Ok... sendo então 3 varistores, preciso de 2 TCOs pra fazer o sanduíche, certo?

Para mim o mais fácil foi usar uma bobina pronta, que tinha. Sew não tens, fazer uma a partir de um núcleo toroidal não envolve nenhuma ciência... Só doi um pouquinho os dedos quando vai chegando no final...

Em termos de desempenho, seria melhor reutilizar uma bobina ou criar uma com o toróide de ferrite?!

Eu queria baixar a frequência de corte do filtro, fazer ele começar a filtrar em frequência mais baixa. Não se ganha muito com isso, mais foi a birra de minha parte. Os transientes estão colocados, em frequência, nas mais altas. Com filtros simples já é possível tirá-las fora..

Isso significa que não preciso me preocupar em criar um filtro com frequência de corte menor, né? Digo... aquele apresentado pelo Almeida já vai dar conta do recado, certo?

A noite te passo um esqueminha de como fazer isso, é bem simples...

Posto aqui...

Vou ficar aguardando! :)

Ah... mais uma perguntinha... como e onde eu introduziria o estreitamento de trilha no meu circuito!?

Muito obrigado por toda a ajuda!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Perfeito... no caso, você removeu um dos dois porta fusíveis traseiros pra colocar o micro-disjuntor, certo?

Mais ou menos. O estabilizador tinha um porta fusivel e, ao lado, um estampado vazio no mesmo formato. Coloquei ai o micro-disjuntor:

2Trazeiraporfora.jpg

Com a adição do micro-disjuntor e do fusível de ação rápida de 4A, não precisamos adicionar mais fusíveis à PCI em si. Ou você ainda acha necessário manter os fusíveis indicados pelo Almeida?

A primeira decisão é a topologia que você vai escolher. Veja que o Almeida colocou lá no tutorial dele várias delas, com aterramento, sem aterramento, para 110 para 220, etc... Essa topologia que utilisei é para instalação sem aterramento e alimentação em 120 Volts... Nesse caso, só tenho 1 fase, somente um fusível resolve, como ele estava, com suporte no painel, não necessita ficar na PCI...

Nesse caso, qual seria um diâmetro considerado bom para esta aplicação em específico? 20mm? 40mm?

40 mm é ótimo, mas seu preço pode ser salgado como R$ 20,00 cada. Os de 20mm servem também. Como usei de 20 mm, coloquei 4 deles entre fase e neutro. Se fizeres um filtro com aterramento, reforce essa proteção, fase neutro, coloque ai alguns em paralelo, 2, 3 ou 4... Nas ptroteções F-T e N-T pode colocar um somente, de 20mm em cada.

Ok... sendo então 3 varistores, preciso de 2 TCOs pra fazer o sanduíche, certo?

Se sanduichares os varistores colocados entre Fase e Neutro, coloque entre cada dois deles um TCO. Dois varistores, 1 TCO, 3 varistores, dois TCO´s etc.. Nos varistores Fase-Terra, como seria um somente, ou não colocar TCO ou colocar um somente grudado no varistor e, esse TCO em série com o fio protegido (Se Fase - Terra, o TCO em sértie com o fase)

Em termos de desempenho, seria melhor reutilizar uma bobina ou criar uma com o toróide de ferrite?!

Pouco ou nada muda.. Se reutilizares, não terás o trabalho de fazê-la, só isso...

Isso significa que não preciso me preocupar em criar um filtro com frequência de corte menor, né? Digo... aquele apresentado pelo Almeida já vai dar conta do recado, certo?

Aqueles apresentados pelo Almeida Filho são de tamanho, frequência de corte e atenuação suficientes para o que se destinam e melhores que a grande maioria dos diospositivoos de proteção que andam por ai...

Ah... mais uma perguntinha... como e onde eu introduziria o estreitamento de trilha no meu circuito!?

Em eletrônica pouca coisa se inventa, a maioria a gente copia, principalmente as boas idéias.. Esse estreitamento até pode ter sistemática e/ou equação de cálculo, mas, como se trata de uma proteção a mais que 3 outras... só será usada se tudo, mas tudo mesmo der errado, a preocupação com ela é pequena. Conceitualmente se todas as trilhas por onde passará a corrente para seu PC, ou a corrente de dreno dos Varistores, tiver, vamos chutar, 4 mm de largura e, em determinado ponto você fizer um estreitamento para 3 mm por um comprimento de uns outros 3 mm, não tenho a menor dúvida de que é ali que vai estourar a trilha, caso seja necessário. Outra alternativa é olhar algum tipo de proteção dessas e tentar copiar. Te mostro uma ai na foto, de meu antigo filtro importado que usava, onde fica claro esse estreitamento..

Trilhafusvel.jpg

Trilhafusvelneutro.jpg

Se eu tiver um tempo tiro uma foto dai porém com uma régua justaposta...

Grande abraço...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Circuito para ligar um led na rede direto foi colocado dois posts acima..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
A primeira decisão é a topologia que você vai escolher. Veja que o Almeida colocou lá no tutorial dele várias delas, com aterramento, sem aterramento, para 110 para 220, etc... Essa topologia que utilisei é para instalação sem aterramento e alimentação em 120 Volts... Nesse caso, só tenho 1 fase, somente um fusível resolve, como ele estava, com suporte no painel, não necessita ficar na PCI...

No meu caso, seria um circuito para 220v, com aterramento. Isso faria com que fossem necessários 2 fusíveis de ação rápida de 4A?

40 mm é ótimo, mas seu preço pode ser salgado como R$ 20,00 cada. Os de 20mm servem também. Como usei de 20 mm, coloquei 4 deles entre fase e neutro. Se fizeres um filtro com aterramento, reforce essa proteção, fase neutro, coloque ai alguns em paralelo, 2, 3 ou 4... Nas ptroteções F-T e N-T pode colocar um somente, de 20mm em cada.

Puxa, me perdi. Como tenho aterramento (e provavelmtente vou usar varistores de 20mm), vou precisar de 6 varistores de 20mm!?

Caso eu conseguisse varistores de 40mm, quantos deles seriam necessários!?

Se sanduichares os varistores colocados entre Fase e Neutro, coloque entre cada dois deles um TCO. Dois varistores, 1 TCO, 3 varistores, dois TCO´s etc.. Nos varistores Fase-Terra, como seria um somente, ou não colocar TCO ou colocar um somente grudado no varistor e, esse TCO em série com o fio protegido (Se Fase - Terra, o TCO em sértie com o fase)

Acho que entendi... é sempre bom que o varistor tenha um TCO imediatamente ao lado dele, correto!?

A função desses TCOs seria superaquecer os varistores e fazer com que eles estourem, rompendo o circuito antes de danificar os meus aparelhos ou eu entendi errado!?

Em eletrônica pouca coisa se inventa, a maioria a gente copia, principalmente as boas idéias.. Esse estreitamento até pode ter sistemática e/ou equação de cálculo, mas, como se trata de uma proteção a mais que 3 outras... só será usada se tudo, mas tudo mesmo der errado, a preocupação com ela é pequena. Conceitualmente se todas as trilhas por onde passará a corrente para seu PC, ou a corrente de dreno dos Varistores, tiver, vamos chutar, 4 mm de largura e, em determinado ponto você fizer um estreitamento para 3 mm por um comprimento de uns outros 3 mm, não tenho a menor dúvida de que é ali que vai estourar a trilha, caso seja necessário. Outra alternativa é olhar algum tipo de proteção dessas e tentar copiar. Te mostro uma ai na foto, de meu antigo filtro importado que usava, onde fica claro esse estreitamento..

Então o estreitamento não precisa ser muito exagerado/extenso e pode ser em qual segmento da trilha eu achar mais cômodo!? Não entendo praticamente nada, mas não consigo imaginar o surto necessário pra fazer com que uma trilha tão grande simplesmente evapore. Essa proteção vai mesmo entrar em ação antes de torrar o meu PC!? Vale a pena implementá-la? :huh:

Tai o circuito para colocar um led em 127 Volts... Para 220 Volts é só reduzir o valor do capacitor a metade, c= 150nF x 400Volts

Semi-analfabeto em eletrônica aqui... hehe...^_^

Então, pra montar esse sisteminha com os leds, vou precisar de um capacitor de 150nF x 400V, um resistor de 2k7 Ohms (qual seria o código de cor dele? vermelho-preto-roxo-laranja?), um led (obviamente), e... um... o que é aquilo ali no canto inferior esquerdo!? um diodo!?:huh:

Ah... e eu preciso de uma PCI pra montar os leds em cima!? Ou dá pra fazer a conexão com fios!? Se dá, quais fios!?

Amanhã pela manhã vou comprar os componentes e materiais necessários pra montagem. Nesse sábado já devo estar com o filtro funcionando, mas preciso saber tudo que vou precisar pra montar o filtro...

Eis a lista que consegui juntar pro meu filtro em 220v com aterramento:

- 6 Varistores 20361
- 4 capacitores cerâmicos 4700pF x 1200v (classe Y)
- 1 capacitor de poliéster 470nF x 630v (classe x)
- 5m de fio esmaltado com diâmetro de 0,8mm (awg20)
- 2 núcleos toroidais de ferrite (27mm de diâmetro, 11mm de largura e 5,5mm de espessura)
- 1 PCI virgem de 15x6cm
- percloreto de ferro
- 2 fusíveis de ação rápida de 4A
- 1 porta fusível (vou aproveitar um dos porta fusíveis traseiros do meu estabilizador SMS)
- 1 micro-disjuntor rearmável de 10A (que vai ocupar o espaço antes ocupado pelo 2º porta fusível traseiro)
- 1 centelhador a gás (300 - 600v)
- 6 TCOs com fusão de 92ºC
- 1 resistor de 470k 2w
- 1 resistor de 2k7 2w
- 1 capacitor (cerâmico!?) 150nF x 400v

Esqueci de alguma coisa!?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!