Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Teste do processador Ryzen 5 2600

       
 26.333 Visualizações    Testes  
 14 comentários

O Ryzen 5 2600 é um processador intermediário da segunda geração dos Ryzen da AMD, com seis núcleos, 12 threads e clock máximo de 3,9 GHz. Confira como ele se saiu em nossos testes.

Teste do processador Ryzen 5 2600
Rafael Coelho Editor-chefe do Clube do Hardware

Introdução

O processador Ryzen 5 2600 é um modelo intermediário da segunda geração dos processadores Ryzen, com seis núcleos, 12 threads e clock máximo de 3,9 GHz. Vamos ver como é seu desempenho em programas e jogos. Confira!

A segunda geração dos processadores Ryzen tem, até o momento, dois modelos com vídeo integrado, o Ryzen 3 2200G (leia o teste aqui), e o Ryzen 5 2400G, e quatro modelos sem vídeo integrado: o Ryzen 5 2600, o Ryzen 5 2600X, o Ryzen 7 2700 e o Ryzen 7 2700X.

Estes modelos sem vídeo integrado são baseados na arquitetura Zen+, que é uma melhoria (ou "refresh", no jargão da indústria) da arquitetura Zen utilizada pelos modelos Ryzen de primeira geração. Esta arquitetura utiliza um novo processo de fabricação, de 12 nm (a primeira arquitetura Zen utilizava processo de 14 nm), o que permite clocks mais altos, além de otimizações principalmente em relação a latências de memória e de cache e de avanços na tecnologia SenseMI, que controla o clock de acordo com a carga do processador. Note, portanto, que ainda não se trata da arquitetura "Zen 2", que está prevista para ser lançada em 2019 e utilizará processo de fabricação de 7 nm.

Esses novos modelos são compatíveis com as placas-mãe soquete AM4 lançadas no ano passado, juntamente com os primeiros modelos de processadores Ryzen. A AMD lançou dois novos chipsets, o X470 e o B450, porém tanto as placas-mãe "antigas" (que utilizam os chipset X370, B350 e A320) quanto as novas (baseadas no X470 e no B450) são compatíveis tanto com os processadores da geração anterior quanto os novos modelos. Pode ser necessário, porém, atualizar a BIOS de placas-mãe lançadas anteriormente para garantir a compatibilidade com processadores mais recentes.

O processador Ryzen 5 2600 que estamos analisando hoje é bastante semelhante aos modelos Ryzen 5 da geração anterior (Ryzen 5 1600 e Ryzen 5 1600X), sendo a principal diferença o uso da arquitetura Zen+. O Ryzen 5 2600, assim como o Ryzen 5 2600X, mantém os seis núcleos, com 12 threads por conta da tecnologia SMT. Ele tem clock base de 3,4 GHz e clock máximo de 3,9 GHz. Como todos os processadores Ryzen, ele tem multiplicador de clock desbloqueado.

Os processadores Ryzen são baseados em módulos chamados de CCX (core complex), sendo que cada CCX tem até quatro núcleos de processamento, 512 kiB de cache L2 para cada núcleo e 8 MiB de cache compartilhado. No Ryzen 5 2600 há dois CCX, cada um deles com três núcleos habilitados; de forma que este processador tem uma estrutura "3+3". Os dois CCX, o controlador de memória e demais circuitos internos são interligados dentro do processador pelo barramento Infinity Fabric da AMD.

O processador traz 16 pistas PCI Express 3.0 para conexão de placa de vídeo, mais quatro pistas PCI Express 3.0 para slots de uso geral (utilizados preferencialmente para SSDs PCI Express), duas portas SATA-600 e quatro portas USB 3.0 (também chamada de USB 3.1 geração 1). Obviamente, a plataforma oferece mais portas, controladas pelo chipset.

O processador Ryzen 5 2600 vem com o cooler Wraith Stealth.

Na Figura 1 vemos a embalagem do processador Ryzen 5 2600.

ryzen5-2600-01.jpg

Figura 1: embalagem do processador

A Figura 2 mostra o conteúdo da embalagem.

ryzen5-2600-02.jpg

Figura 2: conteúdo da embalagem

O processador Ryzen 5 2600 é mostrado na Figura 3.

ryzen5-2600-03.jpg

Figura 3: o processador Ryzen 5 2600

Em termos de preço nos EUA, o concorrente mais próximo do Ryzen 5 2600 é o Core i5-8400. Assim, vamos comparar estes dois processadores. Também incluímos nos comparativos o Ryzen 7 2700, bem como o Ryzen 5 2400G, o Ryzen 5 1600X e o Core i5-8600K.

Utilizamos uma GeForce GTX 1080 Ti, que é a placa de vídeo mais topo de linha disponível no momento, em todos os testes. Com isto, esperamos que o desempenho dos jogos seja limitado pelo processador, o que nos permite ver a diferença de desempenho entre os processadores.

Vamos comparar as principais especificações dos processadores testados na próxima página.

Compartilhar

  • Curtir 9
  • Amei 1


  Denunciar Artigo

Artigos similares


Comentários de usuários


Ainda bem que fiz a escolha certa de processador, quase que comprei o I5 8400. Não queria montar um pc só para games e sim para uso de trabalho também.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sinceramente, acho absurdo o Core i5 8400 ter valor superior ao do Ryzen 5 2600.

 

Levando em consideração que a maioria dos monitores são de 60 Hz ou 75 Hz, a vantagem na taxa média de FPS que o Core i5 teria em jogos - com placas de vídeo topo de linha, já que com as intermediárias a diferença é bem pequena ou inexistente - não conduz a qualquer benefício prático, já que o Ryzen vai ser capaz de entregar taxas que já superam o limite de frequência do monitor. E isso considerando Full HD, já que o aumento da resolução para 1440p ou 4K joga muito mais peso na placa de vídeo e o processador torna-se menos relevante, sendo a diferença praticamente nenhuma.

 

Ainda temos, a favor do Ryzen:

  • Flexibilidade muito maior para trabalhos diversos, sendo um processador do tipo "pau para toda obra". Enquanto o Core i5 8400 não se dá muito bem em tarefas como streaming, o Ryzen 5 2600 serve para tudo e é claramente superior em renderização e coisas do tipo. Isso também o torna mais "future proof";
  • Cooler decente, superior ao fornecido pela Intel no Core i5 8400 box;
  • Possibilidade de fazer overclock, de forma fácil e até com cooler stock, mesmo com placas-mãe simples (B350). Aquela diferença na taxa de FPS pode ser significativamente reduzida, além de ter aprimoramento do desempenho geral. O Core i5 8400 tem o multiplicador travado;
  • Suporte para a plataforma AM4 até 2020.

Na minha opinião, geralmente não há razão para recomendar esses Core i5 de 8ª Geração. Você paga o mesmo valor que pagaria em um kit com Ryzen 5 2600 (ou até mais) e leva para casa um processador que não vai trazer benefícios práticos (na maioria dos casos) quando comparado ao AMD.

 

Os novos Core i5 são ótimos processadores e podem ser utilizados para construir máquinas de desempenho muito consistente, mas acabam ofuscados por todos os benefícios que o Ryzen 5 2600 oferece. Pelo menos são recomendáveis, já que os Core i5 de 7ª Geração eu vejo como verdadeiras bombas em termos de custo x benefício, considerando tanto concorrentes da AMD quanto da própria Intel.

 

Tenho um Core i5 4670K - que, ironicamente, em stock, consegue superar um Core i5 7400 - e adoro ele. Pretendo manter por mais tempo. Mas não recomendaria processador Intel atualmente, exceto em casos muito específicos (no segmento ultra low end, os Pentium ainda aparecem como opções viáveis, enquanto no segmento high end os Core i7 são imbatíveis para altas taxas de FPS em monitores 144 Hz).

 

Sou fanboy do meu bolso e compro e recomendo sempre pensando em custo x benefício. Na época dos processadores FX, eu praticamente só recomendava Intel. Agora a coisa inverteu. Nas configurações que tenho montado, são raras as ocasiões em que recomendo Intel, já que dificilmente há razão para tal.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Foxwalt voce falou exatamente o que eu ia dizer. Na minha opinião cpus da intel, na maioria dos casos, nao fazem o menor sentido pelo preço que eles custam. Jason do Tech Deals usa os mesmos argumentos que você usou, Steve do hardware unboxed diz que o r5 2600 eh o melhor bang for the buck para gamers. Eu tb acho que o 2600 é o melhor custo x beneficio da geração, mas vai explicar isso pra quem so vê fps num cenario cpu bound atípico.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tem um outro programa que pode ser incluído nos testes, o 7zip. A diferença dos resultados com ryzen nele e no wirar é gritante! E ótimo teste. ryzen 2600 é uma opção e tanto.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, RobertoGB disse:

@Foxwalt voce falou exatamente o que eu ia dizer. Na minha opinião cpus da intel, na maioria dos casos, nao fazem o menor sentido pelo preço que eles custam. Jason do Tech Deals usa os mesmos argumentos que você usou, Steve do hardware unboxed diz que o r5 2600 eh o melhor bang for the buck para gamers. Eu tb acho que o 2600 é o melhor custo x beneficio da geração, mas vai explicar isso pra quem so vê fps num cenario cpu bound atípico.

É interessante que são vários cenários possíveis, condicionados por aqueles benefícios que descrevi acima:

  • Você vai comprar a máquina para jogos e, independentemente da placa de vídeo, seu monitor provavelmente trabalha com 60 Hz ou 75 Hz e jogar com taxas de FPS acima disso não faz diferença?
  • Vai comprar a máquina para jogos e, apesar de jogar em 1080p, não há diferença de performance entre os processadores no setor de desempenho da VGA escolhida?
  • Tem sua GTX 1080Ti e vai jogar em 4K?
  • Quer fazer stream?
  • Vai usar a máquina para trabalhar com renderização?
  • Vai utilizar para tarefas cotidianas, mas quer deixar o leque aberto para outras atividades e upgrades?
  • Etc.

É difícil imaginar um cenário onde o resultado dessa equação seja o Core i5 8400. O Ryzen 5 2600 aparece uma vez, duas, três, todas... Não é à toa que a AMD tem feito tanto sucesso com os reviewers. E, antes que alguém cite, "e quem quiser jogar nos 144 Hz"? Bem, essa pessoa deveria estar olhando para um Core i7 de 8ª Geração, não um Core i5.

 

Quem compra o Ryzen 5 2600 leva uma ampla gama de possibilidades como resultado, sem ter prejuízos, porque o desempenho em jogos vai ser, na prática, igual ao do Core i5 8400! Pensou em fazer stream depois de ter comprado? Vai fundo, o processador aguenta. Começou aquele curso legal de arquitetura e vai ter que renderizar cenários pesados? O Ryzen 5 2600 vai ser seu melhor amigo. Quer fazer upgrades? Sem problemas, o suporte está aí no mínimo até 2020. Virou entusiasta e quer "brincar" no overclock? Vai fundo no nitrogênio, campeão!

 

Já citei isso aqui no Fórum dezenas de vezes. E o interessante é que a maioria dos usuários que iria comprar o Intel não sabia desses benefícios ao escolher o Ryzen. E, é claro, tem o pessoal traumatizado com o desempenho dos processadores FX que acha que os Ryzen são a mesma coisa.

 

O Ryzen 5 2600 só não é meu processador favorito porque essa "coroa" pertence ao Ryzen 7 1700 que, há pouco tempo, era facilmente encontrado por menos de R$ 800,00. Sendo o monstro que é, e analisando pelo custo x benefício, considero ele o melhor processador de todos os tempos.

 

Nesse segmento a Intel precisa trazer algo mais competitivo. Eu não compro e nem recomendo Core i5 mais.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Foxwalt Exato, você abre mão de muita coisa (as vantagens da plataforma que você citou) por 10~15% a mais de fps em 1080p com uma placa topo de linha. O argumento de future-proofing com placas mais rápidas não é válido, visto que tem games como Assassin's Creed Origins que já põe os i5 8XXX perto de 100% de uso (veja como o i3 8100 se sai hoje, ele é um i5 7XXX do ano passado).

 

Aqui tem uma das vezes que o Jason do Tech Deals fala que os i5 não fazem sentido. Antes de falar em fanboyismo, ele é viciado em World of Warships, e faz stream do game num 8700K.

Já no tempo certo:

 

Basicamente ele diz que os games atuais fazem um i7 8700 ficar em ~70%, o que significa que eles escalam com mais de 6 cores. Ele comenta também que um chip 6c/6t não vai oferecer uma experiência "smooth" no multiplayer do BF5.

Esse cara mostra as coisas acontecendo, não tem nada de achismo nos vídeos dele.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ótimo artigo, como sempre. Ainda perde um pouco em desempenho nos jogos, mas continua sendo uma excelente opção.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É, parece ser um processador muito bom, mas em comparação com o 2600X existe uma diferença considerável ou grande na performance? 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
agora, JackPhoenixZ disse:

É, parece ser um processador muito bom, mas em comparação com o 2600X existe uma diferença considerável ou grande na performance? 

 

Compare o clock dos dois e faça regra de 3, afinal, esta é a única diferença entre eles..

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Galera na opinião de vocês, mesmo com o R5 2600 ainda vale a pena investir no R5 1600? 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
10 minutos atrás, Ariel S.Araújo disse:

Galera na opinião de vocês, mesmo com o R5 2600 ainda vale a pena investir no R5 1600? 

 

Sempre depende do preço de cada um, mas isso não é assunto para este tópico. ;)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 20/08/2018 às 13:14, Anderson K disse:

Tem um outro programa que pode ser incluído nos testes, o 7zip. A diferença dos resultados com ryzen nele e no wirar é gritante! E ótimo teste. ryzen 2600 é uma opção e tanto.

E notório pelo resultados que o winrar só reconhece um núcleo apenas, além de mau customizado.

 

E considerando processamento, faltou falar que o 2600 foi melhor que o 8600K! A Intel realmente está com CPU's muito caros e perdendo para a AMD.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×