Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Por que saímos do Facebook

       
 41.434 Visualizações    Editoriais  
 119 comentários

Entenda a nossa decisão de remover o Clube do Hardware do Facebook.

Por que saímos do Facebook
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Criticamos o Facebook desde 2014, e já escrevemos dois editoriais explicando detalhadamente como o Facebook funciona e o embasamento das nossas críticas. Recomendamos que você leia esses dois editoriais (parte 1 e parte 2) antes de prosseguir a leitura do nosso editorial de hoje.

Com a mudança feita no algoritmo do Facebook no início de 2018, que diminuiu ainda mais o alcance de posts feitos por páginas, as publicações anunciando novo conteúdo do Clube do Hardware em nossa página no Facebook passou a ser visto por ainda menos pessoas. Ou seja, a situação que descrevemos nos editoriais de 2014 e 2015 ficou ainda pior.

Em março de 2018, os posts de notícias que publicávamos eram mostrados a apenas 3-4 mil usuários dos quase 350.000 seguidores que tínhamos. Basta ver o exemplo real abaixo: alcance de 4.532 pessoas para um total de 345.357 seguidores, ou seja, essa notícia foi mostrada para apenas 1,3% dos nossos seguidores. Ainda neste post específico, apenas 84 pessoas clicaram no link. Ou seja, uma taxa de clique de quase 2% (o que é excelente, diga-se de passagem), mas no final foram enviadas apenas 84 pessoas para o nosso site, de um potencial de 345.357 (ou seja, 0,00025% do total de seguidores). Oitenta e quatro pessoas adicionais em um site com mais de seis milhões de visitantes mensais é, sinceramente, irrelevante. Ademais, muita gente só lê as manchetes e não clicam nos links. Isso daí é tráfego potencial que poderíamos ter, mas não temos.

fbcdh.png

Figura 1: exemplo real da queda de alcance do Facebook

Analisando nosso tráfego pelo Google Analytics, verificamos que nos últimos 30 dias (27/02/2018 a 27/03/2018) o número de visitantes oriundo de todas as redes sociais representou apenas 0,26% do total de visitantes do nosso site. Recebemos, através das nossas publicações no Facebook, 9.579 novos visitantes, o que representa apenas 0,20% do nosso total de visitantes no período. Ou seja, um valor completamente irrelevante.

A questão toda é que damos conteúdo ao Facebook de graça e recebemos quase nada em troca. É uma parceria completamente desproporcional.

A verdade é que a partir de 2013, com a ascenção do Facebook, vimos o nosso tráfego cair assustadoramente. Este efeito foi sentido por todos os demais sites de conteúdo, tanto que vários foram tirados do ar ou abandonados por conta da queda da receita publicitária (o faturamento de sites de conteúdo é diretamente proporcional ao tráfego), pois o negócio tornou-se inviável.

É verdade, ainda, que mesmo com as nossas críticas contundentes ao modelo de negócios do Facebook, tínhamos de estar no Facebook para pegarmos algumas migalhas do tráfego que ele nos enviava para, de alguma forma, sobrevivermos. Foi um período muito difícil, mas estávamos muito certos que o modelo de negócios do Facebook era insustentável a longo prazo, e que em algum momento outros empresários veriam o Facebook com a mesma lente crítica que sempre vimos, e que os usuários, pelo menos aqueles mais antenados, iriam se sentir saturados e migrariam para outra rede social. Sem julgamento de valor ou preconceito, estávamos certos que em algum momento haveria uma “orkutização” do Facebook. (Tradução: a qualidade do que os usuários publica cairia abaixo de um patamar mínimo e haveria um êxodo da plataforma, pelo menos por parte dos usuários mais exigentes.)

A questão, para nós, sempre foi: quando? Para nós, dois fatores tinham de ocorrer para que saíssemos do Facebook. Primeiro, o retorno do nosso tráfego para o mesmo patamar pré-Facebook, sem depender do Facebook para tal. E, segundo, um ponto de inflexão onde uma massa crítica de pessoas estivesse sentindo os efeitos da saturação do Facebook e de seu modelo de negócios negativo para os empresários.

O primeiro fator ocorreu em julho de 2017. Sem qualquer aviso prévio, nosso tráfego deu um salto para o nível pré-Facebook. Para nós, isto sinalizou que os nossos usuários estavam deixando o Facebook de lado na busca de informações técnicas e voltando a acessar o nosso site diretamente. Vimos um aumento expressivo no número de usuários que não acessavam o nosso fórum há anos e que voltaram a acessar, e vários usuários antigos relatando estarem voltando por não aguentarem mais o Facebook. Aguardamos alguns meses para verificar que este aumento no tráfego não era alguma anomalia. Mas não era. Desde então, o nosso tráfego está no mesmo patamar pré-Facebook. Isto nos anima muito, pois garante a sobrevivência do nosso site no longo prazo.

O segundo fator vem ocorrendo de maneira paulatina desde o final de 2017:

  • Sucessivos escândalos de uso do Facebook para a manipulação das eleições americanas, possivelmente envolvendo o governo russo.
  • A crítica da proliferação de “fake news” e manipulação da opinião pública através de uso de usuários falsos, de forma automatizada (robôs).
  • A decisão da Folha de S. Paulo de abandonar o Facebook, devido à mudança do algoritmo que mencionamos no início deste editorial, educando leitores sobre toda essas questão de como o Facebook funciona.
  • Um extenso e completo artigo de jornalismo investigativo da melhor qualidade publicado pela revista WIRED que disseca os bastidores do Facebook e que teve bastante repercussão.
  • A recente opinião de Brian Acton (co-fundador do WhatsApp, empresa que foi vendida ao Facebook, note bem) que é hora de sair do Facebook, iniciando o movimento #deletefacebook, que foi prontamente seguido por Ellon Musk, que apagou as páginas de suas empresas Tesla e SpaceX da rede social (que, juntas, tinham 2,6 milhões de seguidores).
  • A mídia tradicional dando destaque para a crise do Facebook, que fez a empresa perder bastante valor de mercado. (Em nossa opinião, não há qualquer motivo racional para o Facebook ser a quinta empresa mais valiosa do mundo.)

Portanto, entendemos que o momento para sairmos do Facebook chegou, especialmente para podermos fazer o que pregamos: se não gostamos do Facebook e temos críticas fortes ao modelo de negócios deles, não devemos estar lá.

Se você gosta do conteúdo do Clube do Hardware, acesse o nosso site diariamente para ler as últimas notícias e nossos últimos artigos. Você pode também se cadastrar no Clube do Hardware, mantendo a opção de receber newsletters ativada. E, ainda, pode usar um leitor RSS para ser informado automaticamente sobre as nossas últimas notícias e artigos através do nosso feed RSS.

Editado por Gabriel Torres

Compartilhar

  • Curtir 27
  • Amei 7
  • Triste 2


  Denunciar Artigo

Artigos similares


Comentários de usuários




Visitante

Apoio 100%. Estou a ponto de apagar meu Facebook também.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É infelizmente tenho que concordar com a jogada de vocês porém eu sempre acessava pelo facebook os artigos de vocês quando estava pelo celular, achava mais prático porém o fato de poucas "views/click" e chegar o artigo a muitos poucos usuários prejudica demais mesmo e concordo com esta corrente #deleteFacebook

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

eu mesmo ja sai do foicebook desde ano passado, o negocio alem de ser inutil tava me tirando muito tempo precioso.. infelizmente é o tipo de coisa q se você nao tiver controle passa o dia todo nele, e ainda por cima vendo uma enxurrada de baboseiras..

 

no comeco foi difícil mas já me acostumei.. hj quanto menos rede social, melhor!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu já vinha reparando a pelo menos 2 anos que meus amigos estão abandonando o facebook gradativamente, raramente compartilham algo ou abandonaram a conta de vez. Para mim é uma rede importante, já que ainda vejo bastante conteúdo dos meus amigos (inclusive onde posso ver fotos de amigos que se foram), mas realmente o conteúdo das páginas de grandes sites raramente aparecem no meu feed, mesmo que esteja seguindo. Bem, vou ver se preciso fazer backup de alguma coisa e aos poucos deixar meu perfil de 7 anos para trás.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Apoio o abandono gradativo e vejo isso acontecer também. Ainda uso por causa do messenger.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom, meus parabéns . Eu sempre fui contra o uso do Facebooka, tanto que nunca tive uma conta nessa porcaria.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns pela decisão.

Na atual conjuntura, é um ato que mostra responsabilidade cívica.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Para que facebook? hehehe

Esse tópico:

 3 horas    Por Gabriel Torres    3.962 Visualizações    Editoriais
 4 horas    Por Gabriel Torres    4.741 Visualizações    Editoriais 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Um ditado bem conhecido é: Não existe almoço grátis!

Acredito que o próprio perfil de usuários de redes sociais está mudando e comparando dois tipos de publicações, como: (Por exemplo, de uma maneira grosseira)

  • Uma instituição científica publica:

-Estudos comprovam a possível utilização de cadeias de DNA para armazenamento de informações digitais

Retorno: 20 curtidas, 12 lidas, 3 comentários.

  • Um usuário qualquer publica:

-Tô 'cum' fome: #SandubadeMortadela

Retorno: 25768 curtidas, 2612 comentários, 8945 compartilhamentos.

 

Uma pessoa que busca se aprimorar não busca mais conhecimento na rede social citada e acredito que o mercado de consumo não foca mais tanto em propaganda e marketing para o tipo 'Um usuário qualquer' porque este tipo de usuário está diminuindo, estão se preocupando mais com política, mercado de trabalho e mais conhecimento. Eles ainda são a maioria, mas estão diminuindo...

E só para deixar o meu registro, como disse a um amigo pelo facebook mesmo, estou ca***** se o facebook fechar! 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns pela decisão. Nada como o bom e velho RSS para simplificar a vida!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, rodrigo.dcvieira disse:

eu mesmo ja sai do foicebook desde ano passado, o negocio alem de ser inutil tava me tirando muito tempo precioso.. infelizmente é o tipo de coisa q se você nao tiver controle passa o dia todo nele, e ainda por cima vendo uma enxurrada de baboseiras..

 

no comeco foi difícil mas já me acostumei.. hj quanto menos rede social, melhor!

 

Com certeza. No editorial apenas explorei o ponto de vista do lado de um dono de um site de conteúdo. Isso daí que você fala é fato.

 

1 hora atrás, Mallcriado Do Rio de Janeiro disse:

Bom, para ser coerente, tem que tirar o sistema de comentários do Facebook daqui, né? Que tal implementar o Disqus?

 

Não entendi sua mensagem. O sistema de comentários do Clube do Hardware é próprio. Não usamos o Facebook.

 

@André Ferreira da Silva Sensacional este exemplo que você postou. É isso aí. Nos editoriais anteriores inclusive eu dei exemplos reais do alcance de artigos sérios vs. memes. É impressionante.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É engraçado como os comentários no Facebook sobre a saída do Clube do Hardware confirmam isto aqui:

 

"Ademais, muita gente só lê as manchetes e não clicam nos links."

 

Há algumas críticas à saída do Clube do Hardware - por vezes agressivas e desrespeitosas - em que fica claro que foram feitas sem qualquer tipo de fundamento, mostrando que o pessoal não veio ler este editorial e muito menos os anteriores... O link está lá, com o anúncio de todo o tamanho, mas nãããão... Melhor já sair criticando sem embasamento. Nem fazem ideia de como o "Foicebook" funciona.

 

É irônico como boa parte das pessoas que criticam apenas justificam ainda mais o seu (e nosso) ponto de vista. O pessoal só quer manchete e informação fácil para poder sair criticando, não há interesse em ler e aprender mais sobre as coisas. Fora o jeito que a rede funciona, que é a pior parte.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A impressão que temos nos comentários da postagem no Facebook sobre a saída do Clube do Hardware dão a impressão que muitas pessoas pensam que "o Facebook é a internet", ou seja, se uma página vai sair do facebook, vai deixar de existir. Outros parecem achar que estamos sugerindo que as pessoas abandonem o Facebook, o que não tem nada a ver com o que foi falado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Estou a um bom tempo cogitando a possibilidade de deletar a minha conta no caralivro, enfim chegou a hora.

 

Ultimamente essa rede social só serve para gerar discórdia entre as pessoas por meio dos famosos textões, inúmeras noticias falsas, click baits, enfim, não há necessidade em manter uma conta em uma rede social como essa.

 

Nos últimos anos eu entrava no facebook somente para participar em grupos sobre hardware e tecnologia, mas com o tempo fui percebendo como a parada era desorganizada e sem regras, as pessoas não sabem mais manter a cordialidade, logo partem para a ignorância, e aí eu pensei, pra que eu preciso de um grupo desses se eu já tenho o fórum do Clube do Hardware entre outros fóruns destinado ao mesmo assunto na internet? Aqui pelo menos tem uma moderação firme, e é raro a falta de cordialidade entre os seus membros.

 

Facebook só serve pra uma coisa, pra usar as pessoas cadastradas nela como massa de manobra com as divulgações e proliferação de noticias falsas. Vide escândalo com Cambridge Analytica.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
20 minutos atrás, Rafael Coelho disse:

A impressão que temos nos comentários da postagem no Facebook sobre a saída do Clube do Hardware dão a impressão que muitas pessoas pensam que "o Facebook é a internet", ou seja, se uma página vai sair do facebook, vai deixar de existir. 

O pessoal que acessa a Internet pelo celular,  só  existe Facebook,  whatsapp e Instagram.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Discordo com relação ao que você disse das eleições. Trump e o Brexit venceram pois o pessoal que era contra ambos achavam que ambos perderiam e já davam isso como favas contadas, nem indo votar. Dizer que o facebosta teve influência em ambos os cenários é encher demais a bola dele. E dizer que também teve dedo de hackers russos e do governo russo chega a enveredar no campo da teoria da conspiração.

 

De resto não há como discordar. E... *****!!! Só 4 mil visitações com os links do facebosta? Tenho plena certeza de que você tem muito mais visitas com a sua newsletter ou com quem assina os feeds. E sem precisar pagar para isso.

 

Mais uma vez, foi a melhor coisa que você fez.

 

E só espero que não haja retaliações para cima do WhatsApp.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
29 minutos atrás, De Los Santos disse:

Só 4 mil visitações com os links do facebosta? Tenho plena certeza de que você tem muito mais visitas com a sua newsletter ou com quem assina os feeds. E sem precisar pagar para isso.

É interessante deixar claro, não eram 4 mil visitações, eram 4 mil visualizações dentro do próprio Facebook, ou seja, aparecia no meio da rolagem para 4 mil pessoas. As visitações para cada postagem nunca eram mais do que 100.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Foxwalt disse:

É engraçado como os comentários no Facebook sobre a saída do Clube do Hardware confirmam isto aqui:

 

"Ademais, muita gente só lê as manchetes e não clicam nos links."

 

Há algumas críticas à saída do Clube do Hardware - por vezes agressivas e desrespeitosas - em que fica claro que foram feitas sem qualquer tipo de fundamento, mostrando que o pessoal não veio ler este editorial e muito menos os anteriores... O link está lá, com o anúncio de todo o tamanho, mas nãããão... Melhor já sair criticando sem embasamento. Nem fazem ideia de como o "Foicebook" funciona.

 

Pois é, chegar a ser cômico. Só reforça que tomamos a decisão correta.

 

2 horas atrás, Rafael Coelho disse:

Outros parecem achar que estamos sugerindo que as pessoas abandonem o Facebook, o que não tem nada a ver com o que foi falado.

 

Provavelmente por que não leram o editorial como bem falou o Foxwalt!

 

1 hora atrás, SHIFTD disse:

Estou a um bom tempo cogitando a possibilidade de deletar a minha conta no caralivro, enfim chegou a hora.

 

Parabéns pela coragem! :)

 

46 minutos atrás, De Los Santos disse:

De resto não há como discordar. E... *****!!! Só 4 mil visitações com os links do facebosta? Tenho plena certeza de que você tem muito mais visitas com a sua newsletter ou com quem assina os feeds. E sem precisar pagar para isso.

 

Mais uma vez, foi a melhor coisa que você fez.

 

Exatamente! :) Eu penso da seguinte forma, quem quer informação de qualidade corre atrás. A maioria do pessoal do Facebook só quer informações rasas. Como expliquei no editorial, não podíamos nos dar o luxo de sair do FB até o ano passado, e desde julho de 2017 estávamos já discutindo internamente esta saída, e a hora chegou. A maioria dos meus amigos pessoais já saíram do Facebook por conta dos motivos expostos (muita negatividade, discórdias, etc.) Estou apenas aguardando o apagamento definitivo da página para eu apagar minha conta pessoal também. Preferi postar lá um aviso antes, para o pessoal tomar ciência. Mas o nivel dos comentários é de um desconhecimento enorme. O pessoal sequer clicou para ler o editorial.

 

Abraços!

adicionado 6 minutos depois

PS: Peguei aqui umas telas capturadas interessantes do Google Analytics. Os dados são referentes aos últimos 30 dias (27/02 a 27/03/2018). Do nosso tráfego, apenas 0,26% veio de redes sociais. Em números absolutos, nos últimos 30 dias só recebemos a visita de 9.579 pessoas vindas dos nossos posts no Facebook. No gráfico de pizza de origem de usuários, nem aparece (tente achar a fatia amarela).

 

ga-facebook.png

ga-pizza.png

 

Edit: adicionei esses valores ao editorial. Torna a questão ainda mais ridícula. Adicionei o parágrafo abaixo:

Citação

Analisando nosso tráfego pelo Google Analytics, verificamos que nos últimos 30 dias (27/02/2018 a 27/03/2018) o número de visitantes oriundo de todas as redes sociais representou apenas 0,26% do total de visitantes do nosso site. Recebemos, através das nossas publicações no Facebook, 9.579 novos visitantes, o que representa apenas 0,20% do nosso total de visitantes no período. Ou seja, um valor completamente irrelevante.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Como eu  sempre acesso seus artigos diretamente  do site CH, continuo tendo as informações em 1ª mão. Uso o facebook somente para entretenimento.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
37 minutos atrás, Gabriel Torres disse:

Pois é, chegar a ser cômico. Só reforça que tomamos a decisão correta.

 

Provavelmente por que não leram o editorial como bem falou o Foxwalt!

Aos haters, o nosso muito obrigado! :D

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Patrão, agora que você fechou a página, podemos xingar os comentários toscos lá no fb? :wiggle:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
7 minutos atrás, Evandro disse:

Patrão, agora que você fechou a página, podemos xingar os comentários toscos lá no fb? :wiggle:

Não sou o patrão, mas acho melhor não. O intuito é deixar morrer por lá, então melhor "não alimentar os trolls".

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×