Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  

Tudo o que você precisa saber sobre o padrão USB 3.2

       
 9.103 Visualizações    Artigo  
 22 comentários

Como o recente lançamento da versão 3.2 das portas USB, o consórcio que padroniza o USB resolveu alterar novamente a nomenclatura das portas USB 3.0 e 3.1. Entenda.

Tudo o que você precisa saber sobre o padrão USB 3.2
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Alimentação

Desde a sua criação, em 1996, a porta USB fornece tensão elétrica. Porém, a capacidade de fornecimento de corrente, que se traduz em consumo máximo que um dispositivo conectado à uma porta USB pode “puxar” dela, era inicialmente bastante limitada, fazendo com que a porta USB normalmente não pudesse alimentar ou recarregar a maioria dos dispositivos, fazendo com que eles necessitassem de alimentação externa.

Por exemplo, as portas USB 1.1 forneciam apenas 500 mA, o que se traduz em uma potência máxima de 2,5 W, com as portas USB 3.0 aumentando esta capacidade para apenas 900 mA ou 4,5 W, valores ainda muito baixos.

Diante isto, o USB-IF lançou uma especificação para aumentar a capacidade de corrente e potência das portas USB, chamada Power Delivery ou simplesmente PD. É importante notar que esta é uma especificação adicional, que independe da versão da porta em si, e existem vários níveis dentro dela. Assim, uma porta USB pode ou não trazer esta especificação e, quando implementada, fica a critério do fabricante do hardware estabelecer quais modos serão suportados. A versão atual do Power Delivery é a 3.0, que apresenta cinco modos básicos: 15 W, 27 W, 45 W, 60 W e 100 W.

O Power Delivery permite uma comunicação entre os dois dispositivos que estão interconectados para que eles verifiquem qual é o modo máximo suportado por eles. É desta forma que um smartphone, por exemplo, sabe quanto de corrente pode “puxar” de um carregador ou de uma porta USB de um computador. O motivo de um smartphone ser carregado mais rapidamente em um carregador do que em outro está justamente na capacidade de fornecimento de corrente (ou seja, no modo Power Delivery máximo, se existente) de cada carregador. Se você conectar o seu smartphone a uma porta USB sem Power Delivery, ele vai demorar muito para ser carregado em comparação a uma porta USB ou carregador com Power Delivery, já que vai ser utilizada a corrente/potência padrão da porta USB, e não um dos modos de maior potência.

Além da porta USB ter de suportar o modo PD pretendido, o cabo que conecta os dois dispositivos também precisa ser compatível.

Editado por Gabriel Torres

Compartilhar

  • Curtir 6


  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Muito bacana essa atualização, só não acho interessante as nomenclaturas utilizadas.

Haverá alguma mudança física (por exemplo em cabos de HD Externo)?
As duas extremidades precisam ser USB 3.2 2x2 (conforme a pergunta anterior, um HD externo atual seria capaz de fazer o uso dessa largura de banda)?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eles estão fazendo é uma bela bagunça com toda essa confusão de termos genéricos. Me pergunto se não seria mais interessante de repente terem feito algo parecido com os padrões de Wifi. Algo como: USB 3.a, b, c...). Contudo ia ajudar a causar confusão já que alguém lá atrás teve a brilhante ideia de colocar apenas uma letra nos nomes dos conectores (A, B, C).

Então o jeito é seguir colocando números depois do ponto. Mas será que custava tanto assim terem dado continuidade nos números? 3.2 gen? Não teria sido a coisa mais simples do mundo ter simplesmente batizado de 3.3?

 

Como existe retrocompatibilidade, não faz sentido colocar nomes tão segmentados. Ainda mais com a internet aí tão fácil de encontrar as especificações das coisas. O mais importante eles não se preocuparam em fazer, que é identificar o tipo da conexão com cor por exemplo.

Seria tão mais simples a vida da gente se ao olhar um conector USB, na lingueta interna que é plástico, houvessem cores diferentes para cada padrão.

 

Interior preto = USB 2.0 ou inferior

Interior  Azul = USB 3.0

          Verde = USB 3.1

    Vermelho =USB 3.2

E por aí em diante.

 

Mas em vez disso, eles pensam "vamos dar nomes super longos e estranhos que nenhum fabricante vai estampar ao lado da porta"

 

 

 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@sdriver Concordo 100% contigo. Qual o problema em manter os nomes antigos?

 

2 horas atrás, ThiagoLuiz disse:

um HD externo atual seria capaz de fazer o uso dessa largura de banda

 

Não, o HD precisa ser USB 3.2 Gen 2x2.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu pessoalmente nunca gostei da nomenclatura USB 3.1 Gen 1 e 2. Entretanto eu imaginava que as placas que utilizassem essa nomenclatura suportavam uma corrente elétrica maior.

Agora, com essa explicação do Power Delivery, de que a especificação da corrente elétrica suportada é a parte, aí mesmo não faz sentido nenhum o Gen 1 e 2. O que dizer então do Gen "2x2".

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Desnecessário a mudança de nomes. E as especificações thunderbolt q seriam ou serão adicionadas no USB, é pra quando?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, sdriver disse:

Eles estão fazendo é uma bela bagunça com toda essa confusão de termos genéricos. Me pergunto se não seria mais interessante de repente terem feito algo parecido com os padrões de Wifi. Algo como: USB 3.a, b, c...). Contudo ia ajudar a causar confusão já que alguém lá atrás teve a brilhante ideia de colocar apenas uma letra nos nomes dos conectores (A, B, C).

Então o jeito é seguir colocando números depois do ponto. Mas será que custava tanto assim terem dado continuidade nos números? 3.2 gen? Não teria sido a coisa mais simples do mundo ter simplesmente batizado de 3.3?

 

Como existe retrocompatibilidade, não faz sentido colocar nomes tão segmentados. Ainda mais com a internet aí tão fácil de encontrar as especificações das coisas. O mais importante eles não se preocuparam em fazer, que é identificar o tipo da conexão com cor por exemplo.

Seria tão mais simples a vida da gente se ao olhar um conector USB, na lingueta interna que é plástico, houvessem cores diferentes para cada padrão.

 

Interior preto = USB 2.0 ou inferior

Interior  Azul = USB 3.0

          Verde = USB 3.1

    Vermelho =USB 3.2

E por aí em diante.

 

Mas em vez disso, eles pensam "vamos dar nomes super longos e estranhos que nenhum fabricante vai estampar ao lado da porta"

 

 

 

 

Também acho que a simples nomenclatura USB 3.3 já seria o melhor caminho, inclusive para o consumidor (meio) leigo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Prefiro USB 1.0, 2.0, 3.0, 3.1, 3.2 e o novo 4.0.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, RBMA disse:

Prefiro USB 1.0, 2.0, 3.0, 3.1, 3.2 e o novo 4.0.

Concordo plenamente. 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, RBMA disse:

Prefiro USB 1.0, 2.0, 3.0, 3.1, 3.2 e o novo 4.0.

Ainda mais que dobraram a largura de banda.

Eu acho que deveria ser mesmo 4.0.

No PciExpress se dobram a velocidade, ganha +1 no nome...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, sdriver disse:

Interior preto = USB 2.0 ou inferior

Interior  Azul = USB 3.0

          Verde = USB 3.1

    Vermelho =USB 3.2

E por aí em diante.

Concordo com o sistema de cores, mas do jeito que andam lançando versões vai faltar cor e vão ter que fazer igual faixa de jiu-jitsu 😁

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tão igual anatomista vive mudando o nome porque não conseguem mais descobrir nada de novo.

Mesmo valem pra cientistas em nomenclatura científica, vivem mudando o nome científico de algumas espécies menos conhecida e que vão continuar porque mudaram o nome.

 

Mesmo vale pra USB é 3 alguma coisa, porque ja mudaram tanto o nome, que se não fosse esse tópico nem saberia.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
17 horas atrás, ThiagoLuiz disse:

Muito bacana essa atualização, só não acho interessante as nomenclaturas utilizadas.

Haverá alguma mudança física (por exemplo em cabos de HD Externo)?
As duas extremidades precisam ser USB 3.2 2x2 (conforme a pergunta anterior, um HD externo atual seria capaz de fazer o uso dessa largura de banda)?

O hd em sí poderá ser usado sim mas você terá que substituir a controladora por uma USB 3.2 2x2 que ainda não existe no mercado.  De qualquer forma, é uma largura de banda tão alta que o ideal seria colocar um SSD sata dos bons + controladora de hd externo 3.2 2x2 em vez de hd tradicional eletromecânico (ainda assim vai sobrar banda). Bela tecnologia, horizontes ampliados por alguns bons anos.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

com esse aumento de velocidade em pouco tempo outras conexões serão substituídas pela usb

os fabricantes poderão utilizar a interface usb para fornecer recursos na placa-mãe deixando as entradas pcie livres para conectar vgas e outras placas

o processador amd ryzen tem a controladora usb conectada diretamente no processador e isso torna essa possibilidade viável

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bom dia.

 

Só acho que esse pessoal deveria simplificar essa nomenclatura, fica confuso...

 

O cabo vai mudar também ?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
23 horas atrás, Darkmana disse:

Eu pessoalmente nunca gostei da nomenclatura USB 3.1 Gen 1 e 2. Entretanto eu imaginava que as placas que utilizassem essa nomenclatura suportavam uma corrente elétrica maior.

Agora, com essa explicação do Power Delivery, de que a especificação da corrente elétrica suportada é a parte, aí mesmo não faz sentido nenhum o Gen 1 e 2. O que dizer então do Gen "2x2".

Idem. Alterar nomenclatura só serve mesmo para criar confusão totalmente desnecessária.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 27/06/2019 às 15:02, Anderson A Silva disse:

Desnecessário a mudança de nomes.

 

Pois é. Poderia manter o nome antigo. USB 3.0, USB 3.1 e o novo USB 3.2 Gen 2x2 ser simplesmente USB 3.2. Muito mais fácil.

 

Em 27/06/2019 às 15:02, Anderson A Silva disse:

E as especificações thunderbolt q seriam ou serão adicionadas no USB, é pra quando?

 

Já estão valendo, mas é opcional, assim como o Power Delivery. Mas se você reparar nos últimos lançamentos, há sempre informação quando a porta USB suporta Thunderbolt. Um exemplo fresquinho:

 

 

adicionado 1 minuto depois
8 horas atrás, Edvaldo J. Frederico disse:

Bacana é qual vai ser o formato dessa nova versão desse USB?

Teria alguma foto @Gabriel Torres?

 

Porta USB tipo C. Já existe.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Mal posso esperar pela versão USB 3.2 Gen 2 4x4 All Terrain Turbocharged Edition.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 27/06/2019 às 10:50, sdriver disse:

Interior preto = USB 2.0 ou inferior

Interior  Azul = USB 3.0

          Verde = USB 3.1

    Vermelho =USB 3.2

Adiciona o rosa e o amarelo que vira os Power Rangers força USB. 😅

 

Mas deveriam deixar as nomenclaturas no original, pois agora parece que o USB 3.0 nunca existiu. Daqui a pouco mudam novamente e colocam uma fórmula de Bhaskara.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pra que simplificar se pode complicar? Qual o problema da nomenclatura sequencial das versões, tipo 3.0, 3.1, 3.2 etc.?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Talvez eles mudaram para nomes mais complicados pensando em engenheiros de computação/eletrônica/etc que estão habituados com termos técnicos mais complicados, e não nos técnicos que são mais mão na massa e menos teoria, mas isso é só o que eu acho.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!