Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação Mtek PSH-750V

       
 56.045 Visualizações    Testes  
 8 comentários

Testamos o modelo de 750 W da popular Mtek. Será que ela consegue realmente entregar 750 W? Confira.

Teste da Fonte de Alimentação Mtek PSH-750V
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Análise do Secundário

Esta fonte traz quatro retificadores Schottky em seu secundário.

A corrente máxima teórica que cada linha pode fornecer é dada pela fórmula I / (1 - D), onde D é o ciclo de trabalho usado e I é a corrente máxima suportada pelo diodo de retificação. Apenas como um exercício, nós podemos assumir um ciclo de trabalho típico de 30%.

A saída de +12 V é produzida por dois retificadores Schottky STPS4045CW conectados em paralelo, cada um suportando até 40 A (20 A por diodo interno a 150° C, queda de tensão máxima de 0,63 V). Isso nos dá uma corrente máxima teórica de 57 A ou 686 W. As outras três fontes baseadas na mesma plataforma (C3Tech PSH750V, Corsair TX750W e Thermaltake Toughpower 750 W) usam retificadores de 60 A aqui, o que dá uma bela diferença na corrente e potência máxima teóricas (86 A ou 1,029 W).

Já a saída de +5 V usa um retificador Schottky STPS3045CW, que suporta até 30 A (15 A por diodo interno a 155° C, queda de tensão máxima de 0,57 V). Isso nos dá uma corrente máxima teórica de 21 A ou 107 W. Esta saída é diferente da dos outros modelos citados acima. A C3Tech PSH750V e a Thermaltake Toughpower 750 W usam um retificador de 40 A aqui, enquanto que a Corsair TX750W usa um retificador de 60 A!

A saída de +3,3 V é produzida por outro retificado Schottky STPS3045W, dando uma potência máxima teórica de 71 W para esta saída. Esta saída é também diferente da dos outros modelos citados acima. A C3Tech PSH750V e a Thermaltake Toughpower 750 W usam um retificador de 40 A aqui, enquanto que a Corsair TX750W usa um retificador de 60 A!

Mtek PSH-750V
Figura 12: Retificadores.

Esta fonte usa um circuito integrado de monitoramento PS229, que é o responsável pelas proteções da fonte. Infelizmente não há informações sobre este circuito no site do fabricante.

Mtek PSH-750V
Figura 13: Circuito de monitoramento.

Os capacitores eletrolíticos do secundário também são da Samxon e rotulados a 105° C como de costume. Esses são os mesmos capacitores usados na Thermaltake Toughpower 750 W e na C3Tech PSH750V, com a Corsair TX750W novamente levando vantagem por usar capacitores japoneses da Chemi-Con aqui.

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários


Isso sem contar que a própria C3Tech PSH-750 custa menos e é um produto melhor.

Já cheguei a ver ela aqui em Recife (onde componentes costumam ser muito caros, especialmente fontes de alimentação) por 440 reais, um mês atrás.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Se ela fosse bem mais barata até dava pra negociar, mas com o preço próximo ao de outras boas e de qualidade inferior não dá..

Triste ver eles usarem um bom modelo mas com peças de especificação inferior. :(

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Se ela fosse bem mais barata até dava pra negociar, mas com o preço próximo ao de outras boas e de qualidade inferior não dá..

Triste ver eles usarem um bom modelo mas com peças de especificação inferior. :(

Acho que o problema nem é este último Xita, mas sim o preço mesmo. Porque a razão de usar peças inferiores seria baratear né? Inflacionaram apenas porque é uma fonte de 750W e a maioria das pessoas só compara isso entre as fontes.

Pra mim o resultado do teste é admirável e apresenta algo de positivo: uma marca de produtos bem genéricos (já tive um mouse Mtek, ôoooo tristeza!) buscando um mínimo de qualidade.

Hoje estamos exigentes com 80% mínimo de eficiência, mas há bem pouco tempo, se ficou acima de 75% já era produto a se recomendar.

Se mais fabricantes genéricos buscassem esse mínimo de qualidade e eficiência, mas com adequação de preço (que faltou nessa fonte testada), nosso mercado seria zilhões de vezes melhor.

[]'s

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Se mais fabricantes genéricos buscassem esse mínimo de qualidade e eficiência, mas com adequação de preço (que faltou nessa fonte testada), nosso mercado seria zilhões de vezes melhor.

[]'s

Bom ponto ! :)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Se a empresa tivesse preço,como o xita falou daria pra negociar,mas que é uma boa fonte é,com chatos pontos negativos.

Editado por pedropc'stecla

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Caraca agora fiquei meio assustado, todo mundo anda falando que a fonte da C3 Tech DSA-5060V é a mesma DSA-500V da CWT, e se for um projeto modficado para baratear o custo final, porque pelo preço é de desconfiar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Caraca agora fiquei meio assustado, todo mundo anda falando que a fonte da C3 Tech DSA-5060V é a mesma DSA-500V da CWT, e se for um projeto modficado para baratear o custo final, porque pelo preço é de desconfiar.

Então Margones, e esta fonte citada por você está na lista para ser testada tb, creio que em breve teremos o teste dela aqui.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×