Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
ArthurFrancisco12

Qual o nome e modelos comerciais desse tipo de chave?

Recommended Posts

Para um projeto que estou fazendo, preciso de uma chave com três posições. Entretanto, durante a comutação, ela não pode ficar em aberto quando for comutar de um polo para outro. Por exemplo, para comutar do polo 1 para o 2, ela deve primeiro conectar no 2 sem sair do 1 e, só depois, desconectar do 1, ficando apenas no 2.
Vocês sabem o nome desse tipo de chave? Já li algo sobre isso em um livro, mas não lembro de detalhes.

60397880.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

images?q=tbn:ANd9GcROFKj5vwPAcprKbj94OTS

Essa aí da foto, se chama Chave HH. 

Tem de várias posições e quantidade de contatos. 

É exatamente do jeito que você quer, ela tem um trilho de cobre internamente, ao puxar a alavanca o trilho corre entre os contatos, de maneira que em determinado momento dois deles ficam ligados ao mesmo tempo. 

 

A outra é a chave gangorra, como o nome sugere na posição intermediária todos contatos ficam abertos. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@ArthurFrancisco12 ,

 

Em um determinado momento, pode apostar que o contato central vai ficar sem fazer contato nenhum....

 

Se isso não puder acontecer nem que seja por dezenas de milisegundos, vai ter de usar algum tipo de lógica sequencial.

 

Paulo

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Exatamente o que o APHAWK falou... por milisegundos ficará desconectada... uma opção a ser testada é a seguinte:

Se precisa de 3 posições, então tente com uma chave de 5 posições... nas posições intermediarias faça uma gambiarra noc contatos para que nesta posição dois contatos fiquem conectados... por exemplo:

Posições da chave de 5 posições:

| 1 | 2 | 3 | 4 | 5 |

As posições 2 e 4 serão as intermediárias e...

Na posição 2, os pinos 1 e 3 ficarão conectados

e na posição 4 os pinos 3 e 5 estarão conectados.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mas na chave que eu citei acima isso de ficar por um momento desligado não ocorre. 

 

Inclusive eu já tive um problema com isso, certa vez fiz um circuito de reversão de polaridade e eu só tinha essa chave. Acabei tendo problemas porque em determinado momento dois contatos ficavam ligados e dava curto circuito, para aproveitar a chave e o furo no painel que já estava pronto acabei usando relés. 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Já vi chaves com essas características especiais serem construidas em circuito impresso. De forma serial, isto é, produzidas em massa, só conheço a seletora de transformadores de corrente. Alguns fabricantes como a sueca ABB e outras grandes empresas de eletrotécnica produzem alguns modelos de chaves especiais utilizando blocos de contato padrões acionados por um came cujo desenho impõe a lógica de comutação. É produto industrial, custo elevado. Com uma chave seletora de onda aberta que tenha 2 tapes consegue-se desenhar essa função. Por desenhar a função entenda refazer as 2 plaquinhas. No primeiro tape se desenha a primeira e terceira posição e no segundo tape a segunda posição.

Com uma chave seletora simples, 3 relés e pequena lógica tb se consegue implantar isso.

adicionado 7 minutos depois

images?q=tbn:ANd9GcRjPoMfCx7W8ULmrNXWApF

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Mestre88 ,

 

Já usei também chaves desse tipo deslizantes que colocam em curto, mas como tudo que é mecânico e depende de pressão constante, acabaram gerando ruídos depois de um tempo por causa da perda de pressão nos contatos. Ainda uso duas chaves dessas em um microfone, e haja ruído quando mudo elas .....

 

Claro que em aplicações analógicas isto costuma não causar problemas, como comutar enrolamentos de bobinas ou trocar um determinado capacitor.

 

Mas se fizer uma aplicação digital, esses pequenos ruídos devido à falhas de contato podem comprometer o projeto. Quem faz o projeto com ela é que tem de saber se isso pode comprometer o funcionamento.

 

Sou da mesma opinião do @Sérgio Lembo , usaria uma pequena lógica para se garantir que sempre algum pino estivesse conectado.

 

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Realmente, depende da aplicação.

No caso precisa ver quanto tempo o contato anterior precisa ficar ligado até que o próximo seja acionado.

Para a chave mecânica que eu citei, o tempo depende da força do dedo.

 

O amigo @ArthurFrancisco12 poderia explicar melhor?

Dependendo uma lógica simples até mesmo com capacitores para retardar o desligamento fica melhor. Na saída tem a opção de transistores, relés, Mosfets, tiristores e por aí vai. Depende da carga.

 

 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Mestre88 Boa tarde, pessoal.

Sou aluno em um laboratório de alta tensão e estou projetando um novo voltímetro para a saída de um transformador de tensão variável 0 - 100 kV.

O voltímetro se baseia em um divisor capacitivo com um capacitor de alta tensão C1 e o capacitor C2, que pode assumir 3 valores para diferentes escalas de medição: 20, 50 e 100 kV (ver figura anexa).

A chave é utilizada para mudar o capacitor C2 utilizado. Normalmente, a escala deve ser selecionada antes de se ligar o transformador. Nesse caso não há problema algum.

Caso, entretanto, algum desavisado modifique a escala (comutando a chave) já com tensão aplicada, uma alta tensão será aplicada na chave porque o circuito ficaria momentaneamente "em aberto" na parte de baixa tensão do divisor capacitivo. Isso pode danificar a chave e os componentes do voltímetro.

Então, prevendo o pior caso, eu preciso garantir o chaveamento que tentei explicar antes, em que sempre haverá pelo menos um capacitor C2 conectado em qualquer instante, e o contato não fique em aberto durante o chaveamento.

la.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
19 minutos atrás, ArthurFrancisco12 disse:

transformador de tensão variável 0 - 100 kV.

O voltímetro se baseia em um divisor capacitivo com um capacitor de alta tensão C1 e o capacitor C2, que pode assumir 3 valores para diferentes escalas de medição: 20, 50 e 100 kV (ver figura anexa).

Aí já mudou a coisa completamente. Como dizem: "o buraco é mais embaixo".

 

Precisa de uma chave comum e um circuito que fique bem longe da chave pra fazer essa comutação.

Não é qualquer "chavinha" ou relé que pode fazer essa comutação sem soltar centelhas ou que consiga isolar alta tensão.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sua solução é mais simples do que o problema. C1, C2 e C3 terão valores diferentes, certo?

Na posição 1 temos o valor de C2

Na posição 2 temos C2 + C3

Na posição 3 temos C2 + C4

Sem título.png

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
51 minutos atrás, ISO9K disse:

Chave de 1 polo e 3 posições...chave de onda, chave gangorra etc..

 

Com isolação de 100 KV ?????

 

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Supondo que o neutro disso esteja no terra que o cara desenhou, até dá para fazer isso, a tensão sobre o voltímetro será pequena, coisa de amostragem tal qual o TC realiza. Alguns cuidados de segurança devem ser implementados:

- fusível de alta tensão acima dessa chave seletora.

- Varistor em paralelo ao conjunto chave/voltímetro.

adicionado 4 minutos depois
8 minutos atrás, aphawk disse:

Com isolação de 100 KV ?????

Estou curioso onde se vai encontrar capacitores desse valor. É tensão de linha de transmissão! Enfim, alguém tem que estudar para tomar conta do nosso sistema elétrico, nossas tensões de transmissão são as maiores do mundo.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Penso que a maneira mais fácil seria usar resistores acima de 1Mohm. Vários deles associados em série e paralelo para dividir a tensão. 

Pelo menos não vai se preocupar com o limite de tensão. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado a todos pelos comentários.

Respondendo os comentários e perguntas:

Sérgio, gostei muito da sua ideia com os capacitores.

Também pensei em adicionar um varistor em paralelo.

O capacitor de 100 kV já temos no laboratório. É um capacitor de 100 pF, parecido com o dessa figura (o elemento da direita). Ele tem pequena capacitância / alta impedância, é fisicamente grande (da ordem de uns 50 cm de comprimento) e tem um isolamento adequado para suportar a tensão máxima na saída do transformador (à esquerda).

 

Como foi comentado, o terminal de baixo é aterrado, e o circuito para medição fica todo em baixa tensão (menos de 50 V, para os valores dos capacitores de baixa tensão que eu defini).

 

h1.png

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 13/07/2018 às 17:28, aphawk disse:

 

Com isolação de 100 KV ?????

 

Paulo

Não existe chaves com esse tipo de isolação...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, ISO9K disse:

Não existe chaves com esse tipo de isolação...

Existe sim, mas é coisa a nível industrial. 

São alavancas enormes que são acionadas a distância. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@BloodCeltics Lopes , 13kV é a distribuição nos postes que vai até os transformadores de rua. Da subestação que tem nas entradas das cidades grandes até a subestações distribuidas nos bairros entre 45 e 69kV. Note que no caminho dessas torres de linhas se tem um terreno murado, sem vegetação elevada. Desconheço a utilização de linhas superiores a 69kV, mas posso estar errado, não sou desse segmento. Nas grandes linhas que vemos nas estradas o usual é acima dos 340kV, havendo algumas linhas de 700kV e 1000kV.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu me referi a nível comercial, e chaves comuns...

4 minutos atrás, Mestre88 disse:

Existe sim, mas é coisa a nível industrial. 

São alavancas enormes que são acionadas a distância. 

 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
10 minutos atrás, Sérgio Lembo disse:

Desconheço a utilização de linhas superiores a 69kV, mas posso estar errado, não sou desse segmento.

Aqui na região do ABC Paulista se tem várias torres de 88kV cortando as cidades, inclusive atravessam um trecho da capital SP. Eu já vi várias plaquinhas escrito 88kV próximo a elas. 

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×