Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  

Como descobrir se um processador é compatível com uma placa-mãe

       
 23.622 Visualizações    Tutoriais  
 10 comentários

Querendo descobrir como saber se um processador é compatível com uma determinada placa-mãe? Aprenda neste nosso tutorial!

Como descobrir se um processador é compatível com uma placa-mãe
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Muitos usuários ficam inseguros na hora de escolher uma placa-mãe para saber se ela é ou não compatível com o processador que eles escolheram. Neste tutorial ensinaremos a você a como saber se uma determinada placa-mãe é compatível com um determinado processador.

Para um processador ser compatível com uma placa-mãe, existem três compatibilidades que devem ser obedecidas simultaneamente: a compatibilidade do soquete do processador, a compatibilidade elétrica e a compatibilidade lógica. Vamos a elas.

Compatibilidade do soquete

A compatibilidade mais óbvia e mais fácil de identificar é a compatibilidade do soquete: tanto o processador quanto a placa-mãe têm de usar o mesmo soquete.

Por exemplo, os processadores da série Ryzen atualmente utilizam o soquete AM4 e, portanto, são compatíveis apenas com placas-mãe que utilizem este tipo de soquete.

Da mesma forma, processadores Core i de oitava geração utilizam o soquete LGA1151 e, portanto, requerem uma placa-mãe com este tipo de soquete.

Mas apenas a compatibilidade de soquete não é suficiente: ela diz respeito apenas ao fato de o processador encaixar na placa-mãe. Os outros dois tipos de compatibilidade (elétrica e lógica) também precisam ser respeitados, e o soquete LGA1151 é um excelente exemplo disso, como explicaremos em seguida.

Para saber qual é o soquete utilizado por um determinado processador, consulte a tabela presente em nosso tutorial “Lista completa de soquetes de processadores”.

Editado por Gabriel Torres

Compartilhar

  • Curtir 10


  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários


Ótimo artigo @Gabriel Torres! Estava precisando mesmo, essa 8ª geração da Intel está confundindo muita gente (e convenhamos, acho que eles fizeram não ser compatível mais de sacanagem mesmo). Esses dias eu vi um artigo do techtudo que falava sobre builds de PCs até 3000 reais e artigo deles dizia q uma boa opção era um i3 8100 com uma H110.... E pior q n achei nenhum botão nem link pra sugerir correção do artigo.. Fiquei imaginando quantas pessoas vão seguir aquilo e descobrir que compraram errado...

 

Uma outra dica que eu acho q seria louvável o @Gabriel Torres mencionar no artigo são as novas placas-mãe B450 da MSI que estão vindo com o recurso BIOS Flashback+ como padrão, que permite fazer o update da BIOS mesmo sem uso de CPU, com apenas um pendrive e acionando um botão (e a fonte conectada, claro!). Uma excelente iniciativa da MSI pra acabar com a confusão de sockets iguais mas incompatibilidade de BIOS.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Visitante

artigo muito bom com certeza vai ajudar muita gente

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Por que nas placas-mãe baseadas nos chipsets da série 300 a Intel simplesmente não mudou a nomenclatura do soquete para LGA1151+ ou LGA1151b?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, Steeveantonichen disse:

Uma outra dica que eu acho q seria louvável o @Gabriel Torres mencionar no artigo são as novas placas-mãe B450 da MSI que estão vindo com o recurso BIOS Flashback+ como padrão, que permite fazer o update da BIOS mesmo sem uso de CPU, com apenas um pendrive e acionando um botão (e a fonte conectada, claro!). Uma excelente iniciativa da MSI pra acabar com a confusão de sockets iguais mas incompatibilidade de BIOS.

 

Eu cheguei a pensar em adicionar esta informação, mas como ainda é um recurso muito limitado específico de um fabricante/série de placas-mãe, preferi deixar de fora, mas quem ler os comentários vai ver a dica aqui! Aliás, muito obrigado, com certeza seu post vai ajudar outros usuários.

 

10 horas atrás, Darkmana disse:

Por que nas placas-mãe baseadas nos chipsets da série 300 a Intel simplesmente não mudou a nomenclatura do soquete para LGA1151+ ou LGA1151b?

 

Grandes mistérios da humanidade. Na mesma série de: por que a NVIDIA lança três placas de vídeo diferentes com o mesmo nome? Acho que esses mistérios inclusive dão um bom vídeo na série "Mitos do Hardware" ou pelo menos um artigo!

 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

No manual da placa-mãe relaciona os processadores admitidos na versão, por acaso ela discrimina apenas os recomendados por ela ou todos os admissíveis?

A razão da pergunta é porque em termos de memória, o manual da Asus apresenta farta quantidade de modelos de memória tidas como compatível para o modelo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, misterjohn disse:

No manual da placa-mãe relaciona os processadores admitidos na versão, por acaso ela discrimina apenas os recomendados por ela ou todos os admissíveis?

A razão da pergunta é porque em termos de memória, o manual da Asus apresenta farta quantidade de modelos de memória tidas como compatível para o modelo.

 

Processador é uma situação diferente de memórias, não tem meio termo, já as memórias, além do número muito maior de modelos e variáveis, não são todos os que são testados, por isso tem a diferença de memórias recomendadas e processadores suportados.

Sempre é melhor ver o site do fabricante pois ele é atualizado, diferentemente do manual físico.
Caso recente dos Ryzen série 2000 serem suportados pelas placas de primeira geração. ;)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 30/09/2018 às 12:55, misterjohn disse:

No manual da placa-mãe relaciona os processadores admitidos na versão, por acaso ela discrimina apenas os recomendados por ela ou todos os admissíveis?

 

O manual muitas vezes deve ser ignorado, pois o manual, por ter sido impresso antes de determinados processadores chegarem ao mercado, não conterá todos os processadores que são compatíveis com a placa. Ou seja, os processadores listados no manual são compatíveis, mas poderão existir modelos compatíveis mas que não estão listados no manual. Por isso, verifique no site do fabricante, na "CPU support list", conforme explicado no tutorial.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É verdade, inclusive o dvd de drivers que faz parte do conteudo da caixa também está desatualizado, já que foi criado na fabricação da placa-mãe.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×