Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Tem como saber a corrente máxima que um transformador suporta?


Posts recomendados

voce pensa que o calculo é mais demorado porque você o esta lendo, e provavelmente achou difícil né? Kkkkkk

E alem disso eu escrevi bem detalhado para ele entender...

Eu fazer sozinho esse calculo, nao leva nem 20 segundos! Kkkkkk

 

O problema não é este. 

Você não se atentou a um detalhe:

Dificilmente o peticionário terá um equipamento confiável para medir resistência tão baixa. Nem eu que vivo do trabalho de manutenção tenho.

 

Teria que montar alguma traquitana para fornecer corrente contínua estável, para ser possível identificar a queda de tensão das bobinas e determinar a resistência. 

 

Então o jeito mais simples e prático é com o resistor. 

Mas seu modo de determinar a carga máxima também é muito bom.

França passe os valores das resistências pro morberto calcular pra nós. É que sempre digo que 'na prática a teoria é outra' em diversos posts. Queria confiar esta 'teoria'.

 

 E morberto, favor confirmar na pŕática o seui "ja sei..."

 

Agradeço!!

 

Uma resistência de potência hipotética variável muito lôca: uma vasilha com água com duas chapas metálicas. Vá adicionado sal pra diminuir a resistência. Pra aumentar, coloque água. Faça com supervisão de um adulto

 

Um dia destes eu precisei pôr 900W num no-break 220Vac para testar a autonomia das baterias.

Eu não tinha a carga daí fiz esta "resistência variável muito louca" kkk

 

Funcionou perfeitamente!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Albert, voce esta distorcendo algumas coisas ai....

Em primeiro lugar foi o faller que indicou o modo pratico, dai em baixo eu postei essa dica, mais sedentária!

Independente se a resistencia e baixa, mas ele tem resistencia, agora se quem for medir, e nao conseguir com o medidor que tem, obviamente se ele tiver "cérebro" nao vai ter essa informacao pra continuar com a conta e vai partir pra outro metodo! Nem precisa falar!

Multimetros digitais comuns de 20 reais a casa de centenas de mili ohms com precisao! Ja da pra ir meio longe com isso!

"AGORA" que acabei de terminar os testes pratico com o meu trafo, achar uma resistencia... Ter que medir trnsao da rede com o trafo em aberte e depois com a carga, medir a tensão do secundario em aberto e com a carga... Medir a resistencia da carga... Fazer as ligacoes... Como ousa a garantir que esse metodo é mais rápido que minha continha? Kkkkkkk :D

Resultados: (as tensoes sao os valores de pico a pico)

Primario em aberto: 372Vpp

Primario com a carga: 372Vpp

Secundario sem a carga: 50.8Vpp

Secundario com a carga: 40Vpp

Carga: 3.6 ohms

Corrente na carga: 5.55Ap

Foi uma queda de 10.8Vpp, 21.25%...

Agora com o meu metodo so com a resistencia de primario e secundario: 20 ohm e 0.6 ohm respectivamente:

relação das bobinas: 7.323

Minha conta: 20/7.323^2 + 0.6 = 0.973

A queda foi de 10.8Vpp, 5.4Vp. 5.4 / 0.973 = 5.549A

Arredondando os "49" pra "50", tenho 5.55A! Com tanta exatidao assim.... :D :D

O que me dizem? Kkkkk @Isadora Ferraz? @albert_emule?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A corrente limítrofe em um lado de um transformador é, sendo S a potência máxima em VA do transformador F5Rua4D.gif:

 

 

 

2EhPoCc.gif

 

 

 

O experimento do faller respeita a especificação de potência máxima do transformador, mas o método do mroberto98 despreza o Q da equação acima. Isso que eu estou achando um problema.

 

 

 

Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@mroberto98

 

A bobina de saída do meu trafo deu 930mV de queda, com 2,83 amperes.

f6cda470e0dda83a09efbbbc84c9ee66.png Logo 0.930 / 2.83 = 0,328 Ohms no secundário. 

 

Já no primário foi possível medir com o multímetro:

Deu 14.7 Ohms.

 

Qual a carga máxima que meu trafo suportaria? 

 

Tensão da rede é 127V cravados.

 

Tensão de saída do trafo é 15V cravados, sem carga. 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

um calculo de 20 segundos me deu o mesmo resultado de um teste pratico de minutos!

A corrente limítrofe em um lado de um transformador é, sendo S a potência máxima em VA do transformador F5Rua4D.gif:

2EhPoCc.gif

O experimento do faller respeita a especificação de potência máxima do transformador, mas o método do mroberto98 despreza o Q da equação acima. Isso que eu estou achando um problema.

Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

voce de novo? Kkkkk sempre com suas teorias e formulas doida kkkk e eu sempre detonando elas.... :D

Leia o post acima!

A eletronica é mais que usar formulas "decoradas" achadas em livros ou internet, é entender como "um transformador funciona" (usando esse caso) e assim souber fazer uma continha nos dedos!

Kkkkkk

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

como sabe que na bobina secundaria deu isso de queda?

Com 2.83A de secundario, voce tem 334mA de primario, e 14.4V induzido no secundario, que por sua vez ira cair ainda mais devido a resistencia de secundario...

Se a tensão de saida foi de 13.5V, ai sim sao 0.93V de perda no secundario, dai esta certo 0.328 ohms.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

como sabe que na bobina secundaria deu isso de queda?

Com 2.83A de secundario, voce tem 334mA de primario, e 14.4V induzido no secundario, que por sua vez ira cair ainda mais devido a resistencia de secundario...

Se a tensão de saida foi de 13.5V, ai sim sao 0.93V de perda no secundario, dai esta certo 0.328 ohms.

Coloquei uma carga com resistor de chuveiro, usando uma bateria de 12V por 7AH.

Esperei até que a tensão da bateria estabilizasse com a carga. Daí anotei a corrente circulante e a queda de tensão em cima da bobina. 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Com um simples multimetro da pra ir muito longe... Leve em conta a resistencia de primario, que é maior... O multimetro tera boa precisao ate centenas de mili ohms, que trafo tem resistencia estão baixa assim no primario? So se for um trafo enorme de potencia muito alta! A resistencia de secundario você acha com uma continha tambem kkkkk

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membro VIP

desculpe morberto mas não consegui relacionar as 3 grandezas abaixo

Secundario com a carga: 40Vpp
Carga: 3.6 ohms
Corrente na carga: 5.55Ap

Questão de dna, sacumequié

Tente refazer e/ou reexplicar com valores rms ou eficazes sei lá

Mas se você está feliz e correcto, por mim , tudo bem


Também tente usar só seu 'multimetro de 20 reais' pra medir as tensoes. É o que nós meros mortais temos a disposição. Oscliloscopio pra medir vpp não é pra qualquer um

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

desculpe morberto mas não consegui relacionar as 3 grandezas abaixo

Secundario com a carga: 40Vpp

Carga: 3.6 ohms

Corrente na carga: 5.55Ap

Questão de dna, sacumequié

Tente refazer e/ou reexplicar com valores rms ou eficazes sei lá

Mas se você está feliz e correcto, por mim , tudo bem

Também tente usar só seu 'multimetro de 20 reais' pra medir as tensoes. É o que nós meros mortais temos a disposição. Oscliloscopio pra medir vpp não é pra qualquer um

Kkkk é como eu disse, a diferenca entre o resultado da pratica para a teoria é estão grande quanto a quantidade e qualidade dos detalhes que voce leva em conta!

40Vpp é 20Vp, 20Vp em 3.6Ohms da 5.55Ap

Nao tenho multimetro de 20 reais, so tenho osciloscopio pra medir tensão, pra medir resistencia usei um medidor RLC... Mas tambem e nada de especial... A minima escala é 200 ohms como a maioria dos multimetros comuns... Subtrai a resistencia dos cabos pra saber a resistencia mais exatada do secundario... E se também nao desse eu acharia sabendo que o primario é de 20ohms:

A relação é de 7.323, a queda com a carga foi de 5.4V na saida... 20V em 3.6 ohms me da 5.55A, então ja sei que no primario tem 0.758A... Ja sei que o primario perdera 15.17V... então a tensão induzida no secundario: 23.3V... A tensão final foi de 20V, 3.3V de queda... A 5.55A então descubro que a resistencia do secundario é de 0.599ohms ou 0.6 ohm!!! :D

Mas observe uma coisa, de 5.555555A na pratica, obtive 5.549A no calculo... Qual e a precisao disso? 0.1%???

Isso e mais do que exagero pra simplesmente saber qual e a potencia de um trafo "por cima"!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Gabriel Velloso Neves

 

 

 

Se a tensão.de 12,6V foi medida com a saída do transformador em aberto, então a corrente máxima na saída desse transformador seria 11,3/15 = 0,753A F5Rua4D.gif.

 

 

 

Pelo método do faller tem-se aproximadamente que o transformador é de 12V e 700mA, com uma potência, portanto, de 8,4VA. Bem similar a este em termos de limitações:

 

 

 

http://www.digikey.com/product-detail/en/166GD12/166GD12-ND/2358109

 

 

 

Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

  • Curtir 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membro VIP

Longe de mim querer polemizar esse assunto mais do que está, mas na minha cabeça essa sua solução deduzida por medida de resistência de primário e secundário e mais relação etc tem alguns pontos que não me cheiram bem..

 

Por exemplo, se sabe que a alteração de bitola do fio usado, quer no primário quer no secundário, conservando as demais características inalteradas, (não alterando número de espiras, nem indutância, nem relação de transformação) ,em um transformador, não deve alterar muito as características tanto de transformação quanto de potência quanto de correntes que ele pode entregar, ou que vai demandar no primário, mas sim vai alterar a resistência do enrolamento que for mexido e que pelo seu método é importante na descoberta da corrente máxima..

Como explicar??

Ai seu método funciona ou não funciona??

 

O que aconteceria se tivéssemos dois transformadores iguais mas com um dos enrolamentos secundários de diferente bitola, mas com relações iguais, com igual número de espiras, ambos não subdimensionados na tarefa de entregar TODA a potência tomada no primário, no aplicar de seu método pois se encontraria diferentes valores resistivos de secundário????

 

Só falta eu entender isso dai para poder concordar com seu método.  Fora disso, continuo aplicando o que citei que é absolutamente lógico e simula a operação normal do trafo..


Como eu fecho o tópico (sou novo por aqui)?

Não fecha rapaz, a discussão tá ótima!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A potencia de um trafo nao é so a que o primario consegue entregar!

Em anexo esta o esquema representativo de um trafo real...

O que limita a potencia de um trafo? Justamente essas componentes que nao fazem parte do indutor acoplado ao núcleo. Resistencia serie, indutancia etc...

Mas essas outras tem influencia muito baixa pra serem consideradas, então eu so levo em conta a resistencia do fio mesmo!

Respondendo a sua pergunta, dois trafos iguais, com primarios iguais, mas com secundarios diferentes, vamos supor uma questao ainda melhor, e se o secundario de um fosse ideal, resistencia zero!? Ganharia potencia em relação ou outro? Sim! Teria mais potencia sim mesmo que o primario desse fosse igual ao outro trafo!

Pelo meu metodo vai indicar isso:

Trafo1: resistencia primario: 10 ohm, secundario: 1 ohm

Trafo2: primario: 10 ohm, secundario: 0 ohm

Mesma proporcao os dois, 10x, 100V / 10V

então pelo meu metodo, a corrente para que haja 10% de queda de tensão sera, trafo1: 0.909A, trafo2: 10A!

Olha que diferenca!!! :D kkkkkkk

E sim, meu metodo funciona, ja comparei usando o seu metodo e deu os mesmos resultados!

Quer mais? Pegue seus trafos, meça as resistencias e a tensão de secundario em aberto e a de primario (pra eu saber a relação exata), e eu direi a potencia deles, e voce me diz se no seu metodo deu isso mesmo!

Explicacao:

Conforme a representacao do trafo ai na imagem, voce tem resistencia no secundario e no primario, o núcleo esta acoplando, então fica duas resistencia serie da fonte ate a saida (resistencia de primario e de secundario). então se você abaixar qualquer uma, a potencia aumenta!

post-668745-0-56566500-1437924912.jpg

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sr faller

 

Não sou estudante nem trabalhei com eletrônica, fui eletrecista industrial, mas isso no tempo em que era praticamente quase tudo operando na base da corrente contínua, através de gigantescos grupos geradores,  depois que a coisa modernizou entrou a corrente alternada para valer, haviam por volta de 300 pontes rolantes, a de maior capacidade umas 500 T mais da metade operando totalmente a DC;

Estou dizendo isso porque pouco ou quase nada sei de eletrônica, mas aprendi a calcular um transformador e se não me falha a memória, a potência se calcula medindo a área ² da parte central do núcleo e a potência no primário é igual a do secundário, no entanto o senhor afirma diferente disso ao dizer  que dois transformadores idênticos em parte com secundário de mesmo número de espiras porém com secção transversal maior, isso não iria descaracterizar o cálculo uma vez que a relação de potências iguais iriam desaparecer?

Obs: Peço desculpas se estou falando algo indevido, longe de querer corigir ao sr ou qualquer outro, aqui sou apenas um espectador que não entende do assunto a fundo como os senhores, mas também não o ignoro de tudo, a não ser que a metodologia dos cálculos tenha evoluido

 

"O que aconteceria se tivéssemos dois transformadores iguais mas com um dos enrolamentos secundários de diferente bitola, mas com relações iguais, com igual número de espiras, ambos não subdimensionados na tarefa de entregar TODA a potência tomada no primário, no aplicar de seu método pois se encontraria diferentes valores resistivos de secundário????"

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membro VIP

10! @mroberto98 1/2 que entendi seu método. mas ao mesclar vpp com outras grandezas me causou certa confusão. Faz isso + não fío. Respeite a idade avançada.

Estranho.. sem multimetro e levou só 20 segundos pra fazer as medições de resistência com oscilo. Muito bem!

voce pode não acreditar mas estou EXATAMENTE nestes tempos precisando medir a capacidade de um trafo. Estranha coincidência. Talvez amanhã releio o seu post e faço os teste práticos e claro, se for o caso, corroboro sua sabedoria teórica com a minha prática - seu cérebro com meus calos

 

@Gabriel Velloso Neves se fechar pode ficar sem saber meus resultados


10! @mroberto98 1/2 que entendi seu método. mas ao mesclar vpp com outras grandezas me causou certa confusão. Faz isso + não fío. Respeite a idade avançada.

Estranho.. sem multimetro e levou só 20 segundos pra fazer as medições de resistência com oscilo. Muito bem!

voce pode não acreditar mas estou EXATAMENTE nestes tempos precisando medir a capacidade de um trafo. Estranha coincidência. Talvez amanhã releio o seu post e faço os teste práticos e claro, se for o caso, corroboro sua sabedoria teórica com a minha prática - seu cérebro com meus calos

 

@Gabriel Velloso Neves se fechar pode ficar sem saber meus resultados

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Visitante
Este tópico está impedido de receber novas respostas.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas comunidades sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Ebook grátis: Aprenda a ler resistores e capacitores!

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!